Voo Philippine Airlines 812

O Voo Philippine Airlines 812 foi um voo regular de passageiros do Aeroporto Internacional Francisco Bangoy, Cidade de Davao, para o Aeroporto Internacional Ninoy Aquino, Manila, Filipinas. Em 25 de maio de 2000, um Airbus A330-301 operando na rota foi alvo de um sequestro fracassado, por um homem mais tarde identificado como Reginald Chua,[1] pouco antes do avião pousar. O voo estava com 278 passageiros e 13 tripulantes, 291 ocupantes no total.[2]

Voo Philippine Airlines 812
Voo Philippine Airlines 812
A aeronave envolvida em 2012, com o prefixo alterado para RP-C3331
Sumário
Data 25 de maio de 2000 (23 anos)
Causa Tentativa de sequestro de aeronave e roubo
Local Sobre Antipolo, Filipinas
Origem Aeroporto Internacional Francisco Bangoy, Davao
Destino Aeroporto Internacional Ninoy Aquino, Manila
Passageiros 278 (incluindo sequestrador)
Tripulantes 13
Mortos 1 (sequestrador)
Feridos 0
Sobreviventes 290 (todos exceto sequestrador)
Aeronave
Modelo Airbus A330-301
Operador Filipinas Philippine Airlines
Prefixo F-OHZN
Primeiro voo 28 de julho de 1997

Sequestro editar

O sequestrador tinha uma arma e uma granada de mão.[3] Ele disparou uma arma contra um anteparo e exigiu ser deixado na cabine.[3] Quando o acesso foi recusado, ele exigiu que os passageiros colocassem seus objetos de valor em uma bolsa antes de ordenar ao piloto que descesse e despressurizasse a aeronave para que ele pudesse escapar com um para-quedas caseiro. Por não possuir cordão de rasgo, foi feito um com faixa de cortina na aeronave.[3] Antes de saltar, ele não foi capaz de superar a rajada de vento da porta traseira aberta do avião, e um comissário o ajudou a saltar do avião.[3]

O sequestrador usava balaclava e óculos de segurança quando saltou do avião junto com os objetos de valor que havia roubado enquanto o avião voava a uma altitude de 1.800 metros sobre Antipolo. As autoridades inicialmente o identificaram como "Augusto Lakandula", com base no nome em sua passagem. O piloto expressou ceticismo de que o sequestrador teria sobrevivido ao salto.[3]

Três dias após o sequestro, o sequestrador foi encontrado morto, seu corpo quase enterrado na lama,[4] na aldeia de Llabac, em Real, cerca de 70 quilômetros a sudeste de Manila, perto da divisa com a província de Laguna. As autoridades policiais afirmaram que ele morreu porque não conseguiu abrir o paraquedas. Por meio de sua carteira de motorista, "Lakandula" foi finalmente identificado corretamente como Reginald Chua,[5] que teria sofrido dificuldades financeiras.[4]

Na cultura popular editar

O incidente é mencionado no filme britânico de 2013 Metro Manila. O protagonista do filme Oscar Ramirez (Jake Macapagal) conta a história de Alfred Santos, dono de uma fábrica de tecidos que perdeu o pai para uma gangue contratada por uma fábrica rival. Tendo forçado o fechamento de seu negócio devido às constantes ameaças de seu rival, Santos sequestrou um avião e ordenou que os passageiros entregassem seu dinheiro e objetos de valor antes de pular do avião para a morte.

Referências

  1. «Bangla2000 | International News - Brother says Philippine hijacker wanted to be a skydiver». www.bangla2000.com. 30 de maio de 2000. Consultado em 20 de outubro de 2020 
  2. «Hijacker jumps off PAL jet after robbery | Headlines, News, The Philippine Star | philstar.com». web.archive.org. 26 de maio de 2000. Consultado em 20 de outubro de 2020 
  3. a b c d e «BBC News | ASIA-PACIFIC | Philippines hijacker bails out». news.bbc.co.uk. 25 de maio de 2000. Consultado em 20 de outubro de 2020 
  4. a b «Body of Philippine hijacker found». UPI (em inglês). 28 de maio de 2000. Consultado em 20 de outubro de 2020 
  5. «CNN Transcript - CNN International World News: Philippine Hijacker Found Buried In Mud - May 26, 2000». edition.cnn.com. 26 de maio de 2000. Consultado em 20 de outubro de 2020 

Ligações externas editar