Abrir menu principal

Tomás Holland, 1.º Conde de Kent

Brasão de armas de Tomás Holland

Tomás Holland, 1.º Conde de Kent, 2.º Barão Holland (c. 131423 de dezembro de 1360) foi um nobre inglês e comandante militar durante a Guerra dos Cem Anos. Em 1348 ele foi um dos cavaleiros fundadores, o décimo terceiro Cavaleiro da Ordem da Jarreteira.

No início da carreira militar, lutou em Flandres. Ele foi contratado, em 1340, para a expedição inglesa em Flandres e foi enviado, dois anos depois, com Sir John D'Artevelle de Bayonne, para defender a fronteira da Gasconha contra os franceses. Em 1343, ele foi novamente ao serviço na França, e, no ano seguinte, teve a honra de ser escolhido um dos fundadores da Mais Nobre Ordem da Jarreteira. Em 1346, ele assistiu o rei Eduardo III de Inglaterra, na Normandia, no séquito imediato do Conde de Warwick, e, na tomada de Caen, o Conde d'Eu e Guînes, Condestável de França, e o Conde De Tancarville renderam-se a ele como prisioneiros. Na Batalha de Crécy, ele foi um dos principais comandantes sob o príncipe de Gales e que, posteriormente, serviu no cerco de Calais, em 1346-7.

Ao mesmo tempo em que, ou antes, sua primeira expedição, ele se casou secretamente com a Joana de Kent, que tinha 12 anos, filha de Edmundo de Woodstock, 1.º Conde de Kent e Margarida Wake, neta de Eduardo I de Inglaterra e Margarida de França. No entanto, durante a sua ausência no serviço externo, Joana, sob pressão de sua família, contratou outro casamento com Guilherme de Montagu, 2.º Conde de Salisbury. Este segundo casamento foi anulado em 1349, quando o casamento anterior de Joana com Holland foi comprovado a contento dos comissários papais. Joana foi ordenada pelo Papa para regressar a seu marido e viver com ele como sua esposa legítima, o que ela fez, produzindo quatro filhos com ele:

Ligações externasEditar