Abrir menu principal

Tocaia no Asfalto

filme de 1962 dirigido por Roberto Pires
Tocaia no Asfalto
 Brasil
1962 •  pb •  94 min 
Direção Roberto Pires
Roteiro Roberto Pires
Rex Schindler (argumento)
Elenco Agildo Ribeiro
Araçary de Oliveira
Antônio Pitanga
Género drama noir
suspense
Idioma português

Tocaia no Asfalto é um filme brasileiro de drama de 1962, dirigido por Roberto Pires. Exemplar do cinema novo, faz parte do histórico ciclo baiano de cinema (1959-1962). Com locações na Bahia: Farol de Itapuã, Igreja de Santa Luzia, e em cenas importantes a Igreja de São Francisco e o Cemitério Campo Santo, em Salvador. Glauber Rocha foi creditado como coordenador de produção.Música de Remo Usai.[1]

Índice

ElencoEditar

SinopseEditar

Rufino é um pistoleiro de aluguel alagoano, religioso, que diz que entrou para a vida de crimes depois de se vingar da morte brutal do irmão. Ele é contratado por um político baiano, o coronel Domingos, para matar o adversário dele e candidato a Governador do Estado, o Coronel Pinto Borges, como vingança pois era suspeito da morte do aliado, Coronel Sebastião Veloso. Rufino é enviado a Salvador e se hospeda no prostíbulo de Dona Filó e acaba por iniciar um romance com a prostituta Ana Paula, ex-amante do violento Luciano, proxeneta e ex-policial. O Coronel Borges sofre a oposição do deputado idealista Ciro e Domingos encomenda também a morte dele, desta vez mandando chamar um matador de Caxias. Rufino foi orientado a cometer o assassinato na data da missa de trigésimo dia da morte do Coronel Sebastião, na Igreja de São Francisco. Mas hesita quando lhe dizem que a igreja ficaria fechada por 100 anos, caso ocorresse um crime em seu interior.

PrêmiosEditar

  • Festival de Cinema da Bahia de 1962 - Melhor Diretor, Ator Secundário (Milton Gaúcho) e Fotografia (Hélio Silva)
  • Prêmio Saci de 1963 - Melhor Argumento (Rex Schlinder)

Referências

Ligações externasEditar