Hulderico Carpenha, às vezes Ulrico Carpenha (em italiano: Ulderico Carpegna; em latim: Huldericus Carpenianus; Scavolino, 25 de maio de 1595 - Roma, 24 de janeiro de 1679) foi um cardeal do século XVII.

Ulderico Carpegna
Cardeal da Santa Igreja Romana
Prefeito da Sagrada Congregação dos Ritos
Info/Prelado da Igreja Católica
Atividade eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 9 de janeiro de 1675
Predecessor Francesco Maria Brancaccio
Sucessor Cesare Facchinetti
Mandato 1675 - 1679
Ordenação e nomeação
Nomeação episcopal 23 de setembro de 1630
Ordenação episcopal 7 de outubro de 1630
por Luigi Caetani
Cardinalato
Criação 28 de novembro de 1633
por Papa Urbano VIII
Ordem Cardeal-presbítero (1634-1666)
Cardeal-bispo (1666-1675)
Título Santa Anastácia (1634-1659)
São Pedro Acorrentado (1659-1661)
Santa Maria além do Tibre (1661-1666)
Albano (1666-1671)
Frascati (1671-1675)
Porto-Santa Rufina (1675-1679)
Dados pessoais
Nascimento Scavolino
25 de maio de 1595
Morte Roma
24 de janeiro de 1679 (83 anos)
Nacionalidade italiano
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Nascimento editar

Nasceu em Scavolino em 25 de maio de 1595, Scavolino, Montefeltro, diocese de Ferrara. De uma nobre família romana. Filho do Conde Tommaso Carpegna di Carpegna, e Vittoria Landriana, de Milão. Irmão de Pietro di Carpegna, bispo de Gubbio (1628-1630). Tio do cardeal Sebastiano Antonio Tanara (1695). Tio-avô do cardeal Alessandro Tanara (1743). Parente do cardeal Gasparo Carpegna (1670), que pertencia a outro ramo da família. Seu sobrenome também está listado como Carpineo.[1]

Educação editar

Obteve o doutorado in utroque iure, direito canônico e civil.[1]

Sacerdócio editar

Ordenado (nenhuma informação encontrada). Nomeado abade de Santa Maria di Mutino no pontificado do Papa Gregório XV; ocupou o cargo até 1631. Membro da corte do Cardeal Antonio Barberini, seniore, OFMCap.[1]

Episcopado editar

Eleito bispo de Gubbio, em 23 de setembro de 1630. Consagrado, em 7 de outubro de 1630, na Capela Paulina do Palácio Apostólico do Quirinal, Roma, pelo Cardeal Luigi Caetani, coadjuvado por Antonio Ricciulli, bispo emérito de Belcastro e vice-gerente de Roma, e por Benedetto Landi, bispo de Fossombrone.[1]

Cardinalado editar

Criado cardeal sacerdote no consistório de 28 de novembro de 1633; recebeu o gorro vermelho e o título de S. Anastasia, em 9 de janeiro de 1634. Transferido para a sé de Todi, em 11 de outubro de 1638. Renunciou ao governo da diocese antes de 31 de agosto de 1643. Participou do conclave de 1644, que elegeu Papa Inocêncio X. Camerlengo do Sagrado Colégio dos Cardeais, de 13 de janeiro de 1648 a 1º de fevereiro de 1649. Participou do conclave de 1655, que elegeu o Papa Alexandre VII. Optou pelo título de S. Pietro in Vincoli, em 21 de abril de 1659. Optou pelo título de S. Maria in Trastevere, em 21 de novembro de 1661. Optou pela ordem dos bispos e pela sé suburbicária de Albano, em 11 de outubro de 1666. Participou do conclave de 1667, que elegeu o Papa Clemente IX. Participou do conclave de 1669-1670, que elegeu o Papa Clemente X. Optou pela sede suburbicária de Frascati, em 18 de março de 1671. Prefeito da SC de Ritos e Cerimônias de janeiro de 1675 até sua morte. Prefeito da SC dos Bispos e Religiosos de 10 de janeiro de 1675 até sua morte. Optou pela sede suburbicária de Porto e Santa Rufina, a 28 de Janeiro de 1675. Vice-decano do Sacro Colégio dos Cardeais. Participou do conclave de 1676, que elegeu o Papa Inocêncio XI.[1]

Morte editar

Morreu em Roma em 24 de janeiro de 1679. Enterrado na capela Barberini na igreja de S. Andrea della Valle, Roma.[1]

Referências

  1. a b c d e f «Ulderico Carpegna» (em inglês). cardinals. Consultado em 30 de novembro de 2022