Traqueostomia

Procedimento cirúrgico

Traqueostomia é uma palavra com étimo grego, em que o sufixo ostomia deriva da palavra grega ″stoma", que significa ″boca″; consiste num procedimento cirúrgico, no qual é efectuada uma secção de toda a circunferência da traqueia (traqueotomia), seguida de sutura de todo o perímetro da traqueia seccionada, de forma circunferencial, à pele, ou seja, ato de confecionar um traqueostoma, de forma a ser preservada a função respiratória após uma laringectomia total. Neste procedimento, a respiração passa a fazer-se exclusiva e definitivamente pelo orifício da traqueostomia.

Traqueotomia completada:
1 - Cordas vocais
2 - Cartilagem tireóide
3 - Cartilagem cricóide
4 - Cartilagens traqueais
5 - Balão

Referências:

Bové, M. J., Sherif Afifi, M. (2010). Tracheotomy procedure. Chapter 2, in "Tracheostomies, The Complete Guide". by Dr. Linda Morris PhD APN CCNS, Dr. M. Sherif Afifi MD FCCM FCCP. Springer P. C..

Santos, V., Cesaretti, I. (2015). Assistência em estomaterapia: cuidando de pessoas com estomia (2ªed) São Paulo, Brasil: Atheneu.

Snobe, HM (2006). Traqueostomia: como Cuidar, In IUR Cesaretti, Paula, MAB & Paula, PR – Estomaterapia: Temas Básicos em Estomas. São Paulo: Cabral Editora, pp. 211-224.

Tim Price (2004). Wath is a Tracheostomy?. Chapter 2, in "Tracheostomy, a Multiprofessional Handbook". C Russel and B Matta. Cambridge University Preess // Greenwich Medical Media Limited.

Acesso cirúrgico de TraqueotomiaEditar

O acesso cirúrgico para a traqueotomia pode ser realizado em vários níveis:
Cricotireoidotomia ou cricotireoidotomia ou cricotireotomia é realizada na região da transmembrana cricotireoidiana.
Traqueotomia alta é realizada acima do ístimo da glândula tireoide.
Traqueotomia transístmica é realizada através do istmo da glândula tireoide, sendo necessário a sua secção e sutura.
Traqueotomia baixa é realizada abaixo do ístmo da glândula tireoide que é tracionado superiormente.
Traqueotomia mediastinal anterior é realizada no mediastino anterior após uma ressecção do manúbrio do osso esterno.
Traqueotomia percutânea é realizada a técnica de Seldinger, adaptada para a traqueostomia ou mini-traqueostomia.

Cânulas de traqueotomiaEditar

 
A pressão de insuflação máxima do balonete da cânula de traqueostomia deverá ser de 27 cmH2O, ou convertendo 20 mmHg.
(1 mmHg = 1.36 cmH2O)

Cânula de traqueostomia metálica;
Cânula de traqueostomia plástica sem balão;
Cânula de traqueostomia plástica com balão.

RecuperaçãoEditar

A recuperação da incisão feita na traqueia para a introdução de cânula (processo da traqueotomia) depende de diversos fatores, tais como:

Durabilidade da traqueotomia (prolongada ou de curta duração);

Condições da pele e músculo ao redor da traqueia;

Condições físicas do paciente.

Considerando uma traqueotomia baixa, de curta duração, executada em paciente hígido, submetido, anteriormente, a uma tireoidectomia total, com esvaziamento ganglionar e, portanto, com a pele do pescoço descolada devido ao processo cirúrgico, teremos um tempo médio de cicatrização da traqueia em torno de 30 dias, após a retirada da cânula.

Nesse caso, o orifício da pele do pescoço fechar-se-á, primeiramente, em pouco menos que 5 (cinco) dias, utilizando-se ponto falso feito com tiras de esparadrapo postadas em formato de “X”, fazendo-se pregas para agilizar a cicatrização (mantém o orifício colabado e aproxima, da traqueia, o tecido da pele e músculo, acelerando a aderência).

A traqueia é constituída por músculo liso, revestida internamente por um epitélio ciliado e externamente encontra-se reforçada por anéis de cartilagem. Por isso, o fechamento do seu orifício é mais lento e de forma gradativa.

A medida que o orifício diminui de tamanho, até chegar a uma abertura mínima, é possível a percepção de som, este produzido analogamente ao apito (o som é produzido pela vibração do ar ao passar por uma aresta).

Isto constitui um sinal, juntamente com a presença de pequenas bolhas de ar ao redor da traqueia, de que seu orifício está prestes a fechar (em média 2 dias para o fechamento total).

Após o fechamento total do orifício, é acelerado o processo de aderência da pele e absorção da fibrose que por ventura tenha sido criada.

Observação: esse relato foi feito baseado em experiência com um paciente, conforme descrito no texto, não sendo comprovado como regra geral.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar