Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura a colônia de Nova Gales do Sul, veja Nova Gales do Sul (Colónia).
Austrália Nova Gales do Sul

New South Wales

 
Bandeira de Nova Gales do Sul
Bandeira
Brasão de armas de Nova Gales do Sul
Brasão de armas
Apelido(s): The First State / The Premier State
Lema: Orta Recens Quam Pura Nites
(Do latim: Recentemente ressuscitado, com que brilhar você brilha)
Localização de Nova Gales do Sul na Austrália.
Localização de Nova Gales do Sul na Austrália.
Fundação 1788 (colônia)
1856 (governo independente)
1901 (estado)
Capital Sydney
Administração
- Tipo Monarquia constitucional
- Governador Margaret Beazley
- Premier Gladys Berejiklian
Área
- Total 809,444 km²
- Terra 800.642 km²
 - Água 8.802 km²
População (2016)
 - Total 7 797 800
    • Densidade 9 633,5 hab./km²
Gentílico New South Welshman
Informações
- PIB nominal A$ 486,482
- PIB per capita A$ 67,841
- Fuso horário +9:30, +10, +10:30 e +11
Código postal NSW
Código ISO 3166-2 AU-NSW
Membros da Câmara 48/150
Membros do Senado 12/76
Website www.nsw.gov.au

Nova Gales do Sul (em inglês: New South Wales, abreviado como NSW) é um estado na costa leste da Austrália. Faz fronteira com Queensland ao norte, Victoria ao sul e Austrália Meridional a oeste. Sua costa faz fronteira com o Mar da Tasmânia, a leste. O Território da Capital Australiana é um enclave dentro do estado. A capital do estado de Nova Gales do Sul é Sydney, que também é a cidade mais populosa da Austrália. Em setembro de 2018, a população de Nova Gales do Sul era de mais de 8 milhões, tornando-se o estado mais populoso da Austrália. Pouco menos de dois terços da população do estado, 5,1 milhões, vive na área da Grande Sydney.[1]

A Colônia de Nova Gales do Sul foi fundada como uma colônia penal em 1788. Ela originalmente compreendia mais da metade do continente australiano com sua fronteira oeste situada no 129º meridiano a leste em 1825. A colônia também incluía os territórios insulares da Nova Zelândia, Terra de Van Diemen, Ilha de Lord Howe e Ilha Norfolk. Durante o século XIX, a maior parte da área da colônia foi recortada para formar colônias britânicas separadas que eventualmente se tornaram a Nova Zelândia e os vários estados e territórios da Austrália. No entanto, a Colônia do Rio Swan nunca foi administrada como parte de Nova Gales do Sul.

A iha de Lord Howe permanece como parte de Nova Gales do Sul, enquanto a Ilha Norfolk se tornou um território federal, assim como as áreas hoje conhecidas como o Território da Capital Australiana e Território da Baía Jervis.

Índice

HistóriaEditar

Ocupação aborígeneEditar

Os habitantes originais da Austrália eram os povos aborígenes, que lá estavam desde a última Idade do Gelo. Os primeiros indícios de ocupação humana na região de Nova Gales do Sul foram encontrados próximos ao Lago Mungo, e acredita-se que sejam de até 60 mil anos atrás. O lago, que está completamente seco hoje em dia, na época ainda estava cheio de água e oferecia um excelente local para acampamentos. Os aborígenes organizavam-se em grupos familiares ao invés de grandes unidades políticas, e portanto não tinham condições de fazer frente aos colonizadores europeus. Quando os europeus chegaram, os aborígenes foram expulsos de suas terras, e muitos milhares morreram pelas doenças trazidas do Velho Mundo.

Ocupação britânicaEditar

O território do actual estado foi descoberto pelos europeus em 1770 durante a expedição de James Cook. O governo britânico reclamou a posse do território e estabeleceu a colónia de Nova Gales do Sul em 1788. A nova colónia incluía a quase totalidade do continente australiano e parte das ilhas da Nova Zelândia.

Expansão rumo ao interiorEditar

Gregory Blaxland, um rico fazendeiro, estava convencido de que as tão necessárias novas pastagens seriam encontradas além da cadeia montanhosa hoje conhecida como Blue Mountains. O Governador Macquarie, que havia chegado em 1809, acabou dando permissão para que Blaxland e dois outros proprietários de terras, William Charles Wentworth e William Lawson, montassem uma expedição. Eles partiram em 11 de Maio de 1813, e seguiram uma rota ao longo da serra. Foi tão difícil o caminho que nos dias ruins eles cobriam menos de três quilômetros. Em 31 de Maio, com suas provisões de comida próximas ao fim, e a ponto de desistir, o grupo subiu um morro (atualmente chamado Monte Blaxland) de onde puderam ver infinitas florestas e pastos. A sua jornada de retorno durou apenas 6 dias. Como recompensa, o Governador Macquarie ofereceu a cada um dos três exploradores uma concessão de mil acres de terra que poderia ser escolhida por eles próprios.

Seguindo-se o sucesso do grupo de Blaxland, o Governador Macquarie ordenou mais uma expedição em Novembro de 1813. Liderados por George Evans, um topógrafo do governo, eles seguiram a mesma rota de Blaxland, prosseguindo por outros quase 200 quilômetros, cruzando a serra, chamada Great Dividing Range. Evans descobriu uma enorme planície coberta de grama próxima a onde hoje localiza-se Bathurst, e retornou a Sydney com notícias fervorosas sobre as férteis terras que ele havia encontrado.

Em 1815, o Governador Macquarie ordenou a construção de uma estrada para cruzar as montanhas, e um antigo oficial do Exército, William Cox, foi escolhido para liderar o trabalho de uma equipe de 30 condenados. Eles construíram 160 quilômetros de estrada sobre as montanhas em apenas 6 meses. Macquarie liderou uma procissão ao longo da nova estrada em Abril de 1815, proclamando formalmente a fundação da cidade de Bathurst. Bathurst logo se desenvolveu numa próspera cidade de interior.

Outros exploradores que ajudaram a desbravar o vasto interior do Estado incluem Oxley, Hamilton Hume, William Hovell, Cunningham, e Charles Sturt.

Desenvolvimento econômicoEditar

O último navio trazendo condenados do Reino Unido ao Estado chegou em 1848. Acabava-se um tempo em que ricos proprietários de terra tinham a sua disposição mão-de-obra barata e numerosa. Agora, o Estado via cada vez mais a chegada de trabalhadores livres, em busca de oportunidades, e consequentemente um enriquecimento da colônia e expansão do seu território. No início do século XIX, Nova Gales do Sul compreendia praticamente metade do continente australiano. Gradualmente, o seu território foi sendo dividido, criando-se outras colônias: Austrália do Sul em 1834, Victoria em 1850, e Queensland em 1859.

A descoberta de ouro nos anos 1850 trouxe as mais significantes mudanças à estrutura sócio-econômica da colônia. A corrida do ouro iniciou-se em Ophir, próximo à atual cidade de Orange, e alastrou-se por todo o território do Estado e da Austrália, criando inúmeras cidades no interior, como a isolada Broken Hill, já no Deserto do Outback. Embora poucos tenham feito fortuna a partir do ouro, a maioria dos colonos acabaram ficando por onde estavam. Com a Revolução Industrial ocorrendo na Grã-Bretanha no mesmo período, a enorme demanda por produtos agrícolas e minerais ocasionada trouxe grande impulso à economia das colônias australianas.

FederaçãoEditar

Durante os anos de 1890, as colônias passaram a, cada vez mais, aspirar à independência, motivadas por um sentimento de identidade nacional (com o surgimento de escritores, pintores, músicos, e cultura próprios, a se destacar o poema The man from Snowy River, e a canção Waltzing Matilda, ambos escritos por Banjo Paterson) e também por fatores econômicos. Com a Federação em 1 de Janeiro de 1901, Nova Gales do Sul tornou-se um Estado da nova nação.

Os anos de 1920, especialmente, trouxeram grande expansão econômica. No entanto, a Grande Depressão atingiu duramente a Austrália. Em 1931 quase um terço dos chefes de família estavam desempregados, e a pobreza assombrava os habitantes. Mas em 1932 a economia começou a se recuperar, graças em parte ao aumento do preço da lã e a uma revitalização na produção de manufaturas. A construção da Ponte da Baía de Sydney (Sydney Harbour Bridge) marcou o início da reação econômica em 1932.

Pós-guerraEditar

Durante as Grandes Guerras Mundiais, a Austrália permaneceu fiel à Grã-Bretanha, enviando tropas a ambos os conflitos. No pós-guerra, a indústria civil explodiu novamente em Sydney, embalada pela construção de linhas ferroviárias que permitiram a rápida expansão da cidade em direção ao oeste. Programas de imigração trouxeram crescimento, prosperidade, e um grande número de "novos australianos", vindos principalmente da Europa e Ásia. Ainda hoje, cerca de cem mil imigrantes chegam à Austrália todos os anos, vindos de todos os cantos do planeta, e boa parte segue em direção a Sydney.

Nos últimos anos, Sydney tem vivido uma época de grande crescimento e desenvolvimento. No entanto, o resto do Estado não tem acompanhado este progresso, e o interior permanece relativamente pouco habitado e com pouca significância econômica.

GeografiaEditar

 
Montanhas Nevadas de Nova Gales do Sul.

Nova Gales do Sul é delimitada a norte por Queensland, a oeste pela Austrália Meridional, a sul por Victoria e a leste pelo Mar da Tasmânia. O Território da Capital Australiana e o Território da Baía de Jervis formam uma entidade administrada separada que é limitada inteiramente por Nova Gales do Sul. O estado pode ser dividido geograficamente em quatro áreas. As três maiores cidades de Nova Gales do Sul, Sydney, Newcastle e Wollongong, ficam perto do centro de uma estreita faixa costeira que se estende desde áreas temperadas frias na costa sul até áreas subtropicais próximas à fronteira com Queensland.

A região de Illawarra é centrada na cidade de Wollongong, com as cidades de Shoalhaven, Eurobodalla e a Sapphire Coast ao sul. A costa central fica entre Sydney e Newcastle, com as regiões da costa norte e dos rios ao norte atingindo o norte até a fronteira de Queensland. O turismo é importante para as economias das cidades costeiras, como Coffs Harbour, Lismore, Nowra e Port Macquarie, mas a região também produz frutos do mar, carne bovina, laticínios, frutas, cana-de-açúcar e madeira.

 
Praia de Byron Bay no norte de Nova Gales do Sul.

A Grande Cordilheira Divisória estende-se desde Victoria, no sul, passando por Nova Gales do Sul até Queensland, paralela à estreita planície costeira. Esta área inclui as Montanhas Nevadas, os Planaltos do Norte, Central e Meridional, as Terras Altas do Sul e as Encostas do Sudoeste. Embora não sejam particularmente íngremes, muitos picos da área chegam acima de 1.000 metros, sendo o mais alto o Monte Kosciuszko com 2.229 metros. O esqui na Austrália começou nesta região em Kiandra por volta de 1861. A estação de esqui é relativamente curta e financia a indústria turística nas Montanhas Nevadas. A agricultura, particularmente a indústria de lã, é importante em todo o planalto. Os principais centros incluem Armidale, Bathurst, Bowral, Goulburn, Inverell, Orange, Queanbeyan e Tamworth. Existem numerosas florestas em Nova Gales do Sul, com espécies de árvores como eucalipto-de-goma-vermelha e a Flindersia australis, sendo representadas.[2][3]

As encostas e planícies ocidentais enchem uma parte significativa da área do estado e têm uma população muito mais esparsa do que as áreas mais próximas da costa. A agricultura é fundamental para a economia das encostas ocidentais, particularmente da região de Riverina e da área de irrigação de Murrumbidgee, no sudoeste do estado. Cidades regionais como Albury, Dubbo, Griffith e Wagga Wagga e cidades como Deniliquin, Leeton e Parkes existem principalmente para atender essas regiões agrícolas. As encostas ocidentais descem lentamente para as planícies ocidentais que compreendem quase dois terços do estado e são em grande parte áridas ou semiáridas. A cidade mineira de Broken Hill é o maior centro urbano nesta área.[4]

Uma possível definição do centro geográfico de Nova Gales do Sul está localizada a 33 quilômetros a oeste-noroeste de Tottenham.[5]

ClimaEditar

 
Climatologia de Nova Gales do Sul segundo Köppen.

A maior parte de Nova Gales do Sul, a oeste da Grande Cordilheira Divisória, tem um clima desértico (BWh e BWk) e semiárido (BSh e BSk). A precipitação média varia de 150 a 500 milímetros por ano em quase toda a região. As temperaturas do verão podem ser muito quentes, enquanto as noites de inverno podem ser bastante frias nesta região. A precipitação varia em todo o estado, onde o extremo noroeste recebe a menor, menos de 180 mm por ano, enquanto o leste recebe entre 700 e 1400 mm de chuva anualmente.[6]

De acordo com a classificação climática de Köppen, o clima ao longo da planície costeira a leste da cordilheira varia de oceânico (Cfb) no sul a subtropical úmido (Cfa) na metade norte do estado, logo acima de Wollongong. A precipitação é maior nesta área, no entanto, ainda varia de cerca de 800 milímetros a tão alta quanto 3.000 milímetros nas áreas mais úmidas, por exemplo Dorrigo. Ao longo da costa sul, a precipitação é mais intensa no inverno devido a frentes frias que se movem pelo sul da Austrália, enquanto no extremo norte, em torno de Lismore, a chuva é mais intensa no verão graças a sistemas tropicais e ocasionalmente ciclones.[6]

O clima na metade sul do estado é geralmente de morno a quente no verão e fresco no inverno. As estações do ano são mais definidas na metade sul do estado, especialmente quando nos movemos para o interior em direção às encostas do sudoeste, centro-oeste e região Riverina. O clima na região nordeste do estado, ou a costa norte, na fronteira com Queensland, é quente e úmido no verão e ameno no inverno. As Mesetas do Norte, que também estão na costa norte, têm verões relativamente suaves e invernos frios, devido à sua alta elevação na cordilheira.

Os picos ao longo da cordilheira variam de 500 metros a mais de 2.000 metros acima do nível do mar. As temperaturas podem ser frescas ou frias no inverno com geadas frequentes e queda de neve, e raramente são quentes no verão devido à elevação. Lithgow tem um clima típico da região, assim como as cidades regionais de Orange, Cooma, Oberon e Armidale. Tais lugares caem dentro da variedade do clima subtropical das terras altas (Cwb). A precipitação é moderada nesta área, variando de 600 a 800 mm.

A queda de neve é comum nas partes mais altas da cordilheira, às vezes ocorrendo até o norte com a fronteira de Queensland. Nos picos mais altos das Montanhas Nevadas, o clima pode ser subpolar oceânico (Cfc) e até alpino (ET) nos picos mais altos, com temperaturas muito baixas e neve pesada. As Montanhas Azuis, as Mesetas do Sul e os Planaltos Centrais, que estão situados na cordilheira, têm verões amenos a quentes e invernos frios, embora não tão severos quanto os das Montanhas Nevadas.[6]

A mais alta temperatura registrada foi de 49,7 °C em Menindee, no oeste do estado, em 10 de janeiro de 1939. A temperatura mínima foi de -23 °C em Charlotte Pass nas Montanhas Nevadas em 29 de junho de 1994. Esta é também a temperatura mais baixa registrada em toda a Austrália, excluindo as do Território Antártico.[7]

EconomiaEditar

Produtos manufaturados são a maior fonte de renda do Estado, e incluem maquinário agrícola, químicos, tecidos, fertilizantes, vidros, ferro e aço, maquinário industrial, automóveis e papel. Sydney, juntamente com Newcastle, Wollongong e Port Kembla, constitui o segundo maior centro industrial da Austrália depois de Melbourne, que exerce o papel de locomotiva da Austrália, apesar de ser menor do que Sydney.

A indústria de mineração é muito importante para a economia local, tendo como principais minérios o carvão, cobre, ouro, chumbo, prata e zinco.

O Produto Interno Bruto (PIB) entre 2004 e 2005 foi de US$ 241,17 bilhões, 34% do total australiano. A renda per capita é de US$ 36 127,00.

Referências

  1. «3218.0 – Regional Population Growth, Australia, 2016–17: Main Features». Australian Bureau of Statistics. Australian Bureau of Statistics. 24 de abril de 2018. Consultado em 13 de outubro de 2018  Estimated resident population, 30 June 2017.
  2. Joseph Henry Maiden. 1908. The Forest Flora of New South Wales, v. 3, Australian Government Printing Office.
  3. C. Michael Hogan, Witch's Butter: Tremella mesenterica, GlobalTwitcher.com, ed; N. Stromberg Arquivado em 21 de setembro de 2012[Erro data trocada] no Wayback Machine.
  4. Australian Encyclopaedia, Vol. 7, Grolier Society.
  5. «Geoscience Australia – Center of Australia, States and Territories». Arquivado do original em 22 de agosto de 2008 
  6. a b c «Stormy Weather» (PDF). Bureau of Meteorology. Consultado em 16 de maio de 2014 
  7. «Rainfall and Temperature Records: National» (PDF). Bureau of Meteorology. Consultado em 14 de novembro de 2009 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Geografia da Austrália é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.