Abrir menu principal
“El Enano”, um telescópio robótico em Cerro Tololo (Chile).

Um telescópio robótico ou telescópio robotizado é um telescópio astronômico com seu sistema detector que pode fazer observações astronômicas automaticamente, sem intervenção humana. Nas disciplinas astronômicas, qualifica-se como um telescópio robótico se é capaz de fazer estas observações sem ser operado por um ser humano, ainda que exigia um operador para iniciar as observações no início da noite, ou para terminá-las no início da manhã. Um telescópio robótico é diferente de um telescópio remoto, embora alguns possam ser ambos simultaneamente (robótico e remoto), como é o caso dos quatro telescópios de La Sagra, que são robóticos mas controlado a partir do Observatório Astronômico de Maiorca para descarregar os dados diariamente em Maiorca através da internet, para o processamento com algoritmos sofisticados concebidos "in house", que permitiram detectar o asteroide 367943 Duende, entre milhares de outros.[1]

Além dos telescópios robóticos do Observatório Astronômico de Maiorca, estão os famosos telescópios robóticos dos programas LINEAR e NEAT, que já encontraram muitas estrelas e corpos menores. Estes telescópios têm sido usados ​​na astronomia em particular para a detecção e a descoberta de corpos menores que possam colidir com a Terra. No meio militar, o telescópio robótico é usado para identificar e controlar os satélites artificiais.

HistóriaEditar

Estudos de automação em astronomia começaram na segunda metade do século XX.[2]

Em 1985, o livro Microcomputer Control of Telescopios, de Russell M. Jinete e Mark Trueblood, foi um marco no estudo dessa matéria. Foram estudados vários projetos, mas a complexidade e as dificuldades técnicas da época tornou difícil de concretizar.

Em 1993 John Baruch construíu o primeiro telescópio robótico totalmente automatizado e conectado através da internet, na Universidade de Bradford, no Reino Unido.[3] O telescópio tem uma abertura de 46 cm, e foi controlado por um PC 486DX.[4]

Referências

  1. «Guía sobre el asteroide 2012 DA14» (em espanhol). Consultado em 19 de novembro de 2014 
  2. «Publicações eletrônicas da sociedade astronômica da Austrália» (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2014 
  3. «Oxenhope Observatory» (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2014 
  4. «Bradford Robotic Telescope» (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2014 

Ligações externasEditar