Valentin Inzko

Alto Representante da Bósnia

Valentin Inzko (Feistritz im Rosental, 22 de maio de 1949) é um diplomata austríaco que foi Alto Representante para a Bósnia e Herzegovina de 26 de março de 2009 a 31 de julho de 2021.[1] Entre 2009 e 2011, serviu também como Representante Especial da União Europeia para a Bósnia e Herzegovina. É um membro da minoria eslovena.

Valentin Inzko
Nascimento 22 de maio de 1949 (73 anos)
Klagenfurt
Cidadania Áustria
Progenitores
  • Valentin Inzko
Cônjuge Bernarda Fink
Alma mater
Ocupação linguista, diplomata, tradutor, político
Prêmios
  • Grande Condecoração Honorífica em prata por Serviços à República da Áustria (Federal Chancellery of Austria, 2012)
  • honorary citizen of Sarajevo
Religião Igreja Católica

Foi embaixador da Áustria na Bósnia e Herzegovina entre 1996 e 1999, e na Eslovénia entre 2005 e 2009.[2]

Em 9 de junho de 2009, Inzko usou seus poderes pela primeira vez e demitiu dois policiais. Os dois oficiais eram Bosniak Himzo Đonko, um comissário de polícia do cantão de Herzegovina-Neretva, acusado de ameaçar oficiais internacionais bósnios em uma tentativa de obstruir uma investigação em suas acusações de abuso de poder, e o servo bósnio Radislav Jovičić, um funcionário do estado bósnio.[3] Agência de investigação e proteção, alegou ter usado seus subordinados para seguir ilegalmente e observar o pessoal de Inzko.[4]

Referências

  1. «Statement by the Ambassadors of the Peace Implementation Council's Steering Board». web.archive.org. 29 de março de 2009. Consultado em 9 de junho de 2020 
  2. «Valentin Inzko / Antalya Diplomacy Forum 2020». adf.mfa.gov.tr. Consultado em 9 de junho de 2020 
  3. «Bosnia peace envoy sacks 2 police officers». UPI (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2020 
  4. «Valentin Inzko: 'Peace is more than just an absence of war'». Independent Balkan News Agency (em inglês). 25 de maio de 2018. Consultado em 9 de junho de 2020