Stargate (aparelho)

No universo de ficção científica homônimo, o aparelho chamado Stargate (inglês para "Portal das Estrelas") é um grande dispositivo anular e com propriedades supercondutoras que, por meio de tecnologias altamente avançadas, permite viajar pelo "subespaço", ao criar um buraco-de-minhoca estável entre portais, que geralmente estão localizados em diferentes sistemas planetários. Sua primeira aparição deu-se no longa-metragem para o cinema Stargate (1994), dirigido por Roland Emmerich, havendo sido posteriormente redesenhado para as telesséries Stargate SG-1, Stargate Atlantis e "Stargate Universe". O aparelho Stargate é a premissa central do enredo de todas aquelas produções, cujo foco é uma pequena equipe de protagonistas que explora outros planetas e encontra outros povos ao viajar "a pé", ao contrário de outras séries de ficção científica que pressupõem o uso de naves estelares.

O aparelho Stargate: fechos ("chevrons") [1], disco [2], glifos [3], horizonte de eventos [4].

Os Stargates possuem nove fechos (chevrons), fixos em volta de sua circunferência, bem como 39 símbolos\glifos, gravados num anel interior giratório. Costumam ter 6,7 m de diâmetro e cerca de 30 000 kg de peso, feitos de um material fictício chamado naquadah. Os Stargates quase sempre são vistos em pé, na vertical.

Segundo o enredo fictício, seus criadores foram uma raça alienígena conhecida como os Antigos, que os instalaram em diversos planetas e luas da Via Láctea e de outras galáxias há milhões de anos. São coletivamente chamados de "rede Stargate".

No longa-metragem, um Stargate foi descoberto em escavações arqueológicas em Gizé, no ano de 1928 e, anos depois, a Força Aérea dos EUA descobriu como operá-lo. Tal portal foi instalado no Egito Antigo pelos extraterrestres Goa'ulds, que instruiriam os nativos a construir as pirâmides, e inspirariam a mitologia egípcia, com seu líder em especial batizando o deus . Durante a série SG-1, se revela que milênios antes dos Goa'ulds, os Antigos instalaram um Stargate na Antártida.

Cada destino com um Stargate possui um "endereço" único, que corresponde a uma combinação não-repetida de (pelo menos) sete glifos. Assim sendo, o viajante deve "discar" os símbolos na ordem correta de modo a abrir um buraco-de-minhoca para o destino desejado.

Glifos do Stargate descoberto em GizéEditar

Cada glifo correspondem a uma constelação vista da Terra.

Posição Glifo Constelação Posição Glifo Constelação Posição Glifo Constelação
1   Símbolo de origem (Planeta Terra) 14   Microscopium 27   Taurus
2   Crater 15   Capricornus 28   Auriga
3   Virgo 16   Piscis Austrinus 29   Eridanus
4   Boötes 17   Equuleus 30   Orion
5   Centaurus 18   Aquarius 31   Canis Minor
6   Libra 19   Pegasus 32   Monoceros
7   Serpens Caput 20   Sculptor 33   Gemini
8   Norma 21   Pisces 34   Hydra
9   Scorpius 22   Andromeda 35   Lynx
10   Corona Australis 23   Triangulum 36   Cancer
11   Scutum 24   Aries 37   Sextans
12   Sagittarius 25   Perseus 38   Leo Minor
13   Aquila 26   Cetus 39   Leo

Ligações externasEditar

Página da Stargate no Brasil