Vila Guryong

Guryong ou Vila Guryong (em coreano: 구룡마을; hanja: 九龍里) é um acampamento ilegal (comumente chamado de favela) em terras particulares em Seul, Coreia do Sul, nos limites do afluente distrito de Dogok-dong, distrito de Gangnam, do lado sul, do qual é separado por uma rodovia de seis pistas.[1][2][3]

Guryong no sopé da Montanha Guryongsan, inverno de 2013
Incêndios em 2014
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Vila Guryong

Foi criada pela primeira vez em 1988 por pessoas despejadas de casas em outras áreas de baixa renda demolidas durante o rápido desenvolvimento da cidade antes dos Jogos Olímpicos de 1988 e que vieram para essa área como seu último refúgio.[1][3][4][5][6] Desde pelo menos 2011, há planos de redefinir a área e realocar os moradores, embora pouco progresso tenha sido feito devido a divergências entre os oficiais sobre o melhor plano de ação.[1][4][7][8] Os planos atuais do governo propuseram demolir Guryong em 2015 e providenciar moradias subsidiadas para os moradores.[9] Estima-se que 2 500[1][6] a 4 000[3] habitantes (todos os números são estimados porque nenhum levantamento demográfico dessa área nunca foi realizado),[3] principalmente idosos empobrecidos,[3][5] vivendo em entre 1 200[10] e 2 000 barracos e veículos recreativos[4] em uma área de cerca de 286 929 metros quadrados.[4] Casas individuais têm o tamanho de cerca de 16 a 99 metros quadrados.[3] Os residentes, que estabeleceram um serviço postal em sua região, receberam cartões de residência temporária em 2011.[11] A vila tem edifícios como jardim de infância e igreja, serviços públicos como água, gás e eletricidade, pelos quais os pagamentos são comuns; e sua própria segurança, tudo organizado através de duas associações de aldeias.[3][11]

Devido à construção não segura, a vila foi afetada por vários acidentes com incêndios[12] (em 2014[13] e 2017[14]). Foi chamada "a última favela do chamativo distrito Gangnam de Seul"[9] e "a última favela de Gangnam"[1] e, mais amplamente, "a última favela urbana restante em Seul".[12]

Referências

  1. a b c d e Blason, Jo (14 de julho de 2014). «Gangnam, shanty-style: life in Seoul's Guryong Village slum – in pictures». The Guardian (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2020 
  2. Bell, Karen (2014). Achieving Environmental Justice: A Cross-National Analysis. Policy Press. [S.l.: s.n.] pp. 87–89. ISBN 978-1-4473-0594-1 
  3. a b c d e f g «A Village the City Ignores». Global Action on Aging (em inglês). 12 de janeiro de 2005. Consultado em 24 de agosto de 2020. Arquivado do original em 21 de março de 2006 
  4. a b c d Eun-Jee, Park (20 de julho de 2014). «Redevelopment of a Gangnam slum languishes». Korea JoongAng Daily (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2020 
  5. a b Yoo, Reera (4 de maio de 2015). «Seoul to Demolish the Last Surviving Slum Near the Ritzy Gangnam District». KoreAm (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2020. Arquivado do original em 7 de maio de 2015 
  6. a b Taylor, Kirsty (8 de fevereiro de 2012). «Coals to keep Guryong shantytown warm». The Korea Herald (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2020. Arquivado do original em 7 de janeiro de 2017 
  7. Da-ye, Kim (18 de junho de 2014). «Clash looms over developing shanty town in Seoul». The Korea Times (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2020 
  8. Min-ho, Jung (6 de fevereiro de 2015). «Guryong Village turns into battle zone». The Korea Times (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2020 
  9. a b Park, Ju-Min. «Go inside the last surviving slum of Seoul's glitzy Gangnam district before South Korea demolishes it». Reuters (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2020 
  10. Hyo-Sung, Ahn (12 de novembro de 2014). «Fire exacerbates split in Guryong». Korea JoongAng Daily (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2020 
  11. a b Williamson, Lucy (22 de março de 2012). «South Korean shanty town on sought-after real estate». BBC News. Consultado em 24 de agosto de 2020 
  12. a b Kyung-min, Lee (5 de dezembro de 2014). «Seoul to develop shanty town in Gangnam». The Korea Times. Consultado em 24 de agosto de 2020 
  13. Kyung-jun, Choi; Lee, Hee-Hoon; Lee, Juyeon (9 de novembro de 2014). «'강남 판자촌' 구룡마을 또 화재 "다른 데 불 났으면 난리 났을 것"». OhmyNews (em coreano). Consultado em 24 de agosto de 2020 
  14. «[종합]강남 구룡마을 불 2시간만에 진화…70대 연기흡입». Newsis (em coreano). 29 de março de 2017. Consultado em 24 de agosto de 2020