Abrir menu principal

Roi Xordo foi um fidalgo galego que dirigiu as tropas da Irmandade Fusquenlla (1431) e morreu na repressão posterior à desfeita irmandinha.

Pouco se sabe de Roi Xordo, exceito que era fidalgo e das terras dos Andrade (supostamente de Ferrol, ainda que também se defende que era da Corunha[1]). Liderou uma força de 3 000 homens que tomou o Castelo de Moeche, e depois atacou outras fortalezas em Pontedeume, Monforte de Lemos e Santiago de Compostela até à sua suposta morte no combate em Pontedeume em 1437, quando foi derrotada a irmandade.

Referências

  1. Há quem considera que este Roi Xordo é o mesmo que outorgou testamento na cidade da Corunha o 24 de Dezembro de 1457 (Ver Uriarte Basadre). Este Roi Xordo das Marinhas, regedor da Corunha, pode ser o mesmo que morreu violentamente no mês de Junho de 1458 às mãos de Fernán Pérez de Andrade "o Moço" e dos seus homens, segundo testemunha o seu tio Gómez Pérez das Mariñas. (Ver Pardo de Guevara)

BibliografiaEditar

  • (em galego) Florentino Uriarte Basadre O testamento de Roi Xordo das Mariñas, Copia de 1503 sobre un orixinal de 1457"; em Grial nº. 74, 1981, pp. 514–520.
  • (em castelhano) Eduardo Pardo de Guevara y Valdés Los Señores de Galicia (Tomo II); Col. ‘Galicia Histórica’, Fundação P. Barrié de La Maza, A Coruña, 2000. Ibi, doc. 140, pp. 121–123.