Fara Pálavi, Xabanu do Irã, 1973
Armas Imperiais da xabanu do Irã

Xabanu[1] (em persa: شهبانو; transl.: Šahbānū)[2] significa literalmente "esposa do xá". O termo se distingue de shahmâm (شه مام، شهمام), que designa a imperatriz-mãe.

Desde a invasão árabe no Irã (século VII), o título de xabanu foi conferido apenas uma vez, quando da coroação de Fara Pálavi, terceira esposa do Maomé Reza Pálavi, em 1967. Anteriormente, as imperatrizes sassânidas Borana e sua irmã Azarmiductes (aproximadamente 630 a 632) [3] haviam sido as últimas soberanas a receberem o título sassânida equivalente - bâmbişnân bâmbişn ("Rainha das Rainhas") -, que era dado à consorte principal do monarca, distinguindo-a das demais rainhas integrantes do harém do .[3].

Embora não seja mais válido no Irã desde a Revolução de 1979, o título ainda é dado, por cortesia, à ex-imperatriz Fara Pálavi, nos países que permitem a utilização de títulos ligados a monarquias extintas.

Segundo as regras dinásticas pré-revolucionárias, Iasmim Pálavi, esposa do príncipe imperial Reza Pálavi, é quem atualmente teria direito ao título.

Referências

  1. Villas-Boas 2003, p. 121.
  2. The Online Etymology Dictionary (página visitada em 12 de março de 2011)
  3. a b Antonio Panaino: Women and Kingship. Some remarks about the enthronisation Boran of Queen and her sister Azarmigduxt. In: Josef Wiesehöfer, Philip Huyse (eds): Eran ud Aneran. Studien zu den Beziehungen zwischen dem Sasanidenreich und der Mittelmeerwelt. Stuttgart 2006, p. 221-240
  Este artigo sobre títulos de nobreza é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.