Romano Argiro (século X)

Romano Argiro (em grego: Ῥωμανός Ἀργυρός; romaniz.: Romanós Argyrós) foi um aristocrata bizantino do século X, ativo durante o reinado dos imperadores Constantino VII Porfirogênito (r. 913–959) e Romano I Lecapeno (r. 920–944). Devido a seu casamento com Ágata, tornar-se-ia genro de Romano I Lecapeno e Cunhado de Constantino VII Porfirogênito.

Romano Argiro
Nacionalidade Império Bizantino
Progenitores Pai: Leão Argiro
Ocupação Aristocrata

VidaEditar

Romano Argiro era um filho do distinto general Leão Argiro, e teve ao menos um irmão chamado Mariano Argiro, que também ocupou altos postos militares.[1] Romano, por outro lado, é principalmente conhecido por ter se casado com Ágata, uma filha do imperador Romano I Lecapeno (r. 920–944). As fortes desacordam sobre quando o matrimônio ocorreu: o historiador do século XI Iáia de Antioquia afirma que teria ocorrido antes da ascensão de Lecapeno ao poder, enquanto o cronista do final do século X Teófanes Continuado relata que ocorreu em 921.[2][3]

Seja com for, este casamento representou um esforço de Lecapeno, um arrivista provincial, para solidificar sua posição ao associar sua família com uma das mais prestigiosas famílias do Império Bizantino.[2][3] Como tal, Romano Argiro tornar-se-ia cunhado de Constantino VII Porfirogênito (r. 913–959), que havia se casado com outra das filhas de Lecapeno, Helena Lecapena.[4] Seu neto foi o também imperador Romano III Argiro (r. 1028–1034), que tornar-se-ia imperador ao casar-se com a imperatriz Zoé Porfirogênita (r. 1028–1050), a bisneta de Constantino VII.[5]

Referências

  1. Cheynet 2003, p. 62–63.
  2. a b Cheynet 2003, p. 63–64.
  3. a b Runciman 1988, p. 64.
  4. Cheynet 2003, p. 64.
  5. Cheynet 2003, p. 68–69.

BibliografiaEditar

  • Cheynet, J.-C.; Vannier, J.-F. (2003). Les Argyroi (em francês). 40. [S.l.]: Zbornik Radova Vizantološkog Instituta. p. 57–90. ISSN 0584-9888 
  • Runciman, Steven (1988). The Emperor Romanus Lecapenus and His Reign: A Study of Tenth-Century Byzantium (em inglês). Cambridge: Cambridge University Press. ISBN 0-521-35722-5