Abrir menu principal

Troféu Parangolé

Troféu Parangolé
Troféu Parangolé.png
Logomarca da premiação
Descrição "Premiação de arte contemporânea para os carnavalescos da inventividade, resultado do permanente exercício de observação do cenário cultural da cidade"[1]
Data Durante o carnaval
(Fevereiro /Março)
Organização Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro
Local Rio de Janeiro Município do Rio de Janeiro
País  Brasil
Primeira cerimónia 2007
Última cerimónia 2008

Troféu Parangolé, Prêmio Parangolé ou simplesmente Parangolé foi uma premiação extra-oficial do carnaval do Rio de Janeiro, entregue à carnavalescos dos grupos de acesso A e B do carnaval carioca. Foi organizada pela Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, com o objetivo de premiar ações de arte presentes nos desfiles das escolas de samba da cidade. O prêmio teve apenas duas edições, realizadas nos carnavais de 2007 e 2008.[1][2][3]

A premiação fez parte do conjunto de ações "Carnaval: uma arte carioca", projeto da Prefeitura do Rio de Janeiro que visa o estímulo à formação de uma nova geração de carnavalescos, a coordenação do julgamento das escolas de samba dos grupo de base, e o estímulo ao desenvolvimento de linguagem própria.[1][4][5]

Além do troféu da premiação, os carnavalescos vencedores participaram de um curso de extensão desenvolvido em parceria com o Instituto de Artes da UERJ. Outra vertente da premiação é a exposição "Parangolhar", onde os carnavalescos puderam expor seus trabalhos. A exposição foi feita a partir de materiais reaproveitados dos barracões.[1][4][5]

Apenas dois carnavalesco receberam o prêmio por duas vezes: Eduardo Gonçalves e Jorge Caribé. As escolas Arranco, Inocentes de Belford Roxo e Lins Imperial, tiveram seus carnavalescos premiados por duas vezes.

Edições e vencedoresEditar

1.ª Edição (2007)Editar

A primeira edição do Prêmio Parangolé foi realizada no carnaval do ano de 2007. O troféu da edição foi desenvolvido pelo artista plástico Cláudio Pedro de Lacerda Alves. Além do troféu, os carnavalescos ganharam um curso na UERJ, com duração de dezesseis semanas. O curso foi realizado com a orientação de críticos e artistas visuais. A cerimônia de premiação foi realizada no dia 29 de março de 2007, no Centro Cultural José Bonifácio.[6][5][2]

Corpo de jurados da edição

  • Mauricio Dias - Artista visual convidado para a Documenta de Kassel 2007
  • Joel Girard - Representante da presidência do Centro Georges Pompidou para a América Latina
  • Alberto Saraiva - Curador da Oi Futuro
  • Marcio Botner - Galerista no espaço A Gentil Carioca
  • Miguel Rio Branco - Fotógrafo e artista visual
  • Chico Chaves - Diretor do departamento de artes da UERJ e Funarte
  • Nelson Felix - Artista plástico
  • Lula Rodrigues - Crítico de moda
  • Miguel Vellinho - Diretor de teatro e Professor da UNI-Rio
  • Paulo Venâncio - Crítico de arte e curador
  • Denise Mattar - Curadora da Fundação Itaú Cultural
  • Catherine Brigite Maras - Diretora de teatro francesa
  • Sebastian Lopez - Diretor artístico da Fundação Daros Latinamérica
Troféu Parangolé 2007
Carnavalesco premiado Escola de samba Motivação
André Marins União da Ilha do Governador Pela interatividade com o público
Eduardo Gonçalves Lins Imperial Pelo grafismo nas alas dos índios, pelo uso das cores e pela ousadia e impacto visual da alegoria Kararaô (besouro)
Edward Moraes São Clemente Premiados pela coerência estética da obra
Fábio Santos
Ilvamar Magalhães Arranco Pelo designer das alegorias
Jorge Caribé Vizinha Faladeira Pela ousadia no uso de palhetas monocromáticas, inventividade no uso de materiais, funcionalidade leveza e visualidade das esculturas da comissão de frente
Marcelo Andrade Paraíso do Tuiuti Pelo figurino da comissão de frente, pela visualidade da fantasia da bandeira do Brasil e pela opção das fantasias simples
Sérgio Silva; Léo Moraes; Ilana Xavier; Alice Arja Renascer de Jacarepaguá Pelo trabalho de escultura apresentado na avenida - Work in Progress; pelo destaque com esplendor de balões infláveis – pesquisa de materiais; e pela comissão de frente integrada ao carro abre-alas – ousadia na performance
Wagner Gonçalves Inocentes de Belford Roxo Premiado pela sofisticação do efeito visual do movimento propiciado pela estrutura das saias das baianas, pelo bom uso das cores, pelas soluções de bom gosto e impacto visual

2.ª Edição (2008)Editar

A segunda, e última, edição do Prêmio Parangolé foi realizada no carnaval do ano de 2008. O troféu da edição foi desenvolvido pelo artista Zemog. Além do troféu, os carnavalescos ganharam um curso de extensão desenvolvido em parceria com o Instituto de Artes da UERJ. A cerimônia de premiação foi realizada no dia 28 de fevereiro de 2008, no Centro Cultural José Bonifácio.[7][3][4]

Corpo de jurados da edição

  • Maurício Dias - Artista plástico
  • Joel Girard - Representante da presidência do Centro Georges Pompidou para a América Latina
  • Roberto Conduru - Historiador de arte
  • Eugenio Valdés Figueroa - Fundação Daros Latinamérica
  • Isabella Rosado Nunes - Fundação Daros Latinamérica
  • Cleusa Maria - Jornal Papel das Artes
  • Dimitry Ovtchinnikoff - Fundação Daros Latinamérica
  • Marcos Lontra - Secretário de Cultura de Nova Iguaçu
  • Suzana Queiroga - Artista plástica
Troféu Parangolé 2008
Carnavalesco premiado Escola de samba Motivação
Edson Pereira Unidos de Padre Miguel Coerência estética nas fantasias; diversidade de materiais; e originalidade no enredo
Eduardo Gonçalves Lins Imperial Personalidade imaginativa; e subversão na construção do enredo
Fábio Ricardo Acadêmicos da Rocinha Elemento POP nas fantasias; palheta de cor; e esculturas infláveis do carro do candelabro
Flávio Campello União do Parque Curicica Cruzamento de idéias nas concepções das fantasias
Guilherme Alexandre Boi da Ilha do Governador Utilização de material alternativo, com grande rendimento plástico visual (Baianas confeccionadas com sacos plásticos)
Jorge Caribé Inocentes de Belford Roxo Palheta de cor; audácia na escala dos carros; e estética africana inusitada
Márcia Lage Império Serrano Atitude na linguagem estético visual; releitura criativa do enredo
Renato Lage
Severo Luzardo Arranco Uso da cor: palheta luminosa; bom uso de padronagem e estamparias

EstatísticasEditar

Prêmios por carnavalescoEditar

Ao todo, dezenove carnavalescos foram premiados nas duas edições do Parangolé. Eduardo Gonçalves e Jorge Caribé foram os únicos carnavalescos premiados duas vezes.

 
O carnavalesco Jorge Caribé, vencedor de dois Prêmios Parangolé.
Posição Escola de samba Prêmios Edições
1 Eduardo Gonçalves 2 2007 e 2008
Jorge Caribé
2 André Marins 1 2007
Alice Arja
Edward Moraes
Fábio Santos
Ilana Xavier
Ilvamar Magalhães
Léo Moraes
Marcelo Andrade
Sérgio Silva
Wagner Gonçalves
Edson Pereira 1 2008
Fábio Ricardo
Flávio Campello
Guilherme Alexandre
Márcia Lage
Renato Lage
Severo Luzardo

Prêmios por escolaEditar

Ao todo, carnavalescos de treze escolas foram premiados. As escolas Arranco, Inocentes de Belford Roxo e Lins Imperial tiveram seus carnavalescos premiados nas duas edições do Parangolé.

Posição Escola de samba Prêmios Edições
1 Arranco 2 2007 e 2008
Inocentes de Belford Roxo
Lins Imperial
2 Paraíso do Tuiuti 1 2007
Renascer de Jacarepaguá
São Clemente
União da Ilha do Governador
Unidos de Padre Miguel
Vizinha Faladeira
Acadêmicos da Rocinha 1 2008
Boi da Ilha do Governador
Império Serrano
União do Parque Curicica

Referências

  1. a b c d «Parangolé». Website Academia do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 13 de abril de 2009 
  2. a b «Secretaria das Culturas entrega nesta quinta-feira o prêmio Parangolé». Website Galeria do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 22 de abril de 2017 
  3. a b «Entrega do Prêmio Parangolé 2008». Website Galeria do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 22 de abril de 2017 
  4. a b c «Prêmio Parangolé 2008». Website Sidney Rezende. Consultado em 1 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 1 de outubro de 2017 
  5. a b c «Entrega do Prêmio Parangolé 2007». Website Esquina do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 22 de abril de 2017 
  6. «Premiados 2007». Website Academia do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2009 
  7. «Premiados 2008». Website Academia do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 16 de abril de 2009 

Ver tambémEditar