Santini’s Netzwerk

filme de 2014 dirigido por Georg Brintrup

Santini’s Netzwerk (La Rete di Santini, em italiano) é um documentário musical do diretor alemão Georg Brintrup de 2014. O filme conta a vida e a obra do abade romano Fortunato Santini (1777-1861) que consegue, em apenas cinquenta anos, montar a biblioteca musical privada mais completa do mundo.

Santini’s Netzwerk
La Rete di Santini
 Itália /  Alemanha
2014 •  cor •  85 min 
Realização Georg Brintrup
Produção Lothar Mattner
WDR ARD
Lichtspiel Entertainment GmbH
Produção executiva Wulf-Ernst Hoffer
Argumento Georg Brintrup,
Mario Di Desidero
Elenco Renato Scarpa
John Gayford
Maximilian Scheidt
Harald Redmer
Domenico Galasso
Claudio Marchione
Pietro M. Beccatini
Antonio Giovannini
Florian Steffens
Emanuele Paragallo
Género musical
Música Vários autores e Flavio Colusso
Cinematografia Benny Hasenclever
Marco Leopardi
Diego D'Innocenzo
Dieter Fietzke
Alessandro Iafulla
Valerio Cesaroni
Direção de arte Raffaele Golino
Änne Schanz-Kölsch
Figurino Raffaele Golino
Edição Georg Brintrup
Lançamento Itália 1 de abril de 2014
Alemanha 9 de abril de 2014
Idioma italiano, alemã, inglês

SinopseEditar

O velho abade Santini narra a um jovem capelão alemão a sua vida e a história da coleção. O capelão convenceu Santini a vender a coleção ao bispo de Münster na Vestfália.

A narração de Santini alterna-se com as intervenções de Edward Dent, o famoso musicólogo inglês. Dent descreve como descobriu a coleção e suas vicissitudes durante o nazi-facismo, a guerra e, ainda depois, quando um dilúvio que a dizimou.

Os dois níveis narrativos são integrados por intervenções de historiadores e musicólogos contemporâneos (Markus Engelhardt do Instituto Histórico Alemão em Roma e Peter Schmitz da Universidade de Münster), mas também e sobretudo de comentários musicais: obras mais ou menos conhecidas de música antiga italiana e alemã, apresentadas por músicos dos dois países.

TemaEditar

Fortunato Santini foi um sacerdote que viveu em Roma e passou sua vida a colecionar partituras musicais, sejam originais ou cópias. O objeto da coleção foi sobretudo as partituras de música mais antiga, encontradas em Roma, nas bibliotecas privadas e eclesiásticas, mas também no resto da Itália e fora dela, graças a uma apurada rede de contatos que o abade conseguiu tecer através de trocas e vendas de cópias. Deve-se a ele o fato de muitas composições de música europeia terem chegado até a nós.

A coleção é composta de 20.000 títulos em 4.500 manuscritos e 1.200 impressões, e é a biblioteca musical privada mais completa do mundo.[1]

O filme retrata a vida do abade contando como o musicólogo sozinho e sem grande capital conseguiu juntar uma coleção de música tão importante e, além disso, sem quase nunca sair de Roma.

Seu segredo era, exatamente, a apurada rede de contatos, na Itália e no exterior, com outros musicólogos. Uma rede que se espalhou entre as principais cidades da Europa, de Roma a Bolonha, Veneza, Paris, Bruxelas, a Oxford, Londres, Copenhague, Berlim, Munique, Aachen, Viena e até mesmo Moscou e São Petersburgo.

A trilha sonora teve a curadoria do Ensemble Seicentonovecento de Roma, da Capela Musical de Santa Maria dell'Anima, dirigida pelo mestre Flavio Colusso e da Capela Ludgeriana da Catedral de Münster, dirigida por Andreas Bollendorf e Verena Schürmann.

Todas as músicas do filme fazem parte da coleção e são de Antonio Lotti, Tomás Luis de Victoria, Cristobal de Morales, Giacomo Carissimi, Francesco Durante, Giovanni Battista Martini, Palestrina, Carl Heinrich Graun, Händel e Bach, mas também de Alessandro Melani, Domenico e Alessandro Scarlatti, Francesco Durante e do próprio Fortunato Santini.

O filme deu um impulso ao projeto cultural ítalo-alemão "La Via dell'Anima" [2] (O Caminho da Alma), destinado a aprimorar e divulgar - através de concertos, eventos litúrgicos, filmes, edições musicais - o imenso patrimônio musical constituído pela coleção

Trilha sonoraEditar

No. Compositor obra
1. Antonio Lotti Crucifixus
2. Tomás Luis de Victoria Salve Regina
3. Cristóbal de Morales Lamentabatur Jacob
4. Giacomo Carissimi Jephte, Plorate filii Israel
5. Antonio Caldara Kyrie aus der Missa Dolorosa
6. Francesco Durante Lamentationes Jeremiae Prophetae
7. Palestrina Kyrie aus der Missa Ut-Re-Mi-Fa-So-La
8. Giovanni Battista Martini Sonata g-moll für Orgel, Sarabanda
9. Palestrina Aleph III
10. Carl Heinrich Graun Der Tod Jesu
11. Georg Friedrich Händel Non esce un guardo mai
12. Georg Friedrich Händel Resurrezione
13. Alessandro Melani Magnificat
14. Johann Sebastian Bach Passio secundum Joannem
15. Fortunato Santini Te Deum a Due Cori
16. Domenico Scarlatti Sonatas in f-Moll K. 519
17. Francesco Durante Requiem Lacrimosa
18. Alessandro Scarlatti Agar et Ismaele esiliati, grave
19. Domenico Scarlatti sonata in f minor L.281 K.239
20. Georg Friedrich Händel Israel in Egypt / a thick darkness
21. Fortunato Santini Sancte Paule Apostole

Referências

  1. Peter Schmitz e Andrea Ammendola (curadores): Sammeln – Komponieren – Bearbeiten. Der römische Abbate Fortunato Santini im Spiegel seines Schaffens [Catálogo da mostra sobre Fortunato Santini na Biblioteca Diocesana de Münster de 15 setembro a 31 dezembro de 2011], Münster 2011
  2. Apresentação do projeto

Ligações externasEditar