Abrir menu principal

Eleições estaduais no Maranhão em 1982

As eleições estaduais no Maranhão em 1982 ocorreram em 15 de novembro como parte das eleições gerais em 23 estados brasileiros[nota 1] e nos territórios federais do Amapá e Roraima.[nota 2] Nesse dia o PDS elegeu o governador Luís Rocha, o vice-governador João Rodolfo, o senador João Castelo e conquistou quase todas as vagas entre os 17 deputados federais e 41 deputados estaduais que foram eleitos. Nessa disputa foram observados o voto vinculado, a sublegenda, a proibição de coligações e foi a última vez onde os eleitores baseados no Distrito Federal tiveram seus votos remetidos ao Maranhão através de urnas especiais[1] e também a primeira vez desde José Sarney em 1965, que o titular do Palácio dos Leões foi escolhido por voto direto e à época não havia os dois turnos em eleições majoritárias.

1978 Brasil 1986
Eleições estaduais no  Maranhão em 1982
15 de novembro de 1982
(Turno único)
Replace this image male.png Renato Bayma Archer da Silva, Comandante..tif
Candidato Luís Rocha Renato Archer
Partido PDS PMDB
Natural de Loreto, MA São Luís, MA
Vice João Rodolfo Manuel Aureliano
Votos 673.916 180.287
Porcentagem 76,91% 20,58%


Brasão do Maranhão.png
Governador do Maranhão

Durante sua existência a ARENA foi um partido hegemônico no Maranhão e às eleições proporcionais sempre teve direito a pelo menos 80% das vagas e esse gigantismo foi transferido ao PDS, pacificado por um acordo entre José Sarney e João Castelo, que resultou na eleição de Luís Rocha para governador. Nascido em Loreto ele residiu em Balsas onde foi pecuarista e trabalhou na paróquia da cidade. Ao mudar para a capital maranhense foi diretor da Casa do Estudante Secundário do Maranhão e presidente da União Maranhense dos Estudantes Secundaristas chegando a vice-presidência da União Nacional dos Estudantes na gestão de José Serra.[2] Advogado formado pela Universidade Federal do Maranhão, foi eleito vereador em São Luís em 1962 pela UDN e mediante o bipartidarismo incorporou-se à ARENA sendo eleito deputado estadual em 1966 e 1970 e deputado federal em 1974 e 1978. Sua vitória na eleição aconteceu com a marca de 76,91% dos votos válidos derrubando também a votação nominal de Newton Belo, marca estabelecida em 1960 nos tempos do "vitorinismo".[nota 3]

Engenheiro civil graduado pela Universidade Federal de Goiás em 1964 com mestrado em Saúde Pública pelo Instituto Castelo Branco no Rio de Janeiro, João Rodolfo foi professor da Universidade Estadual do Maranhão e dirigiu a Fundação Especial de Saúde Pública (FESP) em São Luís no governo Pedro Santana. Primo de João Castelo, foi secretário dos Transportes e Obras Públicas em seu governo e presidiu o conselho administrativo de quatro empresas públicas: Companhia de Águas e Esgotos, Companhia de Desenvolvimento Rodoviário, Companhia de Eletrificação e Companhia de Mecanização Agrícola.[nota 4] Sempre filiado ao PDS, elegeu-se vice-governador do Maranhão na chapa de Luís Rocha em 1982.[3]

Na disputa para senador venceu João Castelo. Empresário nascido em Caxias, foi gerente do Banco da Amazônia em Codó, Coroatá e São Luís até alcançar cargos na direção no banco. Membro da ARENA, elegeu-se deputado federal[4] em 1970 e 1974 antes de ser escolhido governador do Maranhão em 1978 pelo presidente Ernesto Geisel e a partir de então aliou-se a José Sarney numa atitude inversa àquela tomada por Nunes Freire quando esteve no comando do Palácio dos Leões e garantiu uma vitória tranquila ao PDS passando a formar bancada com Alexandre Costa e José Sarney ocupando uma vaga pertencente a Luís Fernando Freire. Em 1984 João Castelo se diplomou em Direito pelo Centro de Ensino Universitário de Brasília tornando-se advogado.[4]

Resultado da eleição para governadorEditar

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 148.558 votos em branco (14,05%) e 32.338 votos nulos (3,06%), calculados sobre o comparecimento de 1.057.112 eleitores.[5]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Luís Rocha
PDS
João Rodolfo
PDS
1
PDS (sem coligação)
673.916
76,91%
Renato Archer
PMDB
Manuel Aureliano Neto
PMDB
5
PMDB (sem coligação)
180.287
20,58%
Reginaldo Carvalho de Sousa
PDT
Ozeneide Berman
PDT
2
PDT (sem coligação)
12.738
1,45%
Osvaldo Furtado
PT
Idalmir Feitosa
PT
3
PT (sem coligação)
8.643
0,99%
Cesário Coimbra
PTB
Catarina Mendes
PTB
4
PTB (sem coligação)
632
0,07%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senadorEditar

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 136.340 votos em branco (12,90%) e 35.371 votos nulos (3,35%), calculados sobre o comparecimento de 1.057.112 eleitores.[5]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
João Castelo
PDS
-
PDS
10
PDS (em sublegenda)
631.853
71,36%
João Mota de Queiroz
PMDB
Braga Diniz
PMDB
50
PMDB (sem coligação)
172.187
19,45%
Luís Fernando Freire
PDS
-
PDS
11
PDS (em sublegenda)
59.840
6,76%
Clay Lago
PDT
-
PDT
20
PDT (sem coligação)
12.511
1,41%
Oliveiros Santiago
PT
-
PT
30
PT (sem coligação)
8.480
0,96%
Antônio Vera Cruz Marques
PTB
-
PTB
40
PTB (sem coligação)
530
0,06%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitosEditar

Deputados estaduais eleitosEditar

Na disputa pelas quarenta e uma vagas da Assembleia Legislativa do Maranhão, o PDS conquistou trinta e três e o PMDB oito.[5]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Haroldo Saboia PMDB 28.201 São Luís   Maranhão
Francisco Coelho PDS 22.692 Balsas   Maranhão
Carlos Guterres PMDB 22.077 São Luís   Maranhão
José Bento Nogueira Neves PDS 21.209 Itapecuru-Mirim   Maranhão
Freitas Filho PMDB 20.519 Imperatriz   Maranhão
Benedito Saback Thomé PDS 18.824
Maria da Conceição Senna e Silva Mesquita PMDB 18.488
Eduardo Matias PDS 18.325 Igarapé Grande   Maranhão
Ricardo Murad PDS 18.019 São Luís   Maranhão
Raimundo Rocha Leal PDS 17.804 Uruçuí   Piauí
Carlos Sóstenes PDS 17.473
Mauro Fecury[nota 5] PDS 17.224 Rio Branco   Acre
Marconi Caldas PDS 16.610
Teoplistes Teixeira Filho PDS 16.588
Joaquim Haickel PDS 16.085 São Luís   Maranhão
Albérico Filho PDS 15.537 Goiana   Pernambuco
Antônio Pontes de Aguiar PDS 14.926
Davi Alves Silva PDS 14.914 Vitorino Freire   Maranhão
Carlos Alberto Ribeiro de Melo PDS 14.875
Manoel da Penha Oliveira PDS 14.680
Júlio Monteles PDS 14.670 Anapurus   Maranhão
Sebastião Murad PDS 14.543
José Ribamar Lauande Fonseca PDS 14.485
Aristeu Dias Barros PDS 14.271 Passagem Franca   Maranhão
Aluísio de Abreu Lobo PDS 13.739 Caxias   Maranhão
Moisés Alves dos Reis PDS 13.412
Celso da Conceição Coutinho PDS 13.350
César Bandeira PDS 13.143 Vitorino Freire   Maranhão
Jurandir Filho PDS 13.007 Bacabal   Maranhão
Jose Rodrigues de Paiva PDS 12.615
José Gerardo de Abreu PDS 12.493 Acaraú   Ceará
Raimundo Nonato Lago Júnior PMDB 12.396 São Luís   Maranhão
João Afonso Barata Lopes Bastos PDS 12.005 Caxias   Maranhão
Jose Ribamar Elouf PDS 11.654
Yedo Lobão PDS 11.211 Mirador   Maranhão
Benedito Florêncio Duarte PDS 11.191
Dorian Riker Teles de Menezes PDS 11.169
Orlando Brito de Aquino PDS 10.959
Mauro Bezerra PMDB 9.438 São Luís   Maranhão
Luiz Pedro de Oliveira PMDB 9.009 Juazeiro do Norte   Ceará
Gervásio Protásio dos Santos PMDB 8.423

Eleições municipaisEditar

Além de garantir a nomeação dos prefeitos de São Luís e São João dos Patos o PDS venceu em cento e vinte e quatro municípios contra cinco do PMDB e um do PT.

Notas

  1. Por força de um casuísmo político, a eleição direta em Rondônia excluiu o cargo de governador.
  2. Estes elegeram apenas quatro deputados federais cada e em Fernando de Noronha não havia eleições.
  3. Os números de sua vitória fizeram de Luís Rocha o recordista de votos proporcionais para governador nas eleições de 1982 ao superar por estreita margem o sergipano João Alves Filho.
  4. O governo João Castelo durou de 15 de março de 1979 à 14 de maio de 1982.
  5. Licenciou-se do mandato a em favor do suplente, Edivaldo Holanda, a fim de assumir a prefeitura de São Luís por escolha do governador Luís Rocha.

Referências

  1. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 6.091 de 15/08/1974». Consultado em 23 de junho de 2013 
  2. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Luís Rocha». Consultado em 23 de junho de 2014 
  3. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado João Rodolfo». Consultado em 27 de março de 2018 
  4. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado João Castelo». Consultado em 23 de julho de 2013 
  5. a b c d «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 28 de abril de 2016 
  6. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 28 de abril de 2015. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  7. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 28 de abril de 2016