Villana de' Botti

Villana de Boti (Florença, 1332 — Florença, 29 de janeiro de 1360) foi uma religiosa italiana, era filha de Andrea di Lapo de' Botti (também de’Bothi ou delle Botte), um mercador de Florença.

Aos treze anos fugiu de casa para entrar num convento, mas a sua tentativa foi frustrada pela família e teve de regressar a casa. Por forma a evitar a repetição desse episódio, a sua família deu-a em casamento, em 1351, com Rosso di Piero Benintendi (+1391). Após o casamento viveu aparentemente de modo totalmente diferente, apreciando a vida mundana e os prazeres da sociedade. Após alguns ano, converteu-se novamente e entrou na Ordem Terceira de São Domingos.

Continuando a cumprir os seus deveres de esposa, usava todo o demais tempo disponível em oração e leituras espirituais, especialmente as Cartas de São Paulo. De tal forma era intensa a sua oração que frequentemente foi encontrada em estados de êxtase, particularmente durante a eucaristia ou durante conferências espirituais.

O seu culto foi confirmado pelo Papa Leão XII a 27 de Março de 1824 e beatificada em 1829.

Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um santo, um beato ou um religioso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.