Abrir menu principal

Si Versailles m'était conté...

filme de 1954 dirigido por Sacha Guitry
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, cine e melhore este verbete conforme o guia de tradução.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Cinema.
Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde dezembro de 2017.
Si Versailles m'était conté...
 França
1954 •  cor •  165 min 
Direção Sacha Guitry
Género comédia cinematográfica
filme de drama
filme de ficção histórica[1]
Idioma língua francesa
Página no IMDb (em inglês)

Si Versailles m'était conté... é um filme francês[2][3] de 1954 dirigido por Sacha Guitry.

É considerado uma das maiores produções de Sacha Guitry ao qual recorreu para um dos maiores atores franceses de sua época.[1]

Si Versailles m’était conte é uma das últimas produções de Guitry, que faz parte dos três grandes filmes históricos de sua carreira, para os quais recebeu inúmeros elogio de crítica, sendo que Si Versailles m’était conte é considerado o melhor dos três, os outros dois são Napoléon e Si Paris nous était conté.[1] O filme conta com a participação de diversas estrelas e personalidades da indústria do entretenimento da época, incluindo Édith Piaf, Orson Welles, Jean Marais, Gérard Philipe e Claudette Colbert. Este também foi um dos primeiros filmes da carreira de Brigitte Bardot.

EnredoEditar

A história realiza-se durante um período de 300 anos em torno do Palácio de Versalhes, a história centra-se nas várias intrigas amorosas e políticas dos três reis franceses. A trama consegue dirige seu caminho através da Revolução Francesa, chegando a uma parada no "presente".[4][5]

No início do filme é mostrada a construção do Palácio de Versalhes, onde aparecem os arquitetos Louis Le Vau e Jules Hardouin-Mansart, o jovem Louis XIV, também mostra as visitas de pessoas importantes como Benjamin Franklin.[6]

No filme, o diretor Sacha Guitry está menos preocupado com precisão do que com a atmosfera do período, pois Robespierre e Maria Antonieta nunca se conheceram, mas no filme sim.[6]

Elenco principalEditar

Produção e legadoEditar

Esse foi o primeiro filme que recebeu a permissão de ser filmado no Palácio de Versalhes, embora a falta de rigor com os fatos históricos não tenha sido bem recebida pelo comitê encarregado de Versalhes.[6]

A Enciclopédia de filmes internacionais diz que apesar do filme ter atores bem conhecidos, do filme possuir momentos divertidos, às vezes o filme se mostrava muito prolixo.[7] Segundo o TV Guide, o filme é interessante pois mostra como era o Palácio de Versalhes no século XVIII.[6] Quanto a classificação, o TV Guide deu três estrelas de um total de cinco,[6] o site frenchfilmsite.com avaliou o filme com três estrelas de um total de cinco,[1].

  A Wikipédia tem os portais:

Referências

  Este artigo sobre um filme francês é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.