Abrir menu principal
Vítor Trovão
Prefeito Coroatá Coroatá
Período 1967-1971
Deputado federal  Maranhão
Período 1979-1991
Dados pessoais
Nascimento 15 de junho de 1921
Bandeira desconhecida Axixá, MA
Morte 16 de outubro de 2011 (90 anos)
São Luís (Maranhão) São Luís, MA
Cônjuge Maria Iomar Saldanha Trovão
Partido ARENA (1966-1979)
PDS (1980-1985)
PFL (1985-1991)
Profissão industrial, pecuarista

Vitor Dias Trovão (Axixá, 15 de junho de 1921São Luís, 16 de outubro de 2011) é um industrial, pecuarista e político brasileiro que foi deputado federal pelo Maranhão.[1][2][3]

Dados biográficosEditar

Filho de Alexandre Mamede Trovão e Maria José Dias Trovão. Dedicado à indústria e à pecuária, estreou na política ao eleger-se prefeito de Coroatá pela ARENA em 1966. Eleito deputado federal em 1978, 1982 e 1986, ingressou no PDS em 1980. Em 1984 votou contra a Emenda Dante de Oliveira em 1984 e em Tancredo Neves no Colégio Eleitoral em 1985, ano que entrou no PFL. Em seu último mandato ajudou a escrever a Constituição de 1988.[4][5][6]

Foi sucedido como deputado federal por seu genro, Ricardo Murad, em 1990. Eleito prefeito de Coroatá em 1992, este renunciou antes da posse em favor de sua esposa, Teresa Trovão Murad, que retornaria ao Executivo municipal em 2012.[7][8]

Referências

  1. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Vitor Trovão». Consultado em 26 de fevereiro de 2017 
  2. «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 26 de fevereiro de 2017 
  3. «Morreu aos 90 anos, o empresário e político Vitor Trovão (imirante.com)». Consultado em 26 de fevereiro de 2017 
  4. A nação frustrada! Apesar da maioria de 298 votos, faltaram 22 para aprovar diretas (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 26/04/1984. Capa. Página visitada em 26 de fevereiro de 2017.
  5. Sai de São Paulo o voto para a vitória da Aliança (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 16/01/1985. Primeiro caderno, p. 06. Página visitada em 26 de fevereiro de 2017.
  6. «BRASIL. Presidência da República. Constituição de 1988». Consultado em 26 de fevereiro de 2017 
  7. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Ricardo Murad». Consultado em 26 de fevereiro de 2017 
  8. Joalheria usa a cota postal de senador para enviar anúncios (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 24/05/1993. Política e Governo, p. 02. Página visitada em 26 de fevereiro de 1977.