Abrir menu principal

Taberna

local onde se vende vinho a varejo (neste caso, também é chamada de baiuca ou bodega), ou então é um restaurante simples
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Agosto de 2008). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Taberna em Newport, em Rhode Island, nos Estados Unidos.

Uma taberna, taverna, locanda, tasco ou tasca é um local onde se vende vinho a varejo (neste caso, também é chamada de baiuca ou bodega), ou então é um restaurante simples.[1]

Índice

EtimologiaEditar

"Taberna" e "taverna" derivam, pelo latim taberna,[2] do grego ταβέρνα, que significa "abrigo" ou "oficina". "Locanda" deriva do italiano locanda.[3] "Baiuca" deriva da gíria castelhana bayuca.[4] "Bodega" deriva do grego apothéké (depósito), através do latim apotheca.[5]

HistóriaEditar

Reunir-se numa taberna para beber cerveja ou outra bebida alcoólica é uma tradição social de longa data, tendo sido iniciada no mínimo pelos sumérios (3500 a.C.); na Suméria, o taberneiro era, tradicionalmente, uma mulher, mas, em outros lugares e épocas, as mulheres foram completamente excluídas das tabernas.

Em PortugalEditar

Em Portugal (onde eram, muitas vezes, designadas pejorativamente como "tascas"), a par dos cafés e das casas de pasto, as tabernas vingaram até os anos 1980, tanto nas áreas rurais, onde eram o centro por excelência da vida social das pequenas localidades, como nas urbanas.

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 638.
  2. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 638.
  3. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 043.
  4. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 220.
  5. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 267.

Ver tambémEditar

  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.