Stornello

O Stornello (plural Stornelli) é uma breve composição poética, geralmente improvisada de forma muito simples, de temática amorosa ou satírica e semelhante a filastrocca (composição curta e rítmica, com sílabas repetidas e rimas extravagantes). É típico da Itália central, particularmente de Toscana, Lácio e Marcas.

Este tipo de composição é constituída por um número indefinido de versos e de estrutura muito simples. Cada verso é geralmente composto de três linhas:

  • O primeiro verso é um quinário (verso no qual o acento principal está na quinta sílaba) e, geralmente, contém a invocação a uma flor;
  • Os outros dois são hendecassílabos, dos quais o primeiro está em assonância e o segundo em rima com os versos de abertura.

Geralmente este tipo de composição é acompanhado por música ou é somente cantado.


Abaixo, segue um dos atos de Cavalleria rusticana, de Tozzetti e Menasci, como exemplo de stornello com invocação inicial a uma flor:


Fior di giaggiolo,
Gli angeli belli stanno a mille in cielo,
Ma bello come lui ce n'è uno solo.


Stornello Romano: As Cantigas RomanasEditar

O Stornello Romano (plural Stornelli Romani), também chamados de Stornelli Romanesche, é uma forma de canto popular que também contém rimas, sendo considerados como um aspecto pitoresco e popular da vida diária romana. Encaixam-se no panorama da música popular italiana com algumas características em particular: a zombaria e a sagacidade dos provérbios populares.

Nascidos a partir da improvisação e da inspiração de momento, as cantigas romanas eram cantadas nas tabernas, mas também por mulheres de varanda em varanda e pelos presos do cárcere romano Regina Coeli. O Stornello Romano, comumente curto e imediato, em seguida passou a ser reproduzido porcantores de rua, carroceiros ou vendedores ambulantes. Funcionavam e ainda funcionam como uma válvula de escape do povo romano quanto ao seu quotidiano.[1]

Sua autenticidade permaneceu intacta pelo menos até o final do século XIX. Neste período começou a ser objeto de pesquisas e transcrições. Mas é no pós-guerra italiano e nos vários festivais de música que este tipo de expressão popular romana adquire fama e grande difusão em toda a Itália; assim os stornelli tornaram-se símbolos de um romanesco unificador em termos de linguagem e das viagens ao exterior dos italianos na década de 1950. Tudo isto é notado com a aparição na televisão de alguns grandes intérpretes da música romana e italiana. [2]

Dentre suas principais características que o diferenciam de outros stornelli de outras regiões:

  • Temática romântica e de exaltação a Roma. Há a temática padrão de qualquer cantiga (stornelli), como o amor e a sátira;
  • Caráter burlesco, zombeteiro;
  • Escritos em dialeto romano (romanesco);

Abaixo, a letra de Roma nun fà la stupida stasera, um dos mais populares e conhecidos stornello romano.

Original Tradução

Roma nun fà la stupida stasera
damme 'na mano a faje di de si.
Sceji tutte le stelle
più brillarelle che poi
e un friccico de luna tutta pe' noi.


Faje sentì ch'è quasi primavera,
manna li mejo grilli pe' fa cri cri.
Prestame er ponentino
più malandrino che c’hai,
Roma nun fa la stupida stasera.


Roma nun fa la stupida stasera
damme 'na mano a faje di de si.
Sceji tutte le stelle
più brillarelle che poi
e un friccico de luna tutta pe' noi.


Faje sentì ch'è quasi primavera,
manna li mejo grilli pe' fa cri cri.
Prestame er ponentino
più malandrino che c’hai,
Roma nun fa la stupida stasera.

Roma não fazes a estúpida esta noite
me dás uma mão para fazer-lhe dizer de sim.
Escolhes todas as estrelas
mais brilhantes que podes
e um pedacinho de lua toda pra nós.


Fazes ela sentir que é quase primavera,
envias os melhores grilos pra fazer cri cri.
Emprestas-me a brisa de poente
mais malandra que tens,
Roma não fazes a estúpida esta noite.


Roma não fazes a estúpida esta noite
me dás uma mão para fazer-lhe dizer de sim.
Escolhes todas as estrelas
mais brilhantes que podes
e um pedacinho de lua toda pra nós.


Fazes ela sentir que é quase primavera,
envias os melhores grilos pra fazer cri cri.
Emprestas-me a brisa de poente
mais malandra que tens,
Roma não fazes a estúpida esta noite.


Principais IntérpretesEditar


Principais StornellosEditar

  • A li mortacci tua
  • Barcarolo romano
  • Daje de tacco
  • La Società de Magnaccioni
  • Le osterie
  • Me pizzica me mozzica
  • Osteria dell’Appia Ântica
  • Più semo e mejò stamo
  • Roma nun fa La stupida stasera
  • Semo gente de borgata
  • Semo Romani e volemo cantà
  • Tanto pe’ cantà
  • Te c’hanno mai mandato a quer paese
  • ‘Na gita a li Castelli
  • Vecchia Roma

ReferênciasEditar

Ligações externasEditar