Voto secreto

O voto secreto é a garantia de que apenas o votante saberá qual foi a candidatura que escolheu naquele processo eleitoral. É uma forma de evitar pressão sobre os eleitores, e também evitar a coação, garantindo que o voto expresse realmente a vontade do eleitor.[1][2][3]

No BrasilEditar

No Brasil, o voto secreto foi instituído pelo Código Eleitoral de 1932, durante o início da Era Vargas. Antes da Revolução de 1930, que levou Getúlio Vargas ao poder, havia o voto de cabresto. Por meio do "cabresto" (metáfora para a coerção exercida por grupos poderosos sobre os eleitores sob seu poder) e de outras fraudes, elegiam-se governantes contrários aos interesses do povo e favoráveis às elites. A falta do voto secreto era uma das causas o problema, que deveria ser sanado pela Revolução de 30. Esta revolução buscava, entre outras coisas, moralizar o sistema eleitoral.[4]

Referências

  1. Educacao, Portal. «Portal Educação - Artigo». www.portaleducacao.com.br. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  2. «Em quais ocasiões o voto é secreto no Congresso Nacional?». EBC. 9 de julho de 2013. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  3. «Educação Pública - Biblioteca - Cidadania». www.educacaopublica.rj.gov.br. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  4. «Portal da Câmara dos Deputados». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 8 de julho de 2021