Abrir menu principal

A Shtriga (derivada da romana Strix; compare também com a romena Striga e a polaca Strzyga), segundo o folclore albanês, é uma bruxa vampírica que suga o sangue dos bebês à noite enquanto dormem, e então se transforma em um inseto voador (tradicionalmente um traça, mosca ou abelha). Só a própria Shtriga pode curar aqueles que tinha drenado (frequentemente cuspindo em suas bocas), e aqueles que não foram curados inevitavelmente adoecem e morrem.

Índice

RegistrosEditar

Edith Durham registrou vários métodos tradicionalmente considerados eficazes para se defender da Shtriga. Uma cruz feita do osso de suínos pode ser colocada na entrada de uma igreja no domingo de Páscoa, tornando qualquer Shtriga que estiver lá dentro incapaz de sair. Elas poderiam então ser capturadas e mortas na soleira da porta em que tentaria em vão passar. Ela ainda registrou a história que diz que, depois de drenar o sangue de sua vítima, a Shtriga geralmente vai para dentro de uma floresta e o regurgita. Se uma moeda de prata for embebida nesse sangue regurgitado e envolvido num pano, ela se torna um amuleto que oferece proteção permanente contra qualquer Shtriga.[1]

A Shtriga é frequentemente retratada como uma mulher com cabelos pretos e longos (às vezes vestindo uma capa) e um rosto terrivelmente desfigurado. Elas se recusam a comer qualquer coisa picante ou que contenha alho.

Características geraisEditar

  • A Shtriga, após determinar seus alvos, costuma assumir a forma de alguém próximo a estes, como seus cuidadores ou parentes próximos. Costuma agir durante a noite, andando ou flutuando em direção ao paradeiro do bebê que, se for drenado, dissecará até a morte. O unico método conhecido para salvar as vítimas da Shtriga é se a própria quiser cuspir o sangue de volta ou se for morta, sendo a segunda opção obrigatoriamente executada durante a alimentação da bruxa, que deverá ser atingida no coração por um objeto de ferro. Há várias formas de detectar a presença de uma destas, como um alto número de crianças mortas ou mãos e pés pretos gravados em madeira de janelas e portas, que significam a passagem dela drenando até mesmo a madeira que toca.
  • A Shtriga é dotada de habilidades que a tornam perigosa. Sua longevidade, por exemplo, é dada pela absorção da força vital de outros indivíduos, então seu tempo de vida é indeterminado. Além disso possui força e velocidade sobre-humanas, facilitando na hora de dominar aqueles que tentam caçá-la ou de fugir deles caso seja necessário.

A Shtriga na cultura popularEditar

  • O seriado de terror para TV Sobrenatural teve um episódio em que Dean acredita ter uma Shtriga atacado Sam durante a sua infância. A Shtriga só poderia ser morta por uma bala de ferro bento enquanto se alimentava de Spiritus Vitae, "Sopro Vital" em latim. A Shtriga se apresentava como um médico do hospital da cidade.

Trata-se do episódio 18 da primeira temporada, denominado no Brasil de Alguma Coisa Maligna (Something Wicked, no original).

  • O cantor brasileiro Raul Seixas escreveu-lhe uma música na qual Shtriga é chamada de "Senhora Dona Persona".

Ver tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. Durham, Edith: High Albania (London, Phoenix Press, 2000), pp. 87–88.

Ligações externasEditar