Ronaldo Costa Fernandes

poeta brasileiro

Ronaldo Costa Fernandes (São Luís, 29 de agosto de 1952) é um poeta e escritor brasileiro. Em 19 de agosto de 2006 foi eleito para ocupar a cadeira 31 da Academia Maranhense de Letras, na sucessão do escritor Josué Montello. Foi empossado em 13 de setembro de 2007, sendo recepcionado pelo acadêmico Joaquim Itapary. [1]

Ronaldo Costa Fernandes
Nascimento 29 de agosto de 1952
São Luís,  Maranhão
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Progenitores Mãe: Maria Isabel Soares Costa Fernandes
Pai: Francisco Costa Fernandes Sobrinho
Ocupação poeta e escritor
Prémios Prémio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (1979)

Prêmio Casa de las Américas (1990)

BiografiaEditar

Filho de Francisco Costa Fernandes Sobrinho e de Maria Isabel Soares Costa Fernandes. É graduado em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1976). Fez Mestrado em Literatura Hispano-Americana, na mesma instituição de ensino (1983), e Doutorado em Literatura Brasileira, na Universidade de Brasília (2000). Deu aulas de literatura na Universidade de Notre Dame (1977), na Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante (EFFOM), foi chefe do Setor de Arte e Cultura da Universidade Católica de Brasília (agosto de 1997 a novembro de 1998) e trabalhou na Secretaria Especial da Presidência da República, no Palácio do Planalto, em 1985. Pertenceu ao quadro do Ministério da Cultura, de 1980 a 2019. Foi Coordenador da Funarte-Brasília, de março de 1995 a janeiro de 2003.

Ronaldo Costa Fernandes recebeu diversos prêmios por suas obras, dentre eles o Prémio da Associação Paulista dos Críticos de Arte por João Rama, Prêmio Casa de las Américas por Noticias del Horto e o Prêmio ABL de Poesia, 2010, por A Máquina de Mãos[2].

Atualmente reside em Brasília.

ObrasEditar

RomanceEditar

  • João Rama (1979)
  • Retratos Falados (1984)
  • El muerto solidario (1991)
  • Concerto para flauta e martelo (1997)
  • O morto solidário (1998)
  • O viúvo (2005)
  • Um homem é muito pouco (2010)

NovelaEditar

  • O Ladrão de Cartas (1981)
  • Noticias del horto (1991)

EnsaioEditar

  • O narrador do romance (1996)
  • O imaginário da cidade (2000)
  • A ideologia do personagem brasileiro (2007)

PoesiaEditar

  • Estrangeiro (1997)
  • Terratreme (1998)
  • Andarilho (2000)
  • Eterno passageiro (2004)
  • A máquina das mãos (2009)
  • Memória dos porcos (2012)
  • O difícil exercício das cinzas (2014)
  • Matadouro de Vozes (2018)[3]
  • Vieira na Ilha do Maranhão (2019)

ContosEditar

  • Manual de tortura (2007)



Referências

  1. «Ronaldo Costa Fernandes». AML. Consultado em 19 de março de 2019 
  2. «ABL concede ao crítico literário Benedito Nunes o "Prêmio Machado de Assis" de 2010». academia.org.br. 2 de junho de 2010. Consultado em 16 de fevereiro de 2021 
  3. «Escritor Ronaldo Costa Fernandes lança livro de poemas existenciais». Correio Braziliense. 27 de novembro de 2018. Consultado em 19 de março de 2019 

Precedido por
Josué Montello
  AML - 2º acadêmico da cadeira 31
2007 — presente
Sucedido por