Terrorismo na Sérvia

Este artigo inclui informações sobre ações descritas como atos terroristas na República Federal da Iugoslávia (1992-2003), Sérvia e Montenegro (2003-2006) e República da Sérvia (2006 em diante). No período após 1991, houve um crescente terrorismo relacionado ao separatismo do Kosovo. Com a formação da República Federal da Iugoslávia em 1992, o Kosovo manteve seu status de província autônoma da República da Sérvia. Começando na década de 1990,[1] serviços secretos americanos, britânicos e alemães[2] posteriormente começaram a armar e treinar agentes do ELK a partir de 1996. O ELK lançou 31 ataques em 1996, 55 em 1997 e 66 em janeiro e fevereiro de 1998.[3]

Iugoslávia FederalEditar

Terrorismo separatista albanêsEditar

 
Armas confiscadas do ELK, julho de 1999

Com a anarquia resultante da guerra civil albanesa de 1997, o ELK cresceu em número de membros e número de armas à sua disposição. Desde 1998, os ataques contra as forças de segurança sérvias aumentaram significativamente e o ELK também tentou “limpar” o Kosovo de sua população étnica sérvia.[4]

NotasEditar

Referências

  1. Fulton 2010.
  2. Fallgot, Roger (21 de setembro de 1998). «How Germany Backed KLA». The European (em inglês): 21–27 
  3. James Ron (19 de abril de 2003). Frontiers and Ghettos: State Violence in Serbia and Israel (em inglês). [S.l.]: University of California Press. pp. 98–. ISBN 978-0-520-93690-4 
  4. Allan, Stuart; Zelizer, Barbie (2004). Reporting war: journalism in wartime (em inglês). [S.l.]: Routledge. p. 178. ISBN 0-415-33998-7 

FontesEditar