The Wrecking Crew

filme de 1969 dirigido por Phil Karlson

The Wrecking Crew (br: Arma Secreta contra Matt Helm) (1968) é uma comédia satírica de espionagem norte-americana, a quarta e última da série com o contra-espião Matt Helm, dirigida por Phil Karlson e estrelada por Dean Martin, Elke Sommer e Sharon Tate.

The Wrecking Crew
Arma Secreta contra Matt Helm (BRA)
 Estados Unidos}
1968 •  cor •  105 min 
Direção Phil Karlson
Produção Irving Allen
Roteiro William P. McGivern
Elenco Dean Martin
Elke Sommer
Sharon Tate
Género espionagem / comédia
Música Hugo Montenegro
Idioma inglês

Matt Helm é uma personagem de ficção criada pelo escritor Donald Hamilton em 1960, do qual 27 livros, quatro filmes e uma série de televisão foram feitos. Criado no rastro do sucesso literário de Ian Fleming com James Bond, no cinema o personagem teve um tom diferente da seriedade nos livros, adotando um estilo bonachão, bem humorado e mulherengo, uma paródia americana à 007.

Este foi o último filme de Sharon Tate lançado com ela ainda em vida, antes de morrer nas mãos da Família Manson em agosto de 1969 e marca a primeira aparição no cinema de Chuck Norris, numa pequena ponta.[1]

SinopseEditar

Matt Helm (Martin) recebe de sua agência secreta ICE a missão de capturar um conde diabólico chamado Contini, que está tentando destruir a economia mundial roubando um bilhão de dólares em barras de ouro. Ele viaja para a Dinamarca onde conhece Freya Carlson (Tate), uma linda a atrapalhada funcionária de uma agência de turismo dinamarquesa que lhe serve de guia.

Uma dupla de cúmplices do Conde Contini, a sedutora Linda Karensky (Sommer) e a asiática Yu-Rang (Kwan) tentam, cada uma, destruir os planos de Helm, mas a primeira é morta num atentado contra Helm e a segunda numa explosão. Em cada ocasião, as tentativas desajeitadas de Carlson de ajudar Helm funcionam, mas não exatamente aprovadas por ele. McDonald, seu chefe na ICE, tenta ajudá-lo mas acaba ferido em ação. ele então revela à Helm que que a guia é na verdade uma agente secreta, usando um inteligente disfarce de guia de turismo estúpida.

Os dois então vão juntos ao chateau de Contini onde Helm provoca o caos e destrói tudo com a ajuda de seus gadgets de espião. O conde escapa para Luxemburgo, mas Helm e Carlson perseguem-no num mini-helicóptero e o encurralam. Contini é morto no trem, caindo na linha através de um alçapão. Com a missão cumprida e sozinhos finalmente, Helm passa a agradecer a ajuda de Carlson do jeito que só ele sabe.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

A trilha sonora do filme foi composta por Hugo Montenegro. Bruce Lee participou da produção, como instrutor de artes marciais e duplou Dean Martin nas cenas de luta.[2] Este foi o único filme da série a não contar com a presença da secretária de Helm nos três filmes anteriores, Lovesy Kravesit, vivida pela atriz Beverly Adams.

O filme deveria ter uma continuação, baseado em outro livro de Hamilton, The Ravagers, anunciado nos créditos finais, numa trama onde o uso de artes marciais seria expandida e no qual Sharon Tate voltaria ao mesmo papel e Bruce Lee teria um personagem próprio. Entretanto, o cansaço com o personagem, o declínio na bilheteria e a devastação emocional em que Martin ficou com o brutal assassinato de Tate no ano seguinte, fizeram com que abrisse mão de fazer o quinto filme - nunca produzido - e não mais voltou ao papel.[2]

Referências

  1. «Chuck Norris». Rotten Tomatoes. Consultado em 30 de junho de 2012 
  2. a b Missingham, Walt. «The Forgotten Bruce Lee Movie» (PDF). The Wrecking Crew. Consultado em 30 de junho de 2012