Abrir menu principal
Soyuz TMA-1
Insígnia da missão
Informações da missão
Sinal de chamada Донец ("Doyehz")
Número de tripulantes 3
Lançamento 30 de outubro de 2002
03:11:11 UTC
Baikonur LC1
Aterrissagem 4 de maio de 2003
02:04:25 UTC
Órbitas ~3 020
Duração 185d 22h 53m
Imagem da tripulação
Tripulação lançada: De Winne, Zalyotin e Lonchakov
Tripulação lançada:
De Winne, Zalyotin e Lonchakov
Navegação
Soyuz TM-34 logo.png Soyuz TM-34
Soyuz TMA-2 Soyuz TMA-2 Patch.png
Tripulação retornada:
Pettit, Bowersox e Budarin

Soyuz TMA-1 foi o quinto voo de uma nave Soyuz para a Estação Espacial Internacional e o primeiro de uma Soyuz da classe TMA, a mais moderna versão desta nave, ainda em utilização.[1][2][3]

TripulaçãoEditar

[1][2][3]Tripulação lançada na Soyuz TMA-1: (30 de outubro de 2002)

Tripulação retornada na Soyuz TMA-1: (4 de maio de 2003)

Parâmetros da MissãoEditar

MissãoEditar

A missão foi comandada pelo cosmonauta Sergei Zalyotin, que foi lançado ao espaço junto com a tripulação composta dos engenheiros de voo Frank De Winne e Yuri Lonchakov. A nave levou a bordo uma série de equipamentos de última geração, incluindo um novo computador de bordo testado com sucesso em voo. Enquanto a TMA-1 se encontrava acoplada em missão na ISS, o ônibus espacial Columbia, da NASA, desintegrou-se em sua reentrada na atmosfera em fevereiro de 2003, deixando a nave russa como única opção de transporte entre a Terra e a ISS e única opção de retorno dos residentes na estação, os integrantes da Expedição 6.[1][2][3]

Devido ao acidente com a Columbia, que deixou paralisado o programa dos ônibus espaciais, o retorno da TMA-1 foi feito com uma tripulação diferente da que foi lançada seis meses antes e pela primeira vez astronautas norte-americanos voltaram do espaço a bordo de uma nave espacial russa. No retorno à Terra, a nave teve problemas na reentrada, feita numa trajetória balística e profunda, o que causou uma exposição da tripulação - que retornou ilesa - à forças gravitacionais muito altas e levou a cápsula a aterrissar cerca de 450 km fora do local pré-determinado, ao norte do mar de Aral, no Cazaquistão.[1][2][3]

A comunicação entre a nave e o controle de terra foi interrompida durante e depois da descida por causa de perda de uma antena e paralisação de outras duas, fazendo com que a tripulação só conseguisse comunicação através de um transmissor de emergência após o pouso. Por causa deste incidente, a partir daí todas as missões Soyuz passaram a ter um telefone por satélite a sua disposição, para estabelecer conta(c)to com as forças de resgate e busca em terra.[1][2][3]


  • NOTA: O cantor norte-americano Lance Bass da boyband N' Sync, de grande sucesso popular internacional na época, estava escalado e em treinamento para participar desta missão, através do programa de turistas espaciais da Space Adventures, empresa dedicada a comercializar estas viagens com a Agência Espacial Russa. Entretanto, atrasos no treino e na missão, além da falta de pagamento total da viagem pelo artista, acabaram causando a sua substituição pelo cosmonauta Yuri Lonchakov.[2][3]

Ver tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. a b c d e f Mark Wade. «Soyuz TMA-1 ISS EP-4». Encyclopedia Astronautica. Consultado em 23 de julho de 2019 
  2. a b c d e f g Joachim Becker e Heinz Janssen (20 de abril de 2018). «Soyuz TMA-1». SPACEFACTS. Consultado em 23 de julho de 2019 
  3. a b c d e f g Anatoly Zak (5 de maio de 2012). «Soyuz TMA-1». RussianSpaceWeb. Consultado em 23 de julho de 2019 

Ligações externasEditar