Abrir menu principal
Teodora Petralifena
Santa Teodora de Arta
Despina de Epiro
Reinado 12311266/1268
Consorte Miguel II Comneno Ducas
Antecessor(a) Maria Petralifena
Sucessor(a) Maria Ducena Lascarina
Dinastia Comneno Ducas
Nascimento c. 1225
Morte Depois de 1270
  Arta, Grécia
Enterro Igreja de Santa Teodora, Arta
Filho(s) Nicéforo I Comneno Ducas
João Comneno Ducas
Demétrio (rebatizado Miguel) Comneno Ducas
Helena Angelina Ducena
Ana Comnena Ducena
Pai João Petralifa
Mãe Helena ?

Teodora Petralifena (em grego: Θεοδώρα Πετραλίφαινα), canonizada como Teodora de Arta (em grego: Αγία Θεοδώρα της Άρτας), foi uma despina de Epiro, esposa de Miguel II Comneno Ducas, entre 1231 e 1266/8 e uma santa da Igreja Ortodoxa.

Índice

VidaEditar

A vida de Teodora é conhecida principalmente através de uma curta hagiografia escrita pelo monge Jó, por vezes identificado como sendo o clérigo do final do século XIII Jó Iasites. À luz dos muitos erros cronológicos e genealógicos, porém, esta identificação é questionada.[1][2]

Teodora era filha do sebastocrator João Petralifa, governador da Tessália e da Macedônia. Nasceu em Sérvia, na Grécia, em algum momento entre 1224 e 1230 e casou-se com Miguel II Comneno Ducas, o déspota do Epiro e da Tessália logo depois de ascensão ao trono, em 1231, ainda uma criança.[3][4] Apesar de grávida do primogênito de Miguel, Nicéforo, Teodora estava exilada da corte quando ele nasceu, pois ele estava na época vivendo com uma amante. Na pobreza, Teodora suportou muitas vicissitudes sem reclamar e recebeu abrigo de um padre na vila de Prinista. Seu exílio durou cinco anos e Miguel a chamou de volta depois de se arrepender. Os dois reataram e passaram a viver juntos daí em diante.[3][5]

Como consorte do Epiro, Teodora defendia uma relação mais próxima do Epiro com seu tradicional rival na sucessão à herança imperial bizantina, o Império de Niceia. Segundo Jorge Acropolita, ela acompanhou Nicéforo em sua viagem para noivar e depois casar com Maria, a filha do imperador niceno Teodoro II Láscaris (r. 1254–1258). A união ajudou na obtenção de um acordo para as disputas eclesiásticas entre os dois reinos e resultou na concessão do título de déspota a Miguel, mas esta paz foi curta.[6][7] Teodoro fundou também o convento de São Jorge na capital epirota, Arta, para onde ela se retirou depois da morte de Miguel e onde foi enterrada. O local passou a ser conhecido depois como Igreja de Santa Teodora e seu túmulo passou a receber peregrinos depois que milagres foram reportados ali. Ela é comemorada na Igreja Ortodoxa em 11 de março.[3][8]

FamíliaEditar

De seu casamento com Miguel II Ducas Comneno, Teodora teve seis filhos, incluindo[9]:

Ver tambémEditar

Teodora Petralifena
Nascimento: ca. 1225 Morte: depois de 1270
Títulos reais
Precedido por:
Maria Petralifena
Despina de Epiro
ca. 1231–1266/68
Sucedido por:
Ana Cantacuzena

Referências

  1. Kazhdan (1991), pp. 1042, 2038
  2. Talbot (1996), pp. 324–325
  3. a b c Kazhdan (1991), p. 2038
  4. Talbot (1996), pp. 323, 327ff.
  5. Talbot (1996), pp. 330ff.
  6. Kazhdan (1991), p. 1363, 2038
  7. Talbot (1996), pp. 323–324
  8. Talbot (1996), pp. 324, 332ff.
  9. Cawley, Cawley, Charles, Michael II of Epirus, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy , Predefinição:Self-published inline[carece de fonte melhor]

BibliografiaEditar