Sibila de Jülich-Cleves-Berg

Sibila de Jülich-Cleves-Berg (em alemão: Sibylle von Jülich-Kleve-Berg; Cleves, 26 de Agosto de 1557Günzburg, 1628) foi uma nobre alemã, pertencente à Casa de La Marck. Era filha de Gilherme, o Rico [1], Duque de Jülich-Cleves-Berg e de Maria de Habsburgo (filha do imperador Fernamdo I).

Sibila de Jülich-Cleves-Berg
Sibila de Jülich-Cleve-Berg, por Lucas van Valckenborch
Cônjuge Carlos, Margrave de Burgau
Casa La Marck
Nome completo Sibylle von Jülich, Kleve und Berg
Nascimento 26 de agosto de 1557
  Cleves
Morte 1628 (71 anos)
  Günzburg
Pai Guilherme de Jülich-Cleves-Berg
Mãe Maria de Habsburgo

Viria a ser Margravina de Burgau por casamento.

BiografiaEditar

Com a morte de seu pai, em 1592, o irmão mais novo de Sibila, João Guilherme, herdou o trono dos Ducados Unidos de Jülich-Cleves-Berg. O novo Duque, fisicamente pouco atraente e mentalmente desequilibrado, veio a desenvolver uma doença mental.

Para agravar a situação, a corte, em Dusseldórfia, encontrava-se religiosamente dividida, entre católicos e protestantes. A posição geográfica e a riqueza dos ducados davam-lhes uma importância estratégica pelo que, rapidamente, deflagrou uma luta pelo poder entre Sibila e a cunhada, Jacobeia de Baden. Sibila acabou por se impor e aprisionou Jacobeia. Há rumores de que Sibila possa ter sido responsável pela morte violenta de Jacobeia, ocorrida em 1597.

Em 1601, Sibila casou com o seu primo Carlos, Margrave de Burgau, filho morganático do arquiduque Fernando II da Áustria. Em 1610, o casal mudou-se para a sua própria residência em Günzburg. Aí, ela manteve a sua própria corte feudal mesmo após a morte do marido, em 1618. Teve uma importante ação como patrono das artes, em particular da música.

Sibila morreu em 1628, sem deixar descendência, sendo sepultada na Igreja dos Capuchinos de Günzburg. Quando a igreja foi demolida, os seus restos mortais foram transladados para a igreja de St. Martin, também em Günzburg.

AscendênciaEditar

Ligações externasEditar

ReferênciasEditar

BibliografiaEditar

  • (em alemão) Hans Frei & Barbara Beck, Lebensbilder. Geschichte und Kunst in Bildnissen aus Schwaben, Oberschönenfeld, 2002, p. 170