Abrir menu principal

Stig Svante Stockselius (nascimento: 31 de Dezembro de 1955 em Hudiksvall) é um jornalista sueco e executivo de televisão, que é director dos Festivais da Canção na European Broadcasting Union, e foi o supervisor executivo do Festival Eurovisão da Canção (ESC) e do Festival Eurovisão da Canção Júnior até 2010.

Svante Stockselius cresceu em Ockelbo, uma pequena central no centro da Suécia.[1] Stockselius começou a sua carreira como jornalista. Durante 16 anos, trabalhou para o jornal da tarde baseado em Estocolmo de nome Expressen.[2]

Foi director da divisão de entretenimento da televisão pública da Suécia, a Sveriges Television, durante o final da década de 90, e trabalhou com o Festival Eurovisão da Canção 2000, realizado em Estocolmo.[3] Também foi o arquitecto da grande reformulação da competição de qualificação da Suécia para o ESC, o Melodifestivalen, em 2002, introduzindo quatro semi-finais e a ronda "Second Chance" antes da final. [4]

Depois da vitória da Estónia no ESC em 2011, Stockselius foi sondado pelo canal de televisão estónio, a ETV, para participar nas preparações do festival de 2002.[5] Em 2002, Stockselius foi trabalhar para o canal de televisão comercial Sueco TV4.[6] Em 2003 foi-lhe oferecido o trabalho como Supervisor Executivo do Festival Eurovisão da Canção.[7] Foi anunciado a 30 de Agosto de 2010 que iria resignar ao posto após o Festival Eurovisão da Canção Júnior 2010 para "dar a outros a oportunidade de levar o evento ao nível seguinte".[8]

Durante o tempo em que Svante Stockselius foi responsável pelo Festival Eurovisão da Canção, houve várias alterações no certame. Em 2004 foi introduzida uma semi-final no Festival, e em 2008 foi introduzida mais uma semi-final. Em 2009, foi reintroduzido o voto do júri, que na final valeu 50%. Em 2010, o voto do júri foi alargado às semi-finais, também a valerem 50%. Estas mudanças no festival devem-se a dois factores principais. Por um lado, entraram cada vez mais países no Festival, o que forçou a uma "pré-selecção" para a final do Festival, e consequentemente à introdução de uma, e mais tarde duas semi-finais. Por outro lado, o Festival tem um grande domínio de países balcânicos, o que levou várias televisões responsáveis dos países participantes a reclamarem devido ao facto de o festival ser ganho pelo "voto vizinho", o que levou à reintrodução do voto do júri.

Também durante o período de Svante Stockselius como responsável pelos Festivais da Canção foi introduzido o Festival Eurovisão da Canção Júnior (em 2003), e Festival Eurovisão da Dança (2007).

ReferênciasEditar

  1. Dagens Nyheter. «Prinsessan och pojken av folket». Consultado em 29 de janeiro de 2007 
  2. TV4.se. «Svante Stockselius till TV4». Consultado em 29 de janeiro de 2007. Arquivado do original em 24 de dezembro de 2012  |urlmorta= e |datali= redundantes (ajuda)
  3. YLE. «Svante Stockselius är chef för hela ESC». Consultado em 29 de janeiro de 2007. Arquivado do original em 8 de dezembro de 2012  |urlmorta= e |datali= redundantes (ajuda)
  4. Gylleneskor.se. «Melodifestivalen 2002». Consultado em 29 de janeiro de 2007 
  5. YLE. «Svante Stockselius är chef för hela ESC». Consultado em 29 de janeiro de 2007. Arquivado do original em 8 de dezembro de 2012  |urlmorta= e |datali= redundantes (ajuda)
  6. TV4.se. «Svante Stockselius till TV4». Consultado em 29 de janeiro de 2007. Arquivado do original em 24 de dezembro de 2012  |urlmorta= e |datali= redundantes (ajuda)
  7. Sundsvalls Tidning. «Stockselius blir schlagerchef». Consultado em 29 de janeiro de 2007. Arquivado do original em 26 de setembro de 2007  |urlmorta= e |datali= redundantes (ajuda)
  8. Bakker, Sietse (30 de agosto de 2010). «Svante Stockselius says Eurovision farewell». Eurovision website. Consultado em 30 de agosto de 2010 

Ligações externasEditar

Precedido por:
{{{antes}}}
Supervisor Executivo do Festival Eurovisão da Canção Sucedido por:
{{{depois}}}