Abrir menu principal

Roberto Augusto

político brasileiro
Roberto Augusto
Nascimento 21 de maio de 1931 (88 anos)
Três Lagoas
Cidadania Brasil
Ocupação político

Roberto Augusto Lopes (Três Lagoas, 21 de maio de 1931) é um ex-jogador de futebol, bispo evangélico e político brasileiro. Exerceu o mandato de deputado federal constituinte em 1988.[1]

BiografiaEditar

Filho de João Augusto Lopes e Hermínia da Silva Lopes, jogou futebol profissionalmente até o começo dos anos 1960, atuando no Canto do Rio Niterói (RJ) e no Bangu Atlético Clube do Rio de Janeiro.[1]

Roberto Augusto fundou, junto com Edir Bezerra Macedo, Romildo Ribeiro Soares (também conhecido como R. R. Soares) e os irmãos Samuel e Fidélis Coutinho, a Igreja Cruzada do Caminho Eterno (Salão da Fé), em 1975 no Rio de Janeiro. Em 1977, Roberto, Edir e Romildo romperam com a Igreja Caminho Eterno e fundaram, em uma funerária no bairro da Abolição no Rio de Janeiro, o grupo religioso de origem pentecostal[2] chamado de Igreja da Benção[3], que a partir de 9 de julho de 1977 viria a ser conhecido como a Igreja Universal do Reino de Deus na Avenida Suburbana, número 7.702[3]. Em 1981, concluiu a graduação no curso de teologia na Faculdade de Teologia Evangélica do Rio de Janeiro[1]. Entre 1981 e 1983, foi representante da Universal em viagens a Jerusalém, como bispo. No ano seguinte, exerceu a função de vice-reitor da Faculdade Teológica Universal do Reino de Deus, no Rio de Janeiro. Roberto Augusto ocupo o cargo durante dois anos[1]. Roberto Augusto permaneceu membro da Igreja Universal do Reino de Deus até o ano de 1987, quando decide retornar à Igreja Nova Vida.[4]

Na tentativa de implantar a Universal em São Paulo, foi para o estado em 1979.[1]

Também trabalhou como radialista, com um programa diário de cunho religioso na Rádio Copacabana do Rio de Janeiro.  Nele, Roberto Augusto chegou a se manifestar contra outras religiões, principalmente o espiritismo. Além disso, participava de outro programa diário chamado “Despertar da Fé”, que era transmitido todos os dias da semana pela TV Bandeirantes.[1]

Filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS) e, posteriormente, ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Em novembro de 1986, foi candidato a uma vaga na Assembleia Nacional Constituinte (ANC) pelo Rio de Janeiro. Com a marca de 54.332 votos[5], foi o deputado eleito que recebeu a maior quantidade de votos do PTB. No mesmo ano em que voltou a atuar na Igreja de Nova Vida, 1987, se tornou primeiro-vice-presidente da Subcomissão da Família, do Menor e do Idoso, da Comissão da Família, da Educação, Cultura e Esportes, da Ciência e Tecnologia e da Comunicação. Em fevereiro do mesmo ano, também se tornou membro suplente da Subcomissão dos Direitos dos Trabalhadores e Servidores Públicos, da Comissão da Ordem Social[1]. Em 1988, Roberto Augusto Lopes abandona a Igreja Universal por discordar, segundo ele, da visão meramente empresarial e mercantilista à qual Edir Macedo aderiu[6].

Roberto abandonou carreira política e segue atuando como bispo da Igreja de Nova Vida. Tem três filhos, frutos do casamento com Geise Maria Rocha Garcia Lopes.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h «Roberto Augusto - CPDOC». CPDOC. Consultado em 2 de janeiro de 2018 
  2. Santos, Adriana Martins dos. «O reino de Deus na ALBA: IURD e o legislativo baiano» (PDF). Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal da Bahia. Consultado em 05 de outubro de 2018  line feed character character in |publicado= at position 45 (ajuda); Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. a b Souza, Denice Barbosa de; Dutra, Patrícia Vicente. «MOTIVAÇÕES QUE LEVAM HOMENS E MULHERES AO ENCONTRO DO SAGRADO» (PDF). Universidade Estadual de Londrina. Consultado em 05 de outubro de 2018  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  4. «Igreja Universal do Reino de Deus». brazil.mom-rsf.org. Consultado em 6 de outubro de 2018 
  5. Campos, Leonildo Silveira. «Os "políticos de Cristo" – uma análise do comportamento político de protestantes históricos e pentecostais no Brasil». Universidade Metodista de São Paulo. Consultado em 05 de outubro de 2018  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  6. «Jornal da Tarde». Jornal da Tarde. 02 de abril de 1991  Verifique data em: |data= (ajuda)
  Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.