Abrir menu principal
Logo da equipe ThundeRatz

A Equipe ThundeRatz é a Equipe de Robótica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) - campus São Paulo (Cidade Universitária). Desde a sua fundação em 2001, o laboratório da equipe está localizado no prédio da Engenharia Mecânica, Mecatrônica e Naval da Poli. A equipe é formada tanto por membros do primeiro ano de engenharia, quanto por alunos de pós graduação e de outras faculdades da USP. Atualmente, o grupo se constitui de 30 pessoas.

Orientado pelo Prof. Dr. Marcos Ribeiro Pereira Barretto, o grupo desenvolve mecanismos robóticos que são postos à prova contra outros robôs, em dois eventos principais: o Winter Challenge e o Summer Challenge.

Os membros aprendem a usar máquinas operatrizes com segurança, desenvolvem espírito de equipe e o conceito de liderança, têm contato com alta tecnologia, aprendem a tomar decisões sob pressão e a resolver problemas.


HistóriaEditar

 
Adam I

A Equipe de Robótica da Escola Politécnica foi fundada em 2001 por estudantes de engenharia e orientada pelo Prof. Marcos Barretto, com o intuito de participar da primeira competição deste tipo no Brasil, ao lado de outras faculdades, como Unifei, Unicamp e ITA. Nessa época a equipe chamava-se Los Cuervos.

 
Adam II

Em seus primeiros anos, pouco foi feito, havendo participação em poucos eventos. Em 2004, a equipe inovou sua estratégia de ataque, criando o primeiro robô com um disco de alta rotação como arma.

Em 2005 houve uma reformulação na equipe, e o nome passou a ser ThundeRatz, uma alusão ao rato, símbolo da faculdade de que faz parte.

A partir deste ponto, começou uma profissionalização do grupo. O robô Adam[1] foi criado e aperfeiçoado ano após ano e, além dele, diversos outros projetos foram e estão sendo desenvolvidos.

Na primeira competição com o novo nome, foram conquistadas a 4º colocação na categoria Hobbyweight (5,5Kg) com o robô Adam Jr. e a 12ª colocação na categoria Middleweight (55Kg) com os robôs Adam I, que já havia competido nos tempos de Los Cuervos, e aquele que seria o principal robô da equipe nos próximos 2 anos, Adam II.

Comparando-se as imagens, é possível ver a clara evolução do projeto. Enquanto a primeira versão era espaçosa e a arma pouco eficaz, Adam II era extremamente compacto, e inaugurou a era de discos de impacto otimizados na equipe.

Adam II também foi o primeiro robô da equipe a utilizar a eletrônica de potência OSMC. Está é um projeto Open-Source muito utilizado neste tipo de aplicação e que controla a velocidade dos motores utilizando um rápido chaveamento nestes.

Em 2007, na categoria Middleweight, Adam II mostrou sua evolução e conquistou o 4º lugar no 3º Winter Challenge e a 3º colocação no 7º ENECA, em Recife, colocando a ThundeRatz pela primeira vez no pódio.

Em 2008 a equipe cresceu muito, e foi para o 4º Winter Challenge com mais de 30 membros e competindo em todas as categorias, com exceção da inédita Featherweight (13,6Kg). Neste ano a equipe conquistou o 3º lugar na categoria Hockey, o 8º lugar no Sumo R/C e a 4ª colocação nas categorias Middleweight, ainda com o Adam II, e Hobbyweight, com o robô Racha-Cuca.

 
Lenhador

O robô Racha-Cuca foi projetado em conjunto com o robô Lenhador, que viria a competir em 2009. Ambos foram grandes evoluções da equipe na área de projeto. A principal delas, a troca da estrutura de perfis soldados por chapas de alumínio aeronáutico, que, além de serem muito mais leves e resistentes, permitem que o robô seja ainda mais compacto, melhorando sua rigidez.

Em 2009 foi concluído o projeto do robô Lenhador. Este, ao contrário da maioria dos adversários, não utilizava um motor elétrico em sua arma, mas um motor à combustão, que é usado em motosserras. Apesar de seu maior volume, este motor possui uma relação potência/peso muito elevada.

Assim, no 5º WinterChallenge, foram conquistadas as seguintes colocações: 2º lugar no Hockey, 4º lugar no Hobbyweight e 9º lugar no Middleweight.

Ainda em 2009, ocorreu o 9º ENECA, pela primeira vez havendo a competição de seguidor de linha, ou simplesmente Follower. Neste evento, a ThundeRatz conseguiu evoluir na categoria Middleweight com o Lenhador, conquistando o 6º lugar. Também se manteve a regularidade do time de Hockey, conquistando novamente a 2º colocação, e na estréia do Follower, a equipe alcançou o 5º lugar nesta categoria.

Os Hockeys utilizaram como eletrônica de potência a TPM (ThundeRatz Power Management). Esta, ao contrário da OSMC, foi totalmente projetada pelos membros da equipe, atendendo assim às necessidades de espaço da equipe, sendo cerca de 50% menor. Porém, só poderia ser utilizada em robôs pequenos, pois não suportaria a corrente de motores maiores.

 
Hypnos

Em 2010, concluí-se o projeto do robô Hypnos, da categoria Featherweight. Nele, sua carcaça girava independente do núcleo do robô, fazendo este robô ter todos os lados protegidos pela arma. Também em 2010, foi feita uma reforma no robô Lenhador, em que sua locomoção antiga foi substituida por uma projetada e construída pela própria equipe.

 
Redução do robô Lenhador

Com os novos robôs e reformas, a ThundeRatz conquistou no 6º WinterChallaenge o 2º lugar no Follower, 3º lugar no Hockey, 4º lugar na categoria Middleweight, com o Lenhador e 6º lugar na categoria Featherweight, com o Hypnos.

Em março de 2011 a equipe participa do 1º Summer Challenge, competindo apenas nas categorias Middleweight, com o robô Lenhador, Hockey e Follower, conquistando respectivamente as colocações 8º, 3º e 3º.

Neste evento o robô Lenhador utilizou pela a eletrônica de potência TPM-2, que, assim como sua antecessora, foi totalmente criada pelos membros da equipe, porém para os robôs maiores, suportando correntes extremamente elevadas.

Ainda em 2011 foi concluído o projeto do robô Cachorro Louco, da categoria Hobbyweight. Este robô diferencia-se principalmente pela confiabilidade resultante de intensas simulações em computadores e otimizações. O resultado foi visto no 7º WinterChallenge, conquistando o 4º lugar entre 30 competidores, com a incrível marca de 5 vitórias consecutivas. Também neste evento o robô Lenhador conquistou o 5º lugar, o Hockey 7º, o Follower 8º e, competindo pela primeira vez, 2º lugar na categoria Sumô LEGO / VEX autônomo.

Já em 2012 a equipe compareceu ao 8º Winter Challenge com mais robôs novos. Na categoria Middleweight, foi a estreia de Adão, robô do tipo rampa com um disco vertical, este foi otimizado para ser o mais compacto e eficiente possível. Além deste, novos robôs também nas categorias de Sumô rádiocontrolado (Stonehenge) e Follower (Redondinho). Assim, a equipe conquistou as seguintes colocações: 6º com Adão e Cachorro, Sumô Lego e Stonehenge; 7º lugar no Hockey e 3º com o Redondinho.

Na Feira das Áreas do Conhecimento, Cultura e Extensão 2012 (FACE[2]) a equipe conquistou um excelente resultado. Levou dois ouros, um com o follower Redondinho e o outro com o sumô RC Stonehenge; uma prata, com o follower Quadradinho; e um bronze, com o sumô autônomo Stonehenge.

E para fechar o ano de 2012 com chave de ouro, na 2º edição do Summer Challenge, a equipe conseguiu o 1º lugar com o robô Cachorro Louco, que finalizou a competição com 6 vitórias consecutivas e nenhuma derrota. Enquanto que o sumô Stonehenge conquistou o seu segundo ouro nesta competição usando uma nova estratégia para derrotar os favoritos na categoria. E o follower Redondinho ficou com o 5º lugar com uma diferença de apenas 37 centésimos de segundo do primeiro colocado.

No Winter Challenge de 2013 a ThundeRatz melhorou o desempenho na competição. Foram conquistados 2 ouros e 1 bronze! Os robôs Redondinho (seguidor de linha) e Stonehenge (sumô R/C) foram os campeões em suas categorias e o time estreante de hockey, Olympus, conseguiu o 3º lugar .

 
Ratnik

Nesta competição também foi a estreia do robô Ratnik da categoria Beetleweight que teve uma boa recepção e mostrou um grande potencial. Todos os acionamentos deste robô são realizados por uma única eletrônica desenvolvida pela própria equipe e a sua base é feita a partir de apenas um bloco de alumínio. Na sua segunda competição, a FACE 2013[3], já conseguiu o 1º lugar!

Além do Ratnik, na FACE 2013 a equipe conquistou mais 3 ouros: um com o Redondinho, seguidor de linha; outro com o Stonehenge, sumô R/C; e o outro com o time Olympus. E ainda uma prata com sumô de Lego e um bronze com Quadradinho, seguidor de linha.


Subdivisões da equipeEditar

A equipe está subdividida em 4 setores:

  • Mecânica: setor responsável pelo projeto mecânico dos robôs, assim como pela produção e usinagem de todas as peças e componentes mecânicos utilizados pela equipe;
  • Elétrica: setor responsável por todos os componentes elétricos e eletrônicos;
  • Marketing: setor responsável pela divulgação e apresentação da equipe em eventos e em mídias sociais;
  • Gestão: setor responsável pela administração e organização da equipe.


 
Oficina da Equipe ThundeRatz

LaboratórioEditar

A Equipe possui um espaço próprio para desenvolver montagem e reparo dos robôs dentro do Departamento de Engenharia Mecatrônica e Sistemas Mecânicos da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

Gentilmente, tal área foi apelidada de Gaiola, por ser cercada por tramas de arame. É lá onde todas as peças são produzidas e os projetos concebidos.

Na oficina da equipe, dispomos de diversas ferramentas para a montagem dos robôs, como furadeiras de mão e de bancada, solda, esmerilhadeira, dentre outros.


CompetiçõesEditar

As competições nas quais a equipe participa atualmente são:

Na página da Robocore é possível encontrar mais informações sobre esses eventos.

Além deles, há também a RoboGames, competição de âmbito internacional realizada nos Estados Unidos.


CategoriasEditar

Nas competições de robótica, há uma série de modalidades nas quais uma equipe pode competir. Elas são:

  • Combate - Na categoria Combate, os robôs tentam causar o máximo de danos ao adversário. As subcategorias são:
    • MiddleWeight: limite de peso de 54,4kg;
    • LightWeight: limite de peso de 27,2kg;
    • FeatherWeight: limite de peso de 13,6kg;
    • HobbyWeight: limite de peso de 5,44kg;
    • BeetleWeight: limite de peso de 1,36kg.
  • Hockey - Nesta categoria deve ser criado um time com três robôs, projetados para literalmente jogar hockey. Vence a equipe que conseguir mais gols.
  • Sumô - O robô participante deve empurrar o adversário para fora de uma pequena arena nesta categoria e há 3 subcategoris:
  • Seguidor de Linha - Competição na qual robôs autônomos devem seguir um trajeto determinado por uma linha. Vence quem finalizar o trajeto em menor tempo.


ProjetosEditar

É possível encontrar todos os detalhes dos projetos da Equipe nos links a seguir:


ConquistasEditar

As conquistas estão apresentadas no site oficial da equipe.


Pesquisa e extensãoEditar

A equipe de Desafio Robótico da Poli-USP proporciona aos seus membros um outro modo de interagir com a engenharia. Nela, as pessoas podem aplicar os conhecimentos adquiridos em sala de aula, tendo contato com problemas reais e adquirindo experiência para o futuro mercado de trabalho.

Além disso, há um contato direto com máquinas e equipamentos, sempre monitorado por um técnico da oficina didática e com todas as medidas de segurança tomadas.

Também, há forte investimento na busca de novos métodos e materiais, como a utilização de placas de kevlar feitas pela equipe para o robô Lenhador e a utilização do corte por jato de água como método avançado de usinagem de peças.

Ver tambémEditar

Referências

Ligações externasEditar