Suzuki Keiji

militar japonês

Suzuki Keiji (Shizuoka, 6 de fevereiro de 189720 de setembro de 1967) foi um militar e agente da inteligência do Exército Imperial Japonês que participa da Segunda Guerra Mundial. Atuando principalmente na Birmânia, ajudou na criação do Exército de Independência da Birmânia, defendendo a independência birmanesa. Foi descrito como o "Lawrence da Arábia japonês".[1][2] O povo birmanês se refere a ele pelo nome de guerra Bo Mogyo, que significa "Comandante do Rayo". Mesmo assim, sua missão preparou o palco para a ocupação japonesa daquele país. Apesar de seu compromisso com a independência da Birmânia, Suzuki era contrário à independência da Coreia.[3]

Suzuki Keiji
Nascimento 6 de fevereiro de 1897
Shizuoka
Morte 20 de setembro de 1967 (70 anos)
Cidadania Japão
Ocupação militar
Lealdade Império do Japão

FormaçãoEditar

Suzuki foi treinado na Academia do Exército Imperial e graduou-se como oficial de infantaria em 1918. Posteriormente, frequentou a Academia de Guerra do Exército e iniciou operações clandestinas nas Filipinas. Seu foco principal, tanto em seus estudos quanto no início de sua carreira, eram assuntos anglo-americanos. O posto militar oficial de Suzuki era o de chefe da Seção de Transporte do Escritório do Estado-Maior do Exército Imperial Japonês. No entanto, ele foi treinado na Escola de Nakano e era um agente secreto da inteligência encarregado de localizar e interromper atividades afins na Ásia, fechando suas linhas de suprimento na estrada da Birmânia.[4]

OperaçõesEditar

Na década de 1930, Suzuki, operando fora de Bangkok, recrutou vários radicais e dissidentes birmaneses. Esta rede de associados mais tarde se tornaria parte da organização Minami Kikan (南 機関) de espiões encobertos. Ele tinha ligações estreitas com o Thakins, um grupo nacionalista de estudantes e trabalhadores. Em 1940, ele foi secretamente apresentado a Rangoon com a ajuda de sua rede de contatos, fazendo-se passar por jornalista de nome Minami Masuyo.[5]

Em 1941, o quartel-general imperial do Japão autorizou Suzuki a criar uma força militar birmanesa sob controle japonês. Suzuki reuniu os Trinta Camaradas, um grupo de combatentes da independência que incluía Aung San, Ne Win e Bo Let Ya. O trabalho de Suzuki acabou resultando na criação do Exército de Independência da Birmânia.[6] No entanto, em 1942, um comandante do exército japonês, tenente-general Shijiro Iida, começou a se preocupar com a posição pró-independência de Suzuki e sua autoridade sobre o Exército da Independência Birmanês, pelo que arranjou o regresso de Suzuki ao Japão, com o que o Exército de Independência Birmano foi posteriormente reorganizado e colocado sob o comando de Aung San (e ele, por sua vez, sob o controle japonês).[7] Suzuki regressou a Tóquio, e durante o restante da guerra desempenhou as funções de seu cargo oficial como chefe de transporte, supervisionando aspectos logísticos.[8]

Suzuki teve um dom para o dramático. Seu nome birmanês escolhido, Bo Mogyo, era uma referência ao raio que na tradição popular birmanesa sustentava que destruiria o "guarda-chuva" (um símbolo do domínio colonial britânico). Ele também permitiu que surgissem rumores que o ligavam a Myingun Min, um príncipe da família real birmanesa exilada, e envolveu em cultos de juramento de sangue com seus companheiros.[9]

Referências

  1. Bayly, Christopher Alan; Harper, Timothy Norman (2005). Forgotten Armies: The Fall of British Asia, 1941-1945 (em inglês). [S.l.]: Harvard University Press. ISBN 9780674017481 
  2. http://www.burmalibrary.org/docs19/Ba_Maw-1968-Breakthrough_in_Burma-en-ocr.pdf
  3. Rettig, Tobias; Hack, Karl (21 de dezembro de 2005). Colonial Armies in Southeast Asia (em inglês). [S.l.]: Routledge. ISBN 9781134314768 
  4. Mercado, Stephen C. (17 de março de 2003). The Shadow Warriors of Nakano: A History of the Imperial Japanese Army's Elite Intelligence School (em inglês). [S.l.]: Potomac Books, Inc. ISBN 9781612342177 
  5. Farquharson, Robert H. (2004). For Your Tomorrow: Canadians and the Burma Campaign, 1941-1945 (em inglês). [S.l.]: Trafford. ISBN 9781412015363 
  6. Seekins, Donald M. (2007). Burma and Japan Since 1940: From 'co-prosperity' to 'quiet Dialogue' (em inglês). [S.l.]: NIAS Press. ISBN 9788776940171 
  7. Henny, Sue; Lehmann, Jean-Pierre (17 de dezembro de 2013). Themes and Theories in Modern Japanese History: Essays in Memory of Richard Storry (em inglês). [S.l.]: A&C Black. ISBN 9781780939711 
  8. Man, John (2013). Ninja: 1000 Years of the Shadow Warriors (en inglés). Corgi. pp. 268–272. ISBN 9780552165341.
  9. Lebra, Joyce (2010). Japanese-trained Armies in Southeast Asia (em inglês). [S.l.]: Institute of Southeast Asian Studies. ISBN 9789814279444 
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Suzuki Keiji