Sitcom (filme)

Sitcom (no Brasil: Sitcom - Nossa linda família[1]) é um filme surrealista francês de sátira, escrito e dirigido por François Ozon lançado em 1998.[2] A história documenta o declínio moral de uma família suburbana outrora estimada, cuja queda na degeneração começa com a compra de um pequeno rato branco.[3][4]

O nome do filme é uma referência direta às sitcoms estadunidenses, que são conhecidas por seu foco nos valores familiares tradicionais e no humor caprichoso.[5]


Sitcom
Sitcom - Nossa Linda Família (BRA)
 França
1998 •  85 min 
Direção François Ozon
Produção Olivier Delbosc

Marc Missonnier

Roteiro François Ozon
Gênero sátira
Distribuição Mars Distribution
Lançamento 27 de maio de 1998
Idioma língua francesa

EnredoEditar

O patriarca (François Marthouret) de uma família nuclear aparentemente normal volta para casa de maneira cotidiana com um pequeno rato branco. O animal logo tem um efeito adverso sobre sua esposa (Évelyne Dandry) e seus filhos, influenciando-os a realizar seus desejos mais sombrios e ocultos.

O filho, Nicolas (Adrien de Van), anuncia em voz alta sua homossexualidade e começa a lançar orgias selvagens, a filha Sophie (Marina de Van) deliberadamente flerta com a morte e pratica sadomasoquismo no namorado (Stéphane Rideau), enquanto a mãe seduz o filho, ela pode "curá-lo" de sua orientação.

ElencoEditar

São parte do elenco do filme:[6]

  • Évelyne Dandry ... Mãe
  • François Marthouret ... Pai
  • Marina de Van ... Sophie
  • Adrien de Van ... Nicolas
  • Stéphane Rideau ... David
  • Lucia Sanchez ... Maria
  • Jules-Emmanuel Eyoum Deido ... Abdu
  • Jean Douchet ... Psicanalista
  • Sébastien Charles ... Garoto com piercing
  • Vincent Vizioz ... garoto de cabelo vermelho
  • Kiwani Cojo ... amigo de Nicolas
  • Gilles Frilay ... Homem com bigode
  • Antoine Fischer ... Gregory

Recepção da críticaEditar

No agregador de críticas, Rotten Tomatoes, o filme possui recepção mista. Recebeu 67% de aprovação da crítica e 68% de aprovação da audiência.[7]

Possíveis influênciasEditar

  • No notório filme Midnight Cowboy, de John Schlesinger, a mãe e o filho ocultam profundamente as frustrações sexuais depois que ela produz um pequeno rato branco de borracha.[8]
  • Outra inspiração pode ser o romance de Pier Paolo Pasolini e o eventual filme Teorema, que retrata a chegada de um estranho misterioso e sem nome na casa de uma família italiana de classe alta. Ele sistematicamente seduz todos os membros da família disfuncional, incluindo a mãe, que se torna ninfomaníaca como resultado, o pai, a filha, que ele deixa em estado catatônico, e o filho, que posteriormente percebe sua homossexualidade e se torna um artista.[9]

Ligações externasEditar

Referências

  1. AdoroCinema, Sitcom - Nossa Linda Família, consultado em 23 de julho de 2020 
  2. AlloCine, Sitcom (em francês), consultado em 23 de julho de 2020 
  3. Sitcom (1998) (em inglês), consultado em 23 de julho de 2020 
  4. Maslin, Janet (9 de abril de 1999). «FILM FESTIVAL REVIEW; Until the Erotic Encounter With the Rat, It Was Cool». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  5. Angélica de Oliveira, Maria (14 de maio de 2012). «O lugar do negro na sociedade americana (USA): vontades de verdade do programa humorístico Everybody hate Chris» (PDF). Universidade Federal da Paraíba. Consultado em 23 de julho de 2020 
  6. Sitcom, consultado em 23 de julho de 2020 
  7. Sitcom (1999) (em inglês), consultado em 23 de julho de 2020 
  8. «Midnight Cowboy - Weird Mouse Scene». 16 de setembro de 2017. Consultado em 23 de julho de 2020 
  9. «Teorema (Pier Paolo Pasolini, 1968) | RUA » Revista Universitária do Audiovisual». UFSCar. 17 de setembro de 2009. Consultado em 23 de julho de 2020