Shine (álbum de Cyndi Lauper)

álbum de Cyndi Lauper

Shine é o oitavo álbum de estúdio da cantora americana Cyndi Lauper, lançado exclusivamente no Japão, em 2004. Seria lançado em 2001, mas a Edel Records, a gravadora sob a qual o projeto foi gravado, o engavetou. As faixas vazadas de um disco de demonstração circularam rapidamente na Internet e em 2002 Lauper percebeu que não havia mais sentido em tentar lançá-lo de forma convencional. Em vez disso, dois EPs foram lançados: um deles também intitulado Shine e o outro de Shine Remixes.[2][3] Até dezembro de 2003 o EP Shine vendeu 41.000 cópias nos Estados Unidos, de acordo com a Nielsen SoundScan. Explora o som que Lauper desenvolveu em, Sisters of Avalon, de 1997. Suas canções são majoritariamente pop que flertam com a música eletrônica e a new wave enquanto incorpora instrumentos tradicionais como cítaras e violinos.[2] As canções não são liricamente ligadas e exploram temas que vão desde o complexo Madonna–whore à vida de celebridade.

Shine
Álbum de estúdio de Cyndi Lauper
Lançamento 15 de março de 2004[1]
Gravação 1999/2000
Gênero(s) Pop rock, dance-pop
Duração 54:48
Idioma(s) Inglês
Gravadora(s) Epic Records
Produção Cyndi Lauper, William Wittman
Cronologia de Cyndi Lauper
Merry Christmas...Have a Nice Life
(1998)
At Last
(2003)
Singles de Shine
  1. "Shine"
    Lançamento: 2002 (2002)

Produção e conteúdoEditar

As gravações ocorreram em Connecticut e na cidade natal da cantora, Nova York, e foi co-produzindo com seu colaborador de longa William Wittman.[4] A música "Shine", que serviu de título para o disco, foi a escolhida como primeiro single e seu lançamento estava programado para 11 de setembro de 2001, pela Edel America Records.[4] O disco Shine seria o primeiro de canções inéditas desde Merry Christmas...Have a Nice Life, de 1998. O lançamento que deveria ter ocorrido em 2001 foi adiado, pois a gravadora que ela havia acabado de assinar decretou falência e deixou de existir.[5]

Entre as canções que se destacam no disco está a faixa "It's Hard to be Me", cuja letra fala sobre Anna Nicole Smith, uma atriz e modelo erótica estadunidense, conhecida por ter sido a capa da Playboy e namorada do bilionário J. Howard Marshall II, um senhor de 89 anos; o relacionamento mobilizou a opinião pública, principalmente após a morte de Marshal II.[6] A frase "It's Hard to be Me" (É difícil ser eu, em português) foi dita por Smith no tribunal, na disputa pela herança.[7] Sobre o relacionamento do casal, Lauper disse: "Aquela mulher já deveria ter ficado com todos os milhões apenas por ter transado com aquele velho uma vez".[7] Smith tentou comprar os direitos da música, para utilizá-la como tema de seu reality show, mas Lauper recusou.[8] Em 2010, Lauper permitiu que o piloto de televisão da produção independente Hard to Be Me usasse a faixa como tema.[8]

Outra canção de destaque é "Madonna Whore" (Madonna prostituta, em português), muito embora houvessem especulações sobre a canção ser sobre a cantora pop (e tida como "rival" de Lauper nos anos de 1980, pela mídia) Madonna, a cantora negou essa possibilidade em entrevistas.[9] Foi incluida uma versão de "Who Let In The Rain" com diferentes arranjos da versão que aparece em Hat Full of Stars, que a cantora lançou em 1993: .[4]

Lançamento e promoçãoEditar

O lançamento ocorreu de forma independente, após problemas com a multinacional Epic Records, que iniciaram desde a produção de True Colors, ela chegou a dizer que: "precisava me afastar e precisava explorar um caminho independente."[10] O EP foi finalmente lançado pelo selo independente Oglio em 16 de julho de 2002, mas os fãs já tinham contato com as músicas pois elas já tinham vazado na internet.[9]

A promoção contou com um show em parceria com a cantora Cher.[9] Durante a turnê, Lauper relatou ter ficado surpresa com o fato de boa parte do público saber cantar as canções do disco, mesmo a sua distribuição sendo pequena, feita por algumas lojas e pelo site oficial da cantora.[9]

Desempenho comercialEditar

Em 3 de agosto de 2002, o EP atingiu a posição de #42 na parada de sucessos Independent Albums da revista Billboard, permanecendo por por apenas duas semanas nela.[11] Até dezembro de 2003, o EP conseguiu vender mais de 41.000 cópias nos Estados Unidos, de acordo com a Nielsen SoundScan.[12]

FaixasEditar

EPEditar

  • Créditos retirados do encarte do EP Shine, de 2002.[2]
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Shine"  Cyndi Lauper, William Wittman 4:33
2. "It's Hard to Be Me"  Lauper, Rob Hyman, Wittman 3:51
3. "Madonna Whore"  Lauper, Wittman 3:34
4. "Water's Edge"  Lauper, Hyman 5:22
5. "Shine" (The Illicit Mix)Lauper, Wittman 4:33

ÁlbumEditar

  • Créditos retirados do encarte do álbum Shine, lançado em 2004.[13]
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Shine"  Cyndi Lauper, William Wittman 4:33
2. "It's Hard to Be Me"  Lauper, Rob Hyman, Wittman 3:51
3. "Madonna Whore"  Lauper, Wittman 3:34
4. "Wide Open"  Lauper, Jan Pulsford 3:48
5. "Rather Be with You"  Lauper, Doc Fleming, Marcello Nines 3:24
6. "Who Let in the Rain"  Lauper, Allee Willis 4:33
7. "Comfort You"  Lauper, Jan Pulsford 4:11
8. "Eventually"  Lauper, Ryuichi Sakamoto 5:28
9. "Waiting For Valentino"  Lauper, Jan Pulsford 5:10
10. "This Kind of Love"  Lauper, Nines 3:53
11. "Higher Plane"  Lauper, Jan Pulsford 4:13
12. "Water's Edge"  Lauper, Hyman 5:22
13. "I Miss My Baby"  Lauper, Jan Pulsford 3:22

TabelasEditar

Tabelas semanaisEditar

Tabela musical (2002-2004) Melhor
posição
Total
de semanas
Japanese Albums (Oricon)[14] 120 5
Billboard (Top Independent Albums)[15] 42 2

Referências

  1. Gath, Calvin. «Shine is released in 2004 in Japan». amazon. Consultado em 27 de abril de 2013 
  2. a b c (2002) Créditos do álbum Shine (EP) por Cyndi Lauper [CD]. Estados Unidos: Oglio Records (OGL82015-2).
  3. (2003) Créditos do álbum Shine Remixes por Cyndi Lauper [CD]. Estados Unidos: Oglio Records (OGL82019-2).
  4. a b c Vanhorn, Teri (21 de junho de 2001). «Cyndi Lauper Returns To Have More Fun With Shine». MTV. Consultado em 6 de setembro de 2021. Cópia arquivada em 26 de março de 2019 
  5. Triplett, Gene (16 de agosto de 2002). «Still having fun Opening for Cher serves as inspiration for Cyndi Lauper». The Oklahoman. Consultado em 6 de setembro de 2021. Cópia arquivada em 6 de setembro de 2021 
  6. Alonso, Guillermo (7 de maio de 2018). «O ancião e a 'stripper': a história inacabada do casamento mais estrambótico do século XX». El País. Consultado em 6 de setembro de 2021. Cópia arquivada em 6 de maio de 2021 
  7. a b «Cyndi Lauper tenta voltar ao pop». O Estado de S. Paulo. 1 de julho de 2002. Consultado em 6 de setembro de 2021. Cópia arquivada em 6 de setembro de 2021 
  8. a b «Filmmaker with Wausau roots brings TV pilot back to central Wisconsin». Wausau Daily Herald. Consultado em 9 de novembro de 2010 [ligação inativa] 
  9. a b c d Franco, Jose (23 de agosto de 2002). «20 years after her girl-power anthem, Cyndi Lauper still just wants to have fun». GoUpstate.com. Consultado em 6 de setembro de 2021. Cópia arquivada em 6 de setembro de 2021 
  10. «Lauper Reveals Her Torch Song Side». Billboard. 3 de agosto de 2003. Consultado em 6 de setembro de 2021. Arquivado do original em 23 de setembro de 2014 
  11. «Wonder, Bennett Guest On Lauper Set». Billboard.com. Consultado em 7 de outubro de 2013. Arquivado do original em 4 de outubro de 2014 
  12. Barth, Keith (3 de dezembro de 2003). «Ask Billboard». Billboard. Consultado em 6 de setembro de 2021. Arquivado do original em 21 de setembro de 2014 
  13. (2004) Créditos do álbum Shine por Cyndi Lauper [CD]. Japão: Epic Records (EICP 358).
  14. «シンディ・ローパーのCDアルバムランキング、シンディ・ローパーのプロフィールならオリコン芸能人事典-ORICON STYLE» (em japonês). www.oricon.co.jp. Consultado em 3 de julho de 2011 
  15. Chart History: Cyndi Lauper - Independent Albums Billboard.com. Consultado em 6 de setembro de 2021.