Abrir menu principal
Tadeu Filippeli
Tadeu Filipelli em 2012 (cropped).jpg
Filipelli em abril de 2012.
Deputado distrital pelo Distrito Federal
Período 1 de janeiro de 1995
até 31 de dezembro de 1998
Deputado federal pelo Distrito Federal
Período 1 de fevereiro de 1999
até 31 de janeiro de 2003
Deputado federal pelo Distrito Federal
Período 1 de fevereiro de 2003
até 31 de janeiro de 2007
Deputado federal pelo Distrito Federal
Período 1 de fevereiro de 2007
até 31 de dezembro de 2011
Vice-governador pelo Distrito Federal
Período 1 de janeiro de 2011
até 31 de dezembro de 2014
Dados pessoais
Nascimento 25 de maio de 1949 (70 anos)
Catanduva, SP
Partido PMDB

PT

MDB

Profissão Engenheiro

Nelson Tadeu Filippelli (Catanduva, 25 de maio de 1949) é um político brasileiro, filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).[1]

BiografiaEditar

Foi Servidor Público do Governo do Distrito Federal e Engenheiro Eletricista da Companhia Energética de Brasília;

Foi Presidente da Sociedade Habitacional de Interesses Sociais (SHIS);

Foi administrador da região administrativa de São Sebastião;

De 1995 a 1998 foi deputado distrital PPB hoje PP;

Em 1995 filiou-se ao PMDB. Em 1998 foi eleito pela primeira vez deputado federal pelo PMDB. Foi ainda secretário de Infraestrutura e Obras no governo de Joaquim Roriz, de 2 de fevereiro de 1999 a 14 de fevereiro de 2001, de 19 de fevereiro a 28 de agosto de 2001, de 14 de setembro de 2001 a 5 de abril de 2002, e de 1º a 31 de janeiro de 2003. [2]

Em 2002 foi reeleito deputado federal ficando atrás somente de José Roberto Arruda que foi o mais votado do Distrito Federal e o mais votado do país em termos proporcionais.[carece de fontes?]

Em 2006 foi reeleito novamente pela terceira vez deputado federal sendo o mais votado do Distrito Federal.[3]

Em 2009 foi eleito presidente da Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania da Câmara Federal.[4] Ainda em 2009 rompeu com Joaquim Roriz quando apoiava a ideia de o PMDB não lançar candidatura própria ao Governo do Distrito Federal para apoiar a reeleição de José Roberto Arruda. Sua posição provocou reação exaltada de Joaquim Roriz e correligionários rorizistas.[5] Após o episódio, Roriz deixou o PMDB e filiou-se ao PSC.[6]

Atualmente, Filippelli é o presidente regional do PMDB no Distrito Federal.

Contendas judiciaisEditar

Em janeiro de 2016, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) condenou Agnelo e Filippelli em Ação de Investigação Judicial Eleitoral, impetrada pela Coligação União e Força ( PTB, PR, DEM, PRTB e PMN). O TRE considerou procedentes as acusações de uso da máquina para favorecer a campanha à reeleição de Agnelo em 2014. Contudo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve a condenação do ex-governador Agnelo Queiroz (PT) por abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação na campanha de 2014. Agnelo permanece, assim, inelegível, por oito anos. Na mesma decisão, a Corte absolveu o vice na chapa, Tadeu Filippelli (PMDB), que retoma, assim, a condição de elegibilidade.[7]


Também em 2014 foi condenado pelo TRE por propaganda eleitoral antecipada através do uso de faixas com agradecimentos aos políticos e bandeiras de partidos utilizadas durante a inauguração do novo balão do aeroporto, em 5 de maio de 2014. A pena incluiu multa de R$ 5 mil para o governador e vice.[8]

Eleições 2010Editar

Em 19 de junho de 2010 foi escolhido para ser candidato vice de Agnelo Queiroz ao Governo do Distrito Federal.[9]

Em 31 de outubro de 2010 foi eleito vice-governador do Distrito Federal, na chapa que elegeu Agnelo Queiroz ao Governo do Distrito Federal.

Referências

Ligações externasEditar

Precedido por
Ivelise Longhi
Vice-governador do Distrito Federal
2011 — 2014
Sucedido por
Renato Santana
  Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.