Abrir menu principal

Tocaia no Asfalto

filme de 1962 dirigido por Roberto Pires
Tocaia no Asfalto
 Brasil
1962 •  pb •  94 min 
Direção Roberto Pires
Roteiro Roberto Pires
Rex Schindler (argumento)
Elenco Agildo Ribeiro
Araçary de Oliveira
Antônio Pitanga
Género drama noir
suspense
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Tocaia no Asfalto é um filme brasileiro de drama de 1962, dirigido por Roberto Pires. Exemplar do cinema novo, faz parte do histórico ciclo baiano de cinema (1959-1962). Com locações na Bahia: Farol de Itapuã, Igreja de Santa Luzia, e em cenas importantes a Igreja de São Francisco e o Cemitério Campo Santo, em Salvador. Glauber Rocha foi creditado como coordenador de produção.Música de Remo Usai.[1]

ElencoEditar

SinopseEditar

Rufino é um pistoleiro de aluguel alagoano, religioso, que diz que entrou para a vida de crimes depois de se vingar da morte brutal do irmão. Ele é contratado por um político baiano, o coronel Domingos, para matar o adversário dele e candidato a Governador do Estado, o Coronel Pinto Borges, como vingança pois era suspeito da morte do aliado, Coronel Sebastião Veloso. Rufino é enviado a Salvador e se hospeda no prostíbulo de Dona Filó e acaba por iniciar um romance com a prostituta Ana Paula, ex-amante do violento Luciano, proxeneta e ex-policial. O Coronel Borges sofre a oposição do deputado idealista Ciro e Domingos encomenda também a morte dele, desta vez mandando chamar um matador de Caxias. Rufino foi orientado a cometer o assassinato na data da missa de trigésimo dia da morte do Coronel Sebastião, na Igreja de São Francisco. Mas hesita quando lhe dizem que a igreja ficaria fechada por 100 anos, caso ocorresse um crime em seu interior.

PrêmiosEditar

  • Festival de Cinema da Bahia de 1962 - Melhor Diretor, Ator Secundário (Milton Gaúcho) e Fotografia (Hélio Silva)
  • Prêmio Saci de 1963 - Melhor Argumento (Rex Schlinder)

Referências

Ligações externasEditar