Abrir menu principal

Sandaramet ou Spandaramet era uma deusa da mitologia arménia. O termo Spandaramet foi usado pelos primeiros cristãos arménios na tradução do grego Dionísio, e Sandaramet na tradução de Hades.

O principal deus da Arménia era Aramazd, chamado de Arquiteto do Universo, Criador dos Céus e da Terra. Sua esposa se chamava Sandaramet. Ele era o pai dos outros deuses, e tinha várias filhas, dentre as quais Anahit, a mais famosa deusa da Armênia, que correspondia à deusa grega Ártemis, e era a mãe da castidade, Astghik, a deusa de beleza e a personificação da Lua, correspondente à deusa fenícia Astarte, e a terceira, Nané ou Nooné, deusa da invenção.[1]

Dos três arcanjos do zoroastrismo (Amesha Spentas), apenas Spenta Armaiti está presente, de forma inquestionável, no panteão arménio, onde assume os nomes de Spandaramet ou Sandaramet, sendo o último nome usado com o significado de Abismo ou Hades. Na mitologia Avesta, Spandaramet era o espírito da terra e guardiã das vinhas; pelo último significado, os escritores arménios cristãos do século V usaram este nome para traduzir Dionísio, que ocorre em II Macabeus 6:7. Pela associação de Sandaramet com o Abismo, esta palavra foi usada como um sinônimo de Hades, uma ideia que já aparece no Avesta.[2]

Referências

  1. Zabelle C. Boyajian, Armenian Legends and Poems [1916], Armenian Paganism [em linha]
  2. B. H. Kenneth, Armenia, p.795s [em linha]