Abrir menu principal

Walnice Nogueira Galvão

Walnice Nogueira Galvão
Nascimento 1937 (82 anos)
São Paulo,  Brasil
Prémios Prêmio Literário da Fundação Biblioteca Nacional (2008)
Género literário Ensaio, crítica
Movimento literário Pós-modernismo

Walnice Nogueira Galvão (São Paulo,[1] 1937[2]) é uma ensaísta e crítica literária brasileira.

Graduada em Ciências Sociais pela USP, em 1961, fez seu doutorado em Letras, escolhendo como tema para sua tese a obra de João Guimarães Rosa. A tese As formas do falso - Um estudo sobre a ambiguidade no Grande Sertão: veredas, de 1970, foi seu primeiro livro. Em 1972, veio No calor da hora - A guerra de Canudos nos jornais, que lhe deu a livre-docência[3][4].

Foi professora e pesquisadora de Teoria Literária e Literatura Comparada na USP, atuando como primeira assistente de Antonio Candido de Mello e Souza. Publicou mais de 30 livros, além de artigos para jornais e revistas, tornando-se uma das principais estudiosas da obra de Guimarães Rosa e de Euclides da Cunha. Dedicou-se também a estudos de gênero, com A donzela-guerreira (1998).

Mesmo depois de se aposentar como professora titular, continuou dedicando-se à atividade acadêmica. Coordenou cursos de Literatura Universal na Biblioteca municipal Mário de Andrade e atuou como conselheira da editora do MST. Em 2009, recebeu o prêmio Mário de Andrade da Biblioteca Nacional com o livro Mínima mímica - Ensaios sobre Guimarães Rosa. [5]No ano seguinte, a Academia Brasileira de Letras premiou seu livro Euclidiana - Ensaios sobre Euclides da Cunha.

Principais obrasEditar

  • As formas do falso: um estudo sobre a ambiguidade no Grande sertão: veredas (Perspectiva, 1972)
  • No calor da hora (Atica, 1973)
  • Saco de gatos (Duas Cidades, 1976)
  • Mitológica rosiana (Ática, 1978)
  • Gatos de outro saco (Brasiliense, 1981)
  • Le roman brésilien: une littérature anthropophage au XXe siècle, com Mario Carelli (Presses universitaires de France, 1995)
  • Correspondência de Euclides da Cunha (Edusp, 1997)
  • Desconversa- Ensaios críticos (Editora UFRJ, 1998)
  • A donzela-guerreira: um estudo de gênero (SENAC São Paulo, 1998)
  • Prezado senhor, prezada senhora: estudos sobre cartas (Companhia das Letras, 2000)
  • Le carnaval de Rio: trois regards sur une fête brésilienne (Chandeigne, 2000)
  • Euclidiana: ensaios sobre Euclides da Cunha (Companhia das Letras, 2009)
  • O império do Belo Monte: vida e morte de Canudos (Fundação Perseu Abramo, 2001)
  • As musas sob assédio: literatura e industria cultural no Brasil (Senac São Paulo, 2005)
  • Guimarães Rosa (Publifolha, 2000)
  • Mínima mímica: ensaios sobre Guimarães Rosa (Companhia das Letras, 2008)
  • Indianismo revisitado[6]
  • Sombras e Sons (Lazuli Editora, 2010)

Referências

  1. Quem é Walnice Nogueira Galvão. Por Mario Sergio Conti. Folha de S. Paulo, Caderno Mais, 17 de março de 2002
  2. Fundação Biblioteca Nacional. Catálogo de Livros. Índice : Autores - Pessoas Galvao, Walnice Nogueira Arquivado em 3 de março de 2016, no Wayback Machine.
  3. Profa. Dra. Walnice Nogueira Galvão receberá o título de Professora Emérita. FFLCH-USP, 11 de março de 2011
  4. Cerimônia de Outorga do Título de Professora Emérita Profa. Dra. Walnice Nogueira Galvão FFLCH-USP
  5. Prêmio literário condecora professora de Letras Walnice Nogueira Galvão. Por Renato Santino. Informativo da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, nº 50, março de 2009.
  6. Galvão, Walnice Nogueira. Autorités Sudoc

Ligações externasEditar