Abrir menu principal

Teatro Viriato

teatro em Viseu, Portugal
Teatro Viriato
Localização Largo Mouzinho de Albuquerque, Viseu
Tipo Teatro municipal
Inauguração 1883
Website www.teatroviriato.com
Viseu - Teatro Viriato (2).jpg

O Teatro Viriato é um teatro localizado no Largo Mouzinho de Albuquerque, em Viseu, fundado em 1883 com o nome de Teatro da Boa União, tornando-se a primeira sala de espetáculos da cidade de Viseu. Em 1898 adota o seu nome atual em honra de Viriato, o chefe dos Lusitanos que terá vivido nas imediações de Viseu.

Em 1912 é aberto o segundo teatro na cidade, o Teatro Avenida, com uma sala de espetáculos maior e mais moderna o que leva a que o Teatro Viriato, aos poucos, vá caindo em decadência, acabando por fechar as suas portas em 1960, reabrindo 25 anos depois, em setembro de 1985, para, nas suas ruínas,ser apresentado "Teatro de Enormidades Apenas Críveis à Luz Eléctrica", um espetáculo encenado por Ricardo Pais, produzido por Área Urbana - Núcleo de Acção Cultural de Viseu, com textos de Aquilino Ribeiro, que assim era homenageado por ocasião do centenário do seu nascimento. Neste espetáculo participaram ainda Olga Roriz (coreografia e interpretação), Luís Madureira (canto e interpretação), António Emiliano (música e interpretação).

Em 1986 o Teatro Viriato é adquirido pela Câmara Municipal de Viseu, sendo presidente Manuel Augusto Engrácia Carrilho. Partindo de trabalhos de final de curso de alunos da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, a mesma Câmara Municipal encomendou o projeto de reconstrução ao arquiteto Sérgio Ramalho.

Em maio de 1998, partindo de um projeto do coreógrafo Paulo Ribeiro, o Ministério da Cultura (representado pelo ministro Manuel Maria Carrilho), a Câmara Municipal de Viseu (representada pelo presidente Fernando Ruas) e o Centro de Artes do Espectáculo de Viseu, Associação Cultural e Pedagógica, assinam um protocolo para a dinamização, gestão e programação do Teatro Viriato. O protocolo previa a residência permanente da Companhia Paulo Ribeiro e o financiamento do funcionamento e programação do Centro Regional de Artes do Espectáculo das Beiras.

A 29 de janeiro de 1999 o Teatro Viriato reabria com uma programação da responsabilidade do seu diretor, Paulo Ribeiro, apresentando um espetáculo emblemático, "Raízes Rurais, Paixões Urbanas", de Ricardo Pais, promovendo o regresso ao local do homem que havia impulsionado a sua recuperação em 1985. Com um interregno de 3 anos (2003/2005), período em que dirigiu o extinto Ballet Gulbenkian, e cedeu o lugar a Miguel Honrado, Paulo Ribeiro foi o diretor-Geral e de Programação, dando continuidade a uma programação artística regular, cosmopolita e pluridisciplinar.

A 19 de setembro de 2019, foi agraciado com o grau de Membro-Honorário da Ordem do Mérito.[1]

Ligações externasEditar

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Teatro Viriato". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 7 de dezembro de 2019