Abrir menu principal

Vila Acaba Mundo (Belo Horizonte)

Vila Acaba Mundo (Belo Horizonte)
  Bairro do Brasil  
Localização
Fonte: Não disponível

Vila Acaba Mundo é uma das comunidades, dentre as mais de 226 favelas, vilas e conjuntos habitacionais na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Possui o Fórum de Entidades do Entorno das Minerações do Acaba Mundo (Femam) que discute melhorias para a Vila e o seu relacionamento com a mineração Lagoa Seca.[1]

Área: 33.313 m² Localização: regional centro-sul, entre os bairros Sion, Anchieta, Mangabeiras e Belvedere.

O início da ocupação da Vila Acaba Mundo ocorreu em meados das décadas de 40 e 50 com as atividades da Mineradora Lagoa Seca. A empresa criou projeto de moradia para os trabalhadores que vieram do interior do estado, loteando a parte superior da área, na rua Corrêas. Com as intensas chuvas que caíram sobre a cidade no final dos anos 70 parte do aterro da Rua Corrêas desabou, soterrando várias casas e deixando muitos desabrigados que iniciaram a ocupação da parte inferior da rua, no limite com o bairro Mangabeiras.

A origem do nome foi o fato da área, naquela época, estar situada em local afastado e ser cortada por córrego com nascente no alto do morro próximo à mineração.

No início da década de 70 foi criada a Associação dos Moradores da Vila Acaba Mundo. Reunidos na entidade os moradores se empenharam para a canalização do córrego. Outra mobilização foi pela organização da ocupação da área, que se encontrava em ritmo acelerado por causa dos desabrigados pelas chuvas e o desemprego na Mineradora.

Em 1984, em parceria com a UFMG, foram desenvolvidos dois importantes projetos: a reconstrução do Centro Comunitário e a interligação da Vila com o entorno por um pontilhão de ferro, este inviabilizado devido ao acesso precário que impediu o transporte da estrutura.

No final da década de 80 a Vila Acaba Mundo ganha várias melhorias como a pavimentação dos Beco dos Desenganos e do Beco da Mina, implantação de rede de água, de esgoto e iluminação pública. Ainda nessa época tem início o projeto “Ordenação do Espaço Vivencial” com a participação da UFMG, Urbel, Sudecap e comunidade.

Em 1997 os moradores se movimentam em defesa do meio ambiente. A mobilização culmina num acordo entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e a Mineradora Lagoa Seca, com esta assumindo indenizar os danos causados, investindo em melhorias como a implantação de saneamento básico em toda a vila em parceria com a Copasa.

Referências