Abrir menu principal


The Deviants
Informação geral
Origem Reino Unido
País  Reino Unido
Gênero(s) Rock psicodélico, Garage rock
Período em atividade 1967 - 1969, 1978, 1984, 1996, 2002, 2011 - 2013
Gravadora(s) Sire Records
Afiliação(ões) Pink Fairies, Lightning Raiders, Hawkwind, Motörhead, MC5, Axis of Justice
Ex-integrantes Mick Farren
Mike Robinson
Russell Hunter
Pete Munro
Clive Muldoon
Cord Rees
Sid Bishop
Duncan Sanderson
Paul Rudolph
Andy Colquhoun
Larry Wallis
Alan Powell
Wayne Kramer
George Butler
Doug Lunn
Ric Parnell
Michael Simmons
Jack Lancaster
Philthy Animal

The Deviants (originalmente The Social Deviants) foi uma banda britânica de rock formada no final da década de 1960. Serviu como veículo para o trabalho musical de seu fundador Mick Farren até sua morte em 2013.

Farren afirmou que o The Deviants era uma banda comunitária que fazia algumas coisas de vez em quando e descrevia o som da banda como rock psicodélico de ranger os dentes, algo entre Iggy and The Stooges e The Mothers of Invention.


HistóriaEditar

Década de 1960Editar

O Social Deviants foi fundado por Mick Farren em 1967 acompanhado por Pete Munro no baixo; Clive Muldoon e Mike Robinson na guitarra e Russell Hunter na bateria.[1] A banda reduziu seu nome para The Deviants depois de Pete e Clive saírem e serem substituídos por Sid Bishop e Cord Rees respectivamente. Gravaram seu primeiro disco Ptooff! financiados por um amigo de Mick, Nigel Samuel, o filho de um multimilionário. O disco foi lançado de forma independente e era vendido somente no Reino Unido pela Underground Press, mais tarde a Decca Records relançou e distribuiu o álbum.[2] Este disco foi relançado mais algumas vezes: em 1992 pela Drop Out Records, em 2004 pela Captain Trip Records, em 2009 pela Esoteric Recordings e em 2013 pela Angel Air Records.[3]

Cord Rees deixou a banda em junho de 1967 e foi substituído por companheiro de quarto de Mick Farren, Duncan Sanderson. Em seguida a banda lançou seu segundo disco, Disposable pelo selo independente Stable Records.

Quando Sid Bishop se casou também saiu da banda, Farren então recrutou o guitarrista canadense Paul Rudolph depois de uma sugestão de Jamie Mandelkau. Com essa nova formação foi gravado mais um álbum, The Deviants 3 pela gravadora Transatlantic Records.

Durante uma turnê pela Costa Oeste da América do Norte o relacionamento pessoal e musical entre Mick Farren e o restante da banda ficou tenso, e a banda decidiu continuar sem Mick, que retornou para a Inglaterra onde se juntou ao ex-baterista do Pretty Things Twink e Steve Peregrin Tookk para gravar o álbum Mona – The Carnivorous Circus. Este disco tinha entre suas faixas entrevistas com membros dos Hells Angels do Reino Unido. Os três músicos remanescentes - Rudolph, Sanderson e Hunter - retornaram para a Inglaterra e se juntaram a Twink para formar a influente banda Pink Fairies.

Década de 1970 e seguintesEditar

No meio dos anos 70, Mick Farren recebeu uma oferta da Stiff Records para gravar o EP Screwed Up, que foi lançado sob o nome Mick Farren and The Deviants. Dentre os músicos que participaram deste disco estão Rudolph, Larry Wallis (guitarra), Andy Colquhoun (guitarra) e Alan Powell (bateria). Essa mesma formação sem Rudolph gravou também o álbum Vampires Stole My Lunch Money e o single Broken Statue, ambos creditados a Mick Farren.

No final da década de 70 Farren novamente se concentrou em sua carreira de escritor e se mudou para Nova Iorque. Fez o Deviants ressurgir para apresentações ocasionais, como em fevereiro de 1984 quando se juntou a Wayne Kramer (ex-guitarrista do MC5), Wallis, Sanderson e o baterista George Butler. Essa apresentação foi gravada e lançada como Human Garbage.


Mick Farren continuou a se apresentar e gravar esporadicamente sob o nome The Deviants com a participação de diversos músicos, incluindo Andy Colquhoun e Jack Lancaster. Eating Jello With A Heated Fork foi lançado em 1996 creditado a Deviants IXVI.

Em 2002, uma nova formação da banda que continha a presença de Doug Lunn (baixo), Rick Parnell (bateria) e Michael Simmons (vocal) lançou o disco Dr. Crow.

Em junho de 2011, depois de ter voltado a morar no Reino Unido, Farren se apresentou palco 'Spirit of 71' no Glastonbury Festival com 'The Last Men Standing'. A banda incluía Andy Colquhoun, Sanderson e Hunter.

Durante uma rara apresentação do The Deviants em Londres no dia 27 de julho de 2013, Mick Farren sofreu um ataque no palco e morreu mais tarde em um hospital.[4]

DiscografiaEditar

  • 1967 – Ptooff!
  • 1968 – Disposable
  • 1969 – The Deviants 3
  • 1984 – Human Garbage (ao vivo)
  • 1996 – Fragments of Broken Probes (demos, versões alternativas e ao vivo)
  • 1996 – Eating Jello With a Heated Fork
  • 1999 – The Deviants Have Left The Planet (demos, versões alternativas e ao vivo)
  • 1999 – Barbarian Princes (Ao vivo no Japão)
  • 2000 – This CD Is Condemned (compilação)
  • 2001 – On Your Knees, Earthlings (compilação)
  • 2002 – Dr. Crow

BibliografiaEditar

Deakin, Rich (2007). Keep it Together! Cosmic Boogie with the Deviants and Pink Fairies. UK: Headpress. ISBN 1-900486-61-X 

Referências

  1. Larkin C 'Virgin Encyclopedia of Sixties Music' (Muze UK Ltd, 1997) ISBN 0-7535-0149-X p.151
  2. «Alive Naturalsound Records». Alive-totalenergy.com. Consultado em 12 de novembro de 2015. Arquivado do original em 25 de outubro de 2013 
  3. «Brooklyn based Music Blog: Anachronique : The Deviants (Psych Rock)». Still in Rock. 26 de fevereiro de 2004. Consultado em 12 de novembro de 2015 
  4. Doc Rock. «July to December». The Dead Rock Stars Club. Consultado em 13 de novembro de 2015 
   Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Reino Unido é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.