Varginha (Nova Friburgo)

Varginha é um bairro da zona leste do município de Nova Friburgo[1], com aproximadamente 19.000 habitantes, compreendendo os loteamentos: Parque Dom João VI, Parque Imperial, Eldorado, Ouro Verde, Santa Lúzia, Nova Suíça, Sans Souci, Fazenda Bella Vista, Parque Lucerne, Curuzu e Correas onde localiza-se seu pequeno centro comercial.

GeografiaEditar

Localiza se no centro do município, faz parte do Primeiro Distrito. Bairro criado em 1971 e pelo Projeto de Lei 4.488/09, que oficializou os nomes dos bairros de Nova Friburgo do 1º e 6º distritos esta sendo estudado a nova argumentação da Prefeitura em criação de novos bairros. O projeto foi sancionado pelo prefeito Heródoto Bento de Mello e tornou-se a Lei Municipal número 3.792/09 ainda em processo de analise.[2] Distante a 5 quilómetros do centro da cidade, tem sua linha de ônibus principal passando pela estrada da Ponte da Saudade, e as linhas intermediária Alto do Mozer, e linhas dos loteamentos Nova Suíça passando pela RJ 150, Fazenda Bella Vista/Vargem Alta passando pelas Braunes. Varginha é o bairro centralizado de Nova Friburgo com maior área de ligação entre distritos, limita-se com o Centro, Conselheiro Paulino, Amparo, Lumiar e Mury. Os traçados originais da RJ 144 e BR 120 passariam pelo bairro pois beneficiariam todas as regiões ao entorno.[3]

Sua altitude chega a 1000 metros, e suas montanhas, a 1400 metros sendo o Pocet a mais alta. O principal corrego e o Curuzu que forma o Ribeirão de São José, outro corrego[4] é o Córrego do Brejo que foi manilhado, também há o Corrego do Parque com seus dois lagos Imperial e D. João VI, Corrego da Bella Vista e seus lagos Ceco, Meio e Grande, Corrego Sans Souci, e pequenos corregos sem nome.

HistóriaEditar

Sua formação remonta a 1760, quando era caminho para Cantagalo e Lumiar, propriedade dos Correas, Freiman e dos Marchon, estendia-se da Estrada do Amparo à Estrada do Alto 50, caminho para Lumiar. Por volta de 1890 foi criado o Sítio Karin residência da família Schultz e Sítio Sans Souci residência da família Stutz, proprietários da Fabrica Ypu, também foram moradores nesse período os Moura Alexandre, os Ferreira, os Lopes, os Alves Lagoa, os Custódios, os Thurler, os Balmant, e outras famílias que formaram o bairro.

O bairro tem efeitos históricos na formação do município de Nova Friburgo, em períodos de construção de casas, por volta de 1823, muitas madeiras de lei eram encontradas nas matas existentes na região do bairro, já naquele período chamado de "Varginha" pois a Vargem maior era o atual vale do centro de Nova Friburgo, observando o mapa de relevos locais entende se que ao subirem as trilhas existentes, hoje as ruas Romualdo Machado e Manoel Alexandre de Moura, observavam que tratava se de um vale menor composto pelos córregos do Brejo e córrego do Curuzu, então a época bem fluente em seus leitos, com água em abundancia dispondo também de peixes.

Os povoados já ali existentes tiveram um esboço de crescimento, já moradores do local os Córreas foram precursores do comércio, o Armazém São Jorge existe até os dias atuais, localizado na rua Oscar Schultz, alguns outros ainda resistem mas sem suas características originais, o armazém dos Pereira, esquina da rua Leonino Dutra com Anna Satore Catarcione, as estalagem da antiga olaria de tijolos dos Antunes, a serraria e ferramentaria dos Folly, na rua Lúcio Antunes Nogueira, as estalagens com senzala dos Ferreiras, na rua Francisco Ferreira, as ferramentarias dos Moura Alexandre, na esquina da rua Leonino Dutra com Enemezio Folly e outras diversas. Possuia ao tempo quatro olarias de tijolos, sete serrarias, duas ferramentarias, quatro tropas de animais para transporte, chamadas "tropas de burros", seis comércios de gêneros, duas carvoaria, até os dias atuais o destaque de extração de madeira era o principal fator econômico do bairro sendo substituído pela industria e comercio de vestuário.

Possui a sexta linha de ônibus mais antiga de Nova Friburgo, o terceiro sistema de águas encanadas, a decima escola, a quinta rede elétrica, uma das primeiras ruas do município a ser calçada, alem de produzir tijolos para construção de diversas casa no período de 1823 a 1950, entre as quais a estação de trem hoje prédio da Prefeitura de Nova Friburgo.

Referências