Vacina contra a difteria

Preparação biológica contra difteria
Vacina contra difteria
Imagem em falta.svg
Estatuto OMS
medicamento essencial (en)
Doença para tratar

A vacina contra a difteria é uma vacina usada contra Corynebacterium diphtheriae, o agente causador da difteria.[1] Seu uso resultou na diminuição em mais de 90% do número de casos no mundo, entre 1980 e 2000. A primeira dose é recomendada a partir das seis semanas de idade, com duas doses adicionais em quatro semanas, após o qual tem cerca de 95% de eficácia durante a infância. Mais três doses são recomendadas durante a infância. As doses de reforço a cada dez anos não são mais recomendadas.[2]

A vacina contra a difteria é muito segura. Efeitos colaterais significativos são raros e pode ocorrer dor no local da injeção.[2] Um caroço pode formar-se no local da injeção, que dura poucas semanas. A vacina é segura na gravidez e entre aqueles que têm uma função imune deficiente.[3]

A vacina é aplicada em várias combinações com outras vacinas.[4] Uma combinação inclui a vacina antitetânica (conhecida como vacina dT ou Dt), outra vem com o tétano e a coqueluche (conhecida como vacina DPT), e outras incluem outras vacinas, como a vacina contra Hib, vacina contra a hepatite B, ou vacina contra pólio. A Organização Mundial de Saúde tem recomendado o seu uso desde 1974.[2] Cerca de 84% da população mundial é vacinada.[5] É dada como uma injeção intramuscular e precisa ser mantido fria, mas não gelada.[3][2]

A vacina foi desenvolvida em 1923[6] e está na Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde, os medicamentos necessários mais eficazes e seguros em um sistema de saúde.[7] O preço de atacado nos países em desenvolvimento de uma versão que contém toxóide tetânico custa entre 0.12 e 0.99 DÓLARES por dose em 2014.[8] Nos Estados Unidos é inferior a 25 dólares.[9]

Referências

  1. «MedlinePlus Medical Encyclopedia: Diphtheria immunization (vaccine)». Consultado em 7 de março de 2009. Arquivado do original em 2 de março de 2009 
  2. a b c d «Diphtheria vaccine: WHO position paper- August 2017» (PDF). Weekly epidemiological record. 92: 417-436. 4 de agosto de 2017. PMID 28776357. Cópia arquivada (PDF) em 8 de setembro de 2017 
  3. a b Atkinson, William (maio de 2012). Diphtheria Epidemiology and Prevention of Vaccine-Preventable Diseases 12 ed. [S.l.]: Public Health Foundation. pp. 215–230. ISBN 9780983263135. Cópia arquivada em 15 de setembro de 2016 
  4. Centre for Disease Control and Prevention. «Diphtheria Vaccination». Department of Health and Human Services. Consultado em 8 de novembro de 2011. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2011 
  5. «Diphtheria». who.int. 3 de setembro de 2014. Consultado em 27 de março de 2015. Cópia arquivada em 2 de abril de 2015 
  6. Macera, Caroline (2012). Introduction to Epidemiology: Distribution and Determinants of Disease. [S.l.]: Nelson Education. p. 251. ISBN 9781285687148. Cópia arquivada em 5 de março de 2016 
  7. «WHO Model List of Essential Medicines (19th List)» (PDF). World Health Organization. Abril de 2015. Consultado em 8 de dezembro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 13 de dezembro de 2016 
  8. «Vaccine, Diphtheria-Tetanus». International Drug Price Indicator Guide. Consultado em 6 de dezembro de 2015 [ligação inativa]
  9. Hamilton, Richart (2015). Tarascon Pocket Pharmacopoeia 2015 Deluxe Lab-Coat Edition. [S.l.]: Jones & Bartlett Learning. p. 313. ISBN 9781284057560