Usina Hidrelétrica de Aimorés

usina hidrelétrica no Rio Doce, em Minas Gerais

A Usina Hidrelétrica Eliezer Batista, também conhecida como Usina de Aimorés, é um empreendimento da Aliança Energia desde março de 2015. Anteriormente pertencia à Companhia Vale do Rio Doce (com 51% de participação), em associação com a Cemig (49%).[1] Ela está localizada no rio Doce, município de Aimorés, Minas Gerais, na divisa com o Espírito Santo. Com seus 330 MW de potência instalada, Aimorés passará a ser o maior empreendimento hidrelétrico da Vale em operação. Energia suficiente para abastecer um milhão de consumidores. É a primeira hidrelétrica de porte da região Leste de Minas Gerais.

Usina Hidrelétrica de Aimorés
Vista de barragem da UHE de Aimorés MG.JPG
Localização
Localização Rio Doce, Aimorés, Brasil Editar isso no Wikidata
Coordenadas 19°29'52"S, 41°1'31"W
Dados gerais
Data de inauguração 2001
Tipo barragem
Barragem da UHE com a Pedra da Lorena ao fundo.

Os investimentos foram de US$ 296 milhões, sendo US$ 151 milhões feitos pela Vale. A cota de energia elétrica da empresa é de 51% e será direcionada para o suprimento de suas unidades operacionais nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. O projeto está em linha com a estratégia da Vale de realizar investimentos na geração própria de energia elétrica, tendo em vista a importância deste insumo para suas operações e o foco permanente na redução de custos.

As principais ações foram as relocações: da cidade de Itueta, de 23 km da Estrada de Ferro Vitória a Minas, de 2 km da BR-259, da fábrica de laticínios da Cooperativa Agropecuária de Resplendor – Capel e a relocação parcial da cidade de Resplendor.

Com Usina Hidrelétrica de Aimorés, a Cemig passa a contar com um parque gerador de energia que reúne 54 usinas em operação. São 49 hidrelétricas, quatro termelétricas e uma eólica. Outras três hidrelétricas estão em construção em Minas Gerais: Capim Branco I, Capim Branco II e Irapé. Aimorés e essas três usinas somam investimentos de R$ 2,2 bilhões. Desse total, R$ 1,5 bilhão recursos da Cemig e Governo de Minas.

Aimorés e as três hidrelétricas vão possibilitar um aumento na capacidade do parque gerador do Estado em 1 milhão e 440 kilowatts ou 1,140 MW. Em relação à Cemig, representa um acréscimo de quase 10% da atual capacidade instalada de geração da empresa.

Referências

  1. «Usina de Aimorés». Aliança Energia. Consultado em 7 de outubro de 2019