Sférmion

(Redirecionado de Squark)

Na extensão supersimétrica do Modelo Padrão da física de partículas, um sférmion é uma s-partícula hipotética de spin 0 de seu férmion associado.[1][2] Cada partícula tem uma s-partícula, cujo spin difere 12 entre as duas. No Modelo Padrão, os férmions têm spin-½ e, portanto, os sférmions têm spin 0.[3][4]

O nome "sférmion" foi formado pela regra geral de colocar um prefixo "s" ao nome de sua s-partícula, denotando-se que é um bóson escalar com spin 0. Por exemplo, a s-partícula do elétron é o selétron e a do quark top é o squark stop.

Uma consequência da supersimetria é que s-partículas têm o mesmo número de gauge que suas parceiras no Modelo Padrão. Isso significa que pares s-partícula–partícula têm carga de cor, isospin fraco e hipercarga (e consequentemente carga elétrica) iguais. A supersimetria ininterrupta também implica que esses pares tenham a mesma massa. Evidentemente, não é o caso, uma vez que, desse modo, as s-partículas já teriam sido detectadas. Assim, s-partículas devem ter massas diferentes das de suas parceiras e assim a supersimetria é interrompida.[5][6]

Sférmions fundamentaisEditar

SquarksEditar

Squarks (também conhecidos como quarkinos)[7] são as s-partículas dos quarks. Esses incluem os squarks sup, sdown, scharm, sstrange, stop e sbottom.

Squarks
Squark Simbolo Quark associado Símbolo
Primeira geração
Squark sup   Quark up  
Squark sdown   Quark down  
Segunda geração
Squark scharm   Quark charm  
Squark sstrange   Quark strange  
Third generation
Squark stop   Quark top  
Squark sbottom   Quark bottom  

SléptonsEditar

Sléptons são as s-partículas dos léptons. Esses incluem selétron, smúon, stau e seus sabores de sneutrino correspondentes.[8]

Sléptons
Slépton Símbolo Lépton associado Símbolo
Primeira geração
Selétron   Elétron  
Sneutrino de selétron   Neutrino de elétron  
Segunda geração
Smúon   Múon  
Sneutrino de smúon   Neutrino de múon  
Third generation
Stau   Tau  
Sneutrino de stau   Neutrino de tau  

Ver tambémEditar

Referências

  1. He-sheng, Chen; Dongsheng, Du; Weiguo, Li (2005). High Energy Physics: Ichep 2004 - Proceedings Of The 32nd International Conference (In 2 Volumes) (em inglês). [S.l.]: World Scientific. p. 109. ISBN 9789814481274. Consultado em 30 de Setembro de 2019 
  2. Masayuki, Nakahata; Y, Itow; Masato, Shiozawa (2004). Neutrino Oscillations And Their Origin, Proceedings Of The 4th International Workshop (em inglês). [S.l.]: World Scientific. ISBN 9789814485586. Consultado em 30 de Setembro de 2019 
  3. Baer, Howard; Tata, Xerxes (2006). Weak Scale Supersymmetry: From Superfields to Scattering Events (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press. p. 129. ISBN 9781139455077. Consultado em 30 de Setembro de 2019 
  4. Cline, David B (1997). Flavor-changing Neutral Currents: Present And Future Studies: Proceedings Of The Symposium (em inglês). [S.l.]: World Scientific. p. 229. ISBN 9789814545822. Consultado em 30 de Setembro de 2019 
  5. Seamus, Hegarty; Keith, Potter; Emanuele, Quercigh (1992). Joint International Lepton-photon Symposium And Europhysics Conference On High Energy Physics - Lp-hep '91 (In 2 Volumes) (em inglês). [S.l.]: World Scientific. p. 500. ISBN 9789814555531. Consultado em 30 de Setembro de 2019 
  6. Khalil, Shaaban; Moretti, Stefano (2017). Supersymmetry Beyond Minimality: From Theory to Experiment (em inglês). [S.l.]: CRC Press. ISBN 9781315350875. Consultado em 30 de Setembro de 2019 
  7. Khlopov, Maxim Yu. (1999). Cosmoparticle Physics (em inglêa). [S.l.]: World Scientific. p. 53. ISBN 978-981-02-3188-0. Consultado em 23 de Junho de 2020 
  8. Masayuki, Nakahata; Y, Itow; Masato, Shiozawa (2004). Neutrino Oscillations And Their Origin, Proceedings Of The 4th International Workshop (em inglês). [S.l.]: World Scientific. p. 442. ISBN 9789814485586. Consultado em 30 de Setembro de 2019