Salvador Carvalho do Amaral Gurgel

Salvador Carvalho do Amaral Gurgel
Nascimento 16 de fevereiro de 1762
Morte 10 de dezembro de 1812 (50 anos)
Cidadania Brasil
Ocupação cirurgião

Salvador Carvalho do Amaral Gurgel (Parati, 16 de fevereiro de 1762 - Ilha de Moçambique, 10 de dezembro de 1812[1]) foi um cirurgião prático e envolvido na Inconfidência Mineira.

Filho do capitão-mor Salvador Carvalho Cunha do Amaral Gurgel e de Domiciliana de Jesus, então amante de seu pai. De Parati, Gurgel mudou-se para a capital, Rio de Janeiro, onde tirou a carta de praticante de cirurgia em 1787, e no mesmo ano mudou-se para Vila Rica, onde viria conhecer o clima mais libertário das ideias iluministas, estudadas em Minas Gerais.[1]

Devido a sua participação na Inconfidência Mineira foi condenado a forca em 17 e abril de 1792, pena que foi comutada para degredo pela rainha D. Maria I através de carta régia, em segredo, 18 meses antes do anúncio da pena, em 15 de outubro de 1790.[1] Foi para a Ilha de Moçambique, onde atuou como cirurgião e ocupou o cargo de vereador da vila de Inhambane, sendo transferido, em 1804, para o regimento de infantaria da Ilha de Moçambique, como cirurgião-mor. Em Inhambane, Gurgel fabricava medicamentos na botica do regimento e os distribuía entre os pobres, gratuitamente. Viveu em degredo até a sua morte, em 10 de dezembro de 1812.[2]

Referências

  1. a b c Adelto Gonçalves (2010). «O inconfidente que virou santo: estudo biográfico sobre Salvador Carvalho do Amaral Gurgel». Estudos Avançados. Consultado em 11 de julho de 2016 
  2. Adelto Gonçalves (2007). «Desonrados e banidos». Revista de História. Consultado em 11 de julho de 2016 

Ver tambémEditar