Supergigante azul

Da esquerda para a direita: uma anã vermelha, uma anã amarela, uma anã azul e R136a1.

As supergigantes azuis são estrelas supergigantes de classe O ou B.

São extremamente quentes e luminosas, com temperaturas à superfície entre 20.000 e 50.000K. Têm tipicamente de 10 a 50 massas solares e podem atingir um raio 25 vezes superior ao raio do Sol. Esse raro tipo de estrelas está entre as estrelas mais quentes e brilhantes conhecidas no Universo.

Por causa de suas grandes massas estas estrelas têm uma expectativa de vida relativamente baixa e são observadas principalmente em jovens estruturas cósmicas tais como aglomerados abertos, nos braços de galáxias espirais e em galáxias irregulares. Supergigantes azuis raramente são observadas nos núcleos de galáxias espirais, galáxias elípticas ou aglomerados globulares, que geralmente têm estrelas mais velhas.

Principais supergigantes azuisEditar

Provavelmente a supergigante azul mais conhecida é Rigel, que com uma magnitude de 0,12 é a estrela mais brilhante da constelação de Orion. Sua luminosidade é 66.000 vezes maior que a do Sol e sua massa é de 20 massas solares. Outras supergigantes azuis conhecidas são Zeta Orionis, Alnilam e Saiph.

A tabela abaixo mostra as supergigantes azuis mais conhecidas.

Nome Tipo espectral Luminosidade (solar) Temperatura (K) Distância (anos-luz)
Rigel B8 Ia 85.000 11.000 910
Alnilam B0 Iab 375.000 25.000 1340
Zeta Orionis O9,5 Ib 100.000 31.000 800
Zeta Puppis[1] O5 Ia 360.000 42.000 970
Aludra B5 Ia 66.000 13.500 2000
Menkib B1 Ib 105.000 23.000 982
Eta Carinae WR pe 600.000 60.000 7.500

Ver tambémEditar

Referências

  1. KALER, J. «Naos». Consultado em 8 de novembro de 2012 
  Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.