Severianos

Disambig grey.svg Nota: Para os membros da tribo gnóstica encratita, veja Severianismo.

Sevérios (em latim: Severii; russo: Северяне; em ucraniano: Сiверяни) é uma tribo ou onfederação tribal de eslavos orientais primitivos e que habitava a região a leste do médio Dniepre, na área da bacia dos rios Desna, rio Seim e Sula, uma região de cultura arqueológica Romny.

Território europeu habitado pelas tribos eslavas orientais nos séculos VIII e IX

EtimologiaEditar

A etimologia do nome dos severianos é controversa. O nome da região de Severia originou-se das tribos eslavas. Uma hipótese propõe derivação da palavra eslava para "norte" (Север, transl. sěver;homens do norte [1]). Mas os severianos jamais foram a tribo eslava mais setentrional.

Outra teoria propõe uma derivação iraniana do nome dado à tribo sármata, Seuer (seu significando "negro").[2]

Outros estudiosos argumentam, com base na Carta de Kievan (c. 930), que os judeus chamavam essa tribo de Sawarta - palavra escrita, em hebraico, como SWRTH, e lida como Sur'ata ou Sever'ata, por derivação do eslavo sirota ("órfão"; possivelmente significando, na carta, "convertido"). Outros defendem que o nome "severiano" viria do magiar savarti ("negro"; possivelmente por empréstimo do proto-guermânico swartaz).[3] Com base nos escritos do Geógrafo Bávaro, outros conectam o etnônimo aos zuierani[4] aos zeriuani,[5] aos sebbirozi ou, mais provavelmente, aos sabires[4][5]).[6]

HistóriaEditar

Eles eram vizinhos das tribos dos viatiques e radimiques ao norte e dos drevlianos e polanos orientais a oeste. As fronteiras sul e leste do território tribal jamais foram ocupadas de maneira permanente e ele podia se estender por alguns períodos até o rio Donets.[carece de fontes?]

A existência dos severianos como uma unidade política pode ser comprovada no período do século VIII ao XI. Eles foram tributários dos cazares nos séculos VIII e IX, foram anexados por Olegue de Novogárdia ao estado da Rússia de Quieve juntamente com os polanos orientais no final do século IX e participaram da campanha de Olegue contra Constantinopla em 907. No final, eles acabaram incorporados ao Principado de Czernicóvia e eles despareceram do registro histórico depois de 1024[a]

Os severianos foram mencionados principalmente pelo Geógrafo Bávaro]], por Constantino VII Porfirogênito, pelo grão cã cazar cazar José (c. 960) e pela Crônica Primária.[carece de fontes?]

As principais cidades severianas foram Czernicóvia, Curscha e Novogárdia Sevéria. Arqueólogos também encontraram diversos assentamentos rurais do período severiano e túmulos, com corpos cremados.[carece de fontes?]

Uma parte da tribo migrou para o sudoeste e se assentou na região ao sul da planície da Panônia (Banato), onde os severianos se misturaram aos sérvios; outra parte foi para o sul dos Cárpatos. A nome da região de Severino, do Reino da Hungria medieval, situada a sudeste de Banato, é uma referência aos severianos.[carece de fontes?]

NotasEditar

[a] ^ A história da região daí em diante pode ser vista em Sevéria, um nome derivado.

Referências

  1. Simon Franklin; Jonathan Shepard (2014). The Emergence of Russia 750-1200. [S.l.]: Routledge. pp. 77–78, 109, 120, 195, 197. ISBN 9781317872238 
  2. «The Ukrainian Quarterly». Ukrainian Congress Committee of America. The Ukrainian Quarterly. 56: 184. 2000 
  3. Kevin Alan Brook (2006). The Jews of Khazaria. [S.l.]: Rowman & Littlefield. pp. 105–106, 55, 58, 35. ISBN 9781442203020 
  4. a b Łuczyński, Michal (2017). «"Geograf Bawarski" — nowe odczytania» ["Bavarian Geographer" — New readings]. Polonica (em polaco). XXXVII (37): 73. doi:10.17651/POLON.37.9. Consultado em 4 de agosto de 2020 
  5. a b Krzysztof Tomasz Witczak (2013). «Poselstwo ruskie w państwie niemieckim w roku 839: Kulisy śledztwa w świetle danych Geografa Bawarskiego». Slavia Orientalis (em polaco e inglês). 62 (1): 25–43 
  6. Henryk Łowmiański (1986). Studia nad dziejami Słowiańszczyzny, Polski i Rusi w wiekach średnich. [S.l.]: Uniwersytet im. Adama Mickiewica w Poznaniu. pp. 161–169 

BibliografiaEditar

  • Jovan M. Pejin; Iz prošlosti Kikinde; Kikinda; 2000.
  • Istorijski atlas; Zavod za udžbenike i nastavna sredstva - Zavod za kartografiju "Geokarta"; Beograd; 1999.
  • Školski istorijski atlas; treće izdanje; Zavod za izdavanje udžbenika Socijalističke Republike Srbije; Beograd; 1970.