Abrir menu principal

Sítio Arqueológico de São Nicolau

O Sítio Arqueológico de São Nicolau é um conjunto de ruínas remanescentes da redução jesuítica homônima, que fazia parte dos Sete Povos das Missões. Está localizado no município gaúcho de de mesmo nome.

HistóriaEditar

Sua população antigamente habitava este mesmo local, na redução fundada pelo padre Roque Gonzales em 1626, mas havia sido expulsa pelos ataques dos bandeirantes de Francisco Bueno. Passaram para a Argentina e fundaram a redução dos Apóstolos, para onde afluíram refugiados também da redução de Tapes. Em 1687 estes povos se uniram e voltaram ao Rio Grande, e refundaram São Nicolau em 2 de fevereiro.

Este renascimento foi marcado por um ciclone e um incêndio, desastres que destruíram boa parte das instalações, incluindo a igreja. Mas logo a redução voltou a se recompor, reconstruindo o templo em pedra sob a orientação do padre Anselmo de la Matta. Chegou a possuir 7.751 pessoas em 1732, e deu origem à cidade de São Nicolau.

AtualidadeEditar

Atualmente o local preserva o piso original, parte das paredes externas em pedras de arenito, parte de suas colunas de sustentação, alicerce, altar-mor; os remanescentes do Cabildo, a adega e o sistema de esgoto da redução.[1]

O Sítio Arqueológico de São Nicolau, juntamente com os sítios de São Miguel Arcanjo, São João Batista e São Lourenço Mártir, todos situados no Rio Grande do Sul e que antes integravam as reduções dos Setes Povos das Missões, estão hoje sob a proteção do Governo Federal e são reconhecidos como Patrimônio Nacional.

Referências

  1. «O Que Visitar». Consultado em 17 de junho de 2018 

Ligações externasEditar