Rio Nepean (Dharug: Yandhai)[1] é um rio perene localizado ao sudoeste de Sydney, Nova Gales do Sul, Austrália. Ele e sua foz, o rio Hawkesbury, quase circulam a região metropolitana de Sydney.

Rio Nepean
Yandhai
Rio Nepean
Rio Nepean visto ao norte, em direção de Penrith, 2006
Comprimento 178 km
Nascente Perto de Robertson
Altitude da nascente 766 m
Foz Perto de Yarramundi
Altitude da foz 2 m
País  Austrália

Sua nascente fica próxima de Robertson, a cerca de 100 km ao sul de Sydney e 15 km do mar de Tasman. Ele flue ao norte, até chegar na área despovoada deuma bacia hidrográfica e então para a Reserva Nepean, que supre Sydney com água potável. Ao norte da represa, o rio forma a fronteira oeste de Sydney e passa pelas cidades de Camden e Penrith, que ao sul é próxima do cânion Nepean. Perto de Wallacia, rio recebe a água de barragem do rio Warragamba, e perto de Yarramundi, em sua confluência com o rio Grose, ele se torna o rio Hawkesbury.

Em Emu Plains, na margem oeste do rio são apresentadas peças de teatro ao ar livre. Em Penrith, a margem leste provê locais para se fazer churrasco e brinquedos de criança, além de uma grande trilha que acompanha o leito do rio e o Clube de Remo de Nepean. Os mandeianos pediram permissão a Reserva Tench para realizar rituais de purificação e instalar um mandi em Wallacia.[2]

História editar

História pré-europeia editar

Os povos aborígenes usavam o rio regularmente, e era possível ver suas nassas em Yarramundi antes do rio ter o curso redirecionado.[3] Charles Darwin escreveu sobre o povo de Emu Ford, elogiando sua habilidade com a lança.[4] Watkin Tench, membro do Royal Marines, também notou o uso de lanças, linhas e redes para a pesca.[5] Os povos que viviam aos arredores do rio Nepean praticavam o comércio com os povos das planícies do oeste. A rota usada foi mostrada a Archibald Bell Jr., que construiu o que hoje é conhecido como Estrada da Linha de Bell.[6][7]

Vista aérea do rio Nepean entre o Parque Douglas e Menangle.

Desde 1971, nas proximidades de Penrith, foram encontradas diversas ferramentas de pedra aborígenes nos sedimentos de cascalho depositados no rio Nepean entre 40 a 50 mil anos atrás, de acordo com a datação por radiocarbono e termoluminescência. A princípio, a descoberta era controversa, porém outras datações feitas em 1987 e 2003 corroboraram os resultados.[8][9] Muitos outros artefatos foram encontrados na região, que datam de 5 mil anos atrás. Karskens et al. tentaram recuperar e integrar um mapa de dados arqueológicos da região, de descrições publicadas ou não em revistas científicas.[10][11]

Colonização europeia editar

Em 1788, quando a colônia britânica foi estabelecida em Sydney, uma expedição liderada pelo governador Phillip percorreu a costa cerca de 50 km ao norte da foz do rio Hawkesbury, e cerca de 32 km acima do rio, os colonos pararam em uma cascata, muito provavelmente a Hawkesbury Heights.[12] Phillip nomeou o rio em homenagem ao Lorde Hawkesbury, presidente do Comitê Privado Permanente do Conselho do Comércio.[13]

Enquanto isso, o tenente Watkin Tench liderou uma expedição para o interior, ao oeste de Sydney. Após percorrerem cerca de 60 km a pé pelas Montanhas Azuis, Tench descobriu um largo rio que nomeou em homenagem a Evan Nepean, o Subsecretário de Estado do Interior e amigo íntimo de Arthur Phillip.[14] Levou cerca de três anos para descobrirem que o Nepean deságua no Hawkesbury.[carece de fontes?]

O rio Nepean foi um dos pontos de conflito das Guerras do Hawkesbury e Nepean, travada entre o Reino da Grã-Bretanha e os aborígenes no fim do século XVIII e início do XIX.[15]

Problemas ambientais editar

Mudança no fluxo natural das águas editar

O rio provê água para os habitantes de Sydney e para produção agrícola.[16] Por isso, somado com as pressões para a mudança do uso da terra para o desenvolvimento urbano, o rio está sob estresse significante.[17] As represas e barragens bloquearam o acesso de peixes migratórios, como o robalo australiano, ao seu habitat natural, e reduzem as inundações necessárias para a desova.[18] Porém, o rio ainda é um importante ponto de pesca de robalo.[19]

Há onze barragens no rio Nepean que regulam significativamente seu fluxo, já que o rio acaba segmentado em diversos lagos de barragem. As barragens da porção superior do rio também trazem algum impacto.[20] Inaugurada em 1912,[21] a barragem de Wallacia foi inicialmente construida de madeira para o moinho de grãos de John Blaxland, na Fazenda Grove. A primeira escada de peixes da Austrália foi construida junto com a atual barragem de concreto perto do cânion Nepean.[carece de fontes?] Nos anos 50, durante a construção da represa Warragamba no desfiladeiro íngreme do rio Warragamba, um grande fluxo de água foi interceptado e redirecionado para atender as necessidades da área metropolitana de Sydney, o que reduziu o rio para uma sombra do que costumava a ser.[22]

Enchentes editar

 
Rio Nepean após fortes chuvas, Ponte Victoria, 2013.

O primeiro registro de uma enchente foi em 1795, aparentemente sendo um evento pequeno. Outras acontecerem em 1799 e em março e outubro de 1806[23][24] e em 1809. Em 1810, depois de uma série de inundações no rio Hawkesbury, o governador Macquarie proclamou que as "cidades Macquaire" de Windsor, Richmond, Wiberforce, Castlereagh e Pitt Town estavam livres de inundações, em uma tentativa de manter o desenvolvimento apenas em áreas mais altas. Em fevereiro de 1817 levou o governador Macquarie emitiu um aviso exortando os colonos, nos termos mais fortes possíveis, a construir suas residências acima dos níveis de inundação estabelecidos.[25]

Mais enchentes aconteceram em 1857[26] e em fevereiro[27] e maio[28] de 1860.

A enchente mais desvastadora aconteceu em junho de 1867, quando foi estimado que o rio Nepean chegou a 13,4 m no rio e 27,47 metros ADH. Ela destruiu partes da recém-construída ponde de Victoria. Emu Plains, Castlereagh e outras partes de Penrith também foram inundadas, causando grande perda de propriedade. Muitas casas foram destruídas pelos deslizamentos. Muitos dos habitantes locais foram forçados a se refugiar em prédios públicos, como o hospital de Penrith e escolas. Foi estimado que uma enchente como esta destruiria 16 mil habitações e causaria um prejuízo de aproximadamente A$ 1.4 bilhão.[29]

Houve outras enchentes notórias em julho de 1900[30] e dezembro de 1914.[31] Novamente, houve muita água nas ruas e perda de casas e propriedades. Em 1974, houve uma enchente significativa causada pela La Niña.[32]

Durante as enchentes em Nova Gales do Sul em 2021, o rio Nepean chegou a 10 m de altura. A ponte Windsor foi completamente submergida e houve inundações de casas e casos de animais isolados na região.[33]

Uso ritualístico mandeiano editar

A comunidade mandeiana australiana da área metropolitana de Sydney performa religiosamente rituais de masbuta (batismo) no rio Nepean.[34]

Referências editar

  1. «NSW Place and Road Naming Proposals System». Geographical Names Register of NSW (em inglês). Conselho de Nomes Geográficos da Nova Gales do Sul. Consultado em 30 de janeiro de 2024 
  2. «The Mandaeans of Shepparton». Shepparton Interfaith Network (em inglês). 6 de junho de 2019. Consultado em 30 de janeiro de 2024 
  3. «Welcome to Yarramundi Reserve» (PDF). Hawkesbury City Council (em inglês). Consultado em 5 de fevereiro de 2024 
  4. «DARWIN MEETS ABORIGINES FROM THE DARUG NATION». Screen Australia (em inglês). 2009. Consultado em 5 de fevereiro de 2024. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2024 – via National Film and Sound Archive 
  5. Anna Clark (1 de setembro de 2023). «Traps, rites and kurrajong twine». Universidade de Tecnologia de Sydney (em inglês). Consultado em 5 de fevereiro de 2024. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2024 
  6. «HAWKESBURY VALLEY». Great Blue Mountains Drive (em inglês). Consultado em 5 de fevereiro de 2024. Arquivado do original em 30 de maio de 2014 
  7. «MAGISTRATE FOR THE ENSUING WEEK, ALEXANDER BERRY, ESQUIRE». The Sydney Gazette and New South Wales Advertiser (em inglês). 9 de outubro de 1823. Consultado em 5 de fevereiro de 2024. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2024 – via Trove 
  8. Attenbrow, Val (2010). Sydney's Aboriginal Past: Investigating the Archaeological and Historical Records (em inglês). [S.l.]: UNSW Press 
  9. Stockton, Eugene; Nanson, Gerald (abril de 2004). «Cranebrook Terrace Revisited». Archaeology in Oceania (em inglês) (1): 59–60. ISSN 0728-4896. doi:10.1002/j.1834-4453.2004.tb00560.x. Consultado em 5 de fevereiro de 2024 
  10. Karskens, Grace; Burnett, Georgia; Ross, Shawn (19 de novembro de 2019). «Traces in a Lost Landscape: Aboriginal archaeological sites, Dyarubbin/Nepean River and contiguous areas, NSW, Australia (Data Paper)». Internet Archaeology (em inglês) (52). ISSN 1363-5387. doi:10.11141/ia.52.8. Consultado em 5 de fevereiro de 2024 
  11. Karskens, Grace; Burnett, Georgia; Ross, Shawn (2016). «Traces in the Lost Landscape». Open Context Alliance (em inglês). doi:10.6078/M7CR5R8Z. Consultado em 5 de fevereiro de 2024 
  12. Clark, Manning (1993). History of Australia (em inglês). [S.l.]: Melbourne University Publishing. p. 235. ISBN 9780522845235 
  13. «European Discovery & Naming of Hawkesbury River | Monument Australia». Monument Australia (em inglês). Consultado em 5 de fevereiro de 2024. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2024 
  14. «NEPEAN, Evan (1752-1822), of Loders Court, Dorset.». The History of Parliament (em inglês). Consultado em 5 de fevereiro de 2024. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2024 
  15. Connor, John (2002). The Australian Frontier Wars, 1788-1838 (em inglês). [S.l.]: UNSW Press. ISBN 9780868407562 
  16. «Hawkesbury-Nepean». Departamento de Planejamento e Meio Ambiente da Nova Gales do Sul (em inglês). 20 de setembro de 2023. Consultado em 30 de janeiro de 2024. Cópia arquivada em 30 de janeiro de 2024 
  17. «Lower Hawkesbury-Nepean River nutrient management strategy» (PDF). Departamento de Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Água de Nova Gales do Sul (em inglês). 2010. Consultado em 30 de janeiro de 2024 
  18. McDowall, Robert Montgomery (1996). Freshwater Fishes of South-eastern Australia (em inglês). Sydney: Reed Publishing. ISBN 9780730104629 
  19. Steve Prott (31 de janeiro de 2010). «Time to escape the crowds». Fishing Monthly Magazines (em inglês). Consultado em 30 de janeiro de 2024. Cópia arquivada em 30 de janeiro de 2024 
  20. «Nepean River Subcatchment». Hawkesbury Nepean Catchment Management Authority (em inglês). 2006. Consultado em 30 de janeiro de 2024. Arquivado do original em 29 de agosto de 2007 
  21. «50 YEARS AGO WALLACIA WEIR OPENING». The Nepean Times (em inglês). 17 de maio de 1962. Consultado em 30 de janeiro de 2024 – via Trove 
  22. «The Nepean River». Câmara Municipal de Penrith (em inglês). Consultado em 30 de janeiro de 2024. Arquivado do original em 9 de setembro de 2006 
  23. «HAWKESBURY, MARCH 27.». Sydney Gazette and New South Wales Advertiser (em inglês). 30 de março de 1806. Consultado em 31 de janeiro de 2024 – via Trove 
  24. «Classified Advertising». Sydney Gazette and New South Wales Advertiser (em inglês). 26 out 1806. Consultado em 31 de janeiro de 2024 – via Trove 
  25. «Sydney.». Sydney Gazette and New South Wales Advertiser (em inglês). 15 de março de 1817. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 – via Trove 
  26. «SERIOUS DAMAGE TO THE NEPEAN BRIDGE.». The Sydney Morning Herald (em inglês). 1 de agosto de 1857. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 – via Trove 
  27. «THE FLOODS. THE NEPEAN.». The Sydney Morning Herald (em inglês). 16 de fevereiro de 1860. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 – via Trove 
  28. «ANOTHER DESTRUCTIVE FLOOD.». The Sydney Morning Herald (em inglês). 12 de maio de 1860. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 – via Trove 
  29. «Hawkesbury-Nepean Flood Damages Assessment: Final Report» (PDF). NSW Infrastructure (em inglês): 27. Consultado em 1 de fevereiro de 2024. Arquivado do original (PDF) em 10 de abril de 2013 
  30. «FLOOD IN THE NEPEAN.». The Sydney Morning Herald (em inglês). 7 de julho de 1900. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 – via Trove 
  31. «Nepean in Flood.». The Tweed Daily (em inglês). 31 dez 1914. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 – via Trove 
  32. «La Niña - Detailed Australian Analysis». Bureau de Meteorologia (em inglês). Consultado em 1 de fevereiro de 2024. Arquivado do original em 10 de outubro de 2010 
  33. Kevin Nguyen (20 de março de 2021). «Flood evacuation orders issued for parts of Sydney's west». ABC News (em inglês). Consultado em 1 de fevereiro de 2024. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2024 
  34. «An Ancient Baptism in Sydney». Roads & Kingdoms (em inglês). 30 de julho de 2015. Consultado em 5 de fevereiro de 2024. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2024